13ª edição do Bejo a Campo

0
215
Crédito Adrielle Teodoro

Em sua 13° edição, o Bejo a Campo acontece todos os anos na terceira semana de agosto, e neste ano não foi diferente. Realizado do dia 20 a 22 de agosto, em Bragança Paulista (SP), o evento apresentou para produtores, agrônomos e técnicos da área suas novidades em hortifruti. O Bejo a Campo contou com um público de aproximadamente oitocentas pessoas do Brasil inteiro.

Larissa Zago, coordenadora de marketing da Bejo Sementes, conta que “é um prazer e uma tradição trazer os produtores para a Bejo. Além de recebê-los, o mais importante é poder apresentar nosso catálogo vivo em condições reais de cultivo e mostrar todas as linhas de produtos da Bejo; é muito bom ter esse contato direto com produtor”, comenta Larissa Zago.

As novidades

Além das que já foram lançadas no ano passado, o Bejo a Campo 2019 apresentou novidades em alfaces, algumas ainda em fase de desenvolvimento, como americanas e crespas para o campo aberto.

As cebolas também foram destaque. Há 20 anos a Bejo, que é líder mundial em cebolas, vem desenvolvendo cebolas de dias curtos no Brasil, desenvolvidas especialmente para o país, a empresa já soma sete materiais comerciais que estão conquistando o mercado brasileiro.

A Bejo vem desenvolvendo forte trabalho no Nordeste, com ensaios de cultivares de cebolas, entre elas: Hacienda, Reforma, Raider, além da cebola roxa, Red Sensation. Também tem em seu portfólio a cebola Maragogi, muito precoce, adaptada para a região de Monte Alto/SP e cebola Alvara, que têm mais facilidade em se adaptar em várias regiões do Brasil, sob condições climáticas adversas.

As cenouras também tiveram seu espaço no campo: “A cenoura Natuna, que veio para dominar o mercado de inverno, é o carro-chefe hoje nesse segmento. Na oportunidade, também apresentamos todo o nosso programa tropical de cenouras, que vem muito forte, com foco na Tripoli, que é o nosso primeiro híbrido de verão e uma grande aposta no mercado”, conta Paulo Christians, diretor da Bejo Brasil.

A Bejo está sempre buscando o desenvolvimento de novas soluções, e por isso está trabalhando para uma grande revolução em rabanetes. Em 2020 acredita-se que um dos focos do evento será o lançamento do novo programa de rabanetes.

Sementes orgânicas

Desde o princípio a Bejo é, também para o produtor orgânico, um importante fornecedor, com garantia de qualidade, pois os mesmos padrões de qualidade das sementes convencionais estão em suas sementes orgânicas.

“A semente orgânica, durante todo seu processo de produção, foi conduzida no manejo orgânico, certificado, obedecendo a toda a legislação. Portanto, durante seu processo de produção, não recebeu nenhum tratamento não aprovado no manejo orgânico e nem no beneficiamento, que é a classificação, limpeza e embalagem. Todos os processos a que essas sementes são submetidas são aprovadas no manejo orgânico”, explica o diretor da Bejo Brasil.

A Bejo, hoje, tem mais de 120 cultivares de mais de 20 culturas diferentes, e no Brasil ela possui as primeiras variedades certificadas com o selo brasileiro da produção orgânica, disponíveis na loja virtual disponível em seu site www.bejo.com.br. Na loja o produtor profissional orgânico de hortaliças encontra sementes orgânicas e também sem tratamento químico.

As sementes sem tratamento químico da Bejo, destinadas ao cliente orgânico, são muito especiais e são submetidas exclusivamente a tratamentos físicos. “Na Bejo substituímos tratamentos químicos não autorizados na produção orgânica, por outros físicos aprovados, para garantir a mesma qualidade de toda e qualquer semente Bejo”, conta Paulo, diretor da Bejo.

Parceiros 2019

O campo demonstrativo foi dividido em estações, e dentro de cada uma delas havia subestações dos parceiros Bejo: Ihara, Agrolord, Yara, Sumitomo, STA Máquinas, Incotec, Vitasoil, Adama e Aqua do Brasil.

Ihara

 Há 11 anos a Ihara participa do Bejo a Campo, apresentando para os produtores, produtos essenciais para a horticultura.

Roberto Reis, administrador técnico de vendas, conta sobre os produtos apresentados aos produtores no evento. “Pensando em tempos de rastreabilidade, trouxemos produtos registrados para a cultura de hortifrúti com o Eco-Shot, que é um fungicida biológico, Eleitto, que é um inseticida pra multipragas, e Totalit, fungicida para requeima e míldio”, conta Roberto.

Agrolord

A Agrolord empresa atua no segmento de plasticultura há cinco anos, com vários produtos, entre eles, filmes para estufas, Ecolon para cobertura de solos, silo bolsa para grãos, slab para cultivo e Green Wrap para feno.

Pela segunda vez consecutiva o Agrolord participa do Bejo a Campo. Ricardo Toshiharu, engenheiro agrônomo, diz que demonstrou no campo o filme de cobertura de solo Dupla Face Ecolon, que proporciona vários benefícios, como controle do mato, manutenção da temperatura e umidade do solo. “Queremos ajudar o produtor no dia-a-dia, pois sabemos das dificuldades enfrentadas no campo com clima e mão de obra. Esse filme realmente proporciona benefícios para superar essas dificuldades”, explica Ricardo.

Yara

Fundada em 1905, a Yara é considerada, hoje, líder mundial em nutrição de plantas. No Brasil, possui sede em Porto Alegre (SC) e escritório em São Paulo e Paulínia (SP), cinco fábricas de produção e 24 unidades misturadoras de fertilizantes próprias, com presença nos principais polos de produção agrícola.

Bruno Dittrich, engenheiro agronômico da Yara Brasil, conta que os produtos apresentados no Bejo a Campo incluem tratamento para hortaliças, como Yara Basa. “É um produto específico para plantio, com todos os nutrientes no mesmo grânulo. Também apresentamos um produto para cobertura, que é o da linha NKálcio, que garante qualidade da folha e qualidade visual, essencial para comercializar hortaliças, e toda a linha de fertilizantes foliares, seja para nutrição ou para estímulo anti-estresse, estímulos fisiológicos para a planta”, explica Bruno.

Sumitomo Chemical

Lucas Martinez, representante técnico de vendas, falou sobre as tecnologias apresentadas. “Estamos trazendo algumas ferramentas de controle biológico de excelência. Em nossa estação utilizamos materiais da Bejo de brássicas, como repolho e couve-flor, e recomendamos e aplicamos um manejo mirando o controle de uma praga de difícil controle, que é a traça-das-crucíferas. As ferramentas XenTari e DiPel apresentam excelente eficiência neste alvo e em todo o complexo de lagartas das brássicas. Como solução apresentamos XenTari e DiPel tendo performance superior no manejo integrado de pragas, podendo ser utilizados em lavouras convencionais e orgânicas” explica Lucas.

STA Máquinas

Victor Hugo, representante comercial da linha de HF, falou sobre as máquinas que foram demonstradas no campo da Bejo. “Levamos a transplantadeira Ferrari, rotocanteirador Forigo e Stanhay, que é uma plantadeira de precisão, e a Panon Gab, uma plantadeira também de precisão, porém, para o pequeno produtor. O custo-benefício das máquinas que a STA é a durabilidade – são máquinas muito mais resistentes, com uma tecnologia avançada em precisão, preparo de solo, plantio, rendimento e produção”, conta Victor.

Incotec

A Incotec é uma empresa especialista em tecnologias para sementes, com atuação no Brasil há 20 anos. O objetivo da empresa é prover soluções para os mercados de sementes de grandes culturas e hortaliças, de maneira a contribuir para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável. Pelo segundo ano, a Incotec participa do Bejo a Campo, e levou para os produtores as mais inovadoras tecnologias.

Cristiane Alves, coordenadora de Pesquisa e Desenvolvimento na Incotec, destacou, entre os produtos: “o Cenokote, nossa incrustação para sementes de cenoura que melhora a distribuição no semeio e elimina a necessidade de raleio; e também o TopKote Thremocure 3.5 mm, uma combinação de pré-germinação e pelete para sementes de alface, que permite otimizar a mão de obra no semeio e melhorar o vigor e uniformidade das mudas. Na oportunidade, mostramos aos produtores os benefícios de se utilizar sementes recobertas e os efeitos da pré-germinação nas culturas abordadas”, conta Cristiane.

Vesica

Vesica é focada na tecnologia Vitasoil, que está no Brasil há cinco anos e comercialmente há dois, mas já utilizado em outros países há mais de uma década, como nos Estados Unidos.

João Paulo Costa, desenvolvimento técnico Brasil da empresa Vesica, explica que “Vitasoil é uma tecnologia única, de fácil utilização com respostas rápidas e exponenciais para qualquer cultivo pois atua nos microrganismos já existentes no solo e nas plantas. Trabalhamos proporcionando o equilíbrio microbiológico do ambiente de produção, solo x planta, tornando as plantas menos suscetíveis aos diversos estresses (bióticos e abióticos). Colocar estes bilhões de aliados ao nosso favor é a nova revolução da agricultura pois possibilita ao produtor dividir as tarefas inerentes ao cultivo, otimizando o uso dos fertilizantes, corretivos, defensivos, biológicos e explora muito mais o verdadeiro potencial genético das plantas”, explica João Paulo.

Adama

A Adama Brasil, uma das maiores empresas de proteção de cultivos no mundo, apresentou produto inovador no evento.

Norberto Luiz Oliveira Neto, responsável pelo desenvolvimento de mercado da Adama Brasil, discorreu sobre a solução inovadora apresentada no Bejo a Campo. “Apresentamos o Nimitz, o primeiro nematicida verdadeiro do mercado, um produto específico para o controle de fitonematoides que proporciona alta segurança, tanto para o homem quanto para o meio ambiente, e uma alta eficiência de controle”, explica Norberto.

De olho nas novidades

O produtor de alface do Pinhalzinho (SP), Pedro Junior, produz em média 30 mil pés de alface por semana. O mesmo esteve no Bejo a Campo para conferir as novidades apresentadas para a cultura. “Há cinco anos venho ao evento e cada vez levo para casa uma novidade. Neste ano a novidade na cultura da alface foi de grande importância, uma solicitação dos produtores de alface. Fomos atendidos e no ano que vem estaremos aqui novamente em busca de garantir maior produtividade em nossas plantações”, conta Pedro. Bruno Nakati é produtor de todas as culturas de folhagem no processo de hidroponia. Sua produção está localizada em Ibiúna (SP) e ficou muito satisfeito com o 13° Bejo a Campo. “Há quatro anos comparecemos no evento em busca de novidades e a Bejo sempre está lançando um produto novo. Sempre testamos esses produtos e por isso hoje utilizamos em nossa produção as sementes da Bejo”, conta o produtor.