66% da semente da soja é tratada na indústria

0
413

Autores

Daniele Brandstetter RodriguesEngenheira agrônoma e doutora em Ciência e Tecnologia de Sementesufpelbrandstetter@hotmail.com

Erica Camila Zielinski Engenheira agrônoma e mestranda em Produção Vegetal – Universidade Federal do Paraná (UFPR)ericacamilazielinski@gmail.com

Daniela AndradeEngenheira agrônoma e mestra em Fitotecniadaniela.agronomia@hotmail.com

Tratamento de sementes – Crédito: Momesso

O sucesso na implantação de uma lavoura está associado à qualidade da semente utilizada, bem como à proteção que ela recebe. Dessa forma, para um bom estabelecimento e desenvolvimento da semente é necessário que esta seja protegida de microrganismos e insetos que possam danificá-la. Por isso o tratamento de sementes é um dos fatores essenciais para a obtenção de uma lavoura uniforme e, consequentemente, de alta produtividade.

Primeiramente, é importante destacar que o tratamento de sementes de soja ocorre em duas modalidades atualmente, que são o chamado on farm, realizado diretamente na fazenda, e o tratamento industrial de sementes (TSI).

Entre um e outro

Existem diferenças significativas no tratamento entre estas duas maneiras. No tratamento de sementes on farm o nível de precisão e tecnologia, a priopri, é inferior ao TSI, devido à dificuldade de realizar a dosagem correta dos produtos e uma cobertura uniforme da semente, além de oferecer maiores riscos à saúde.

No entanto, esse tipo de tratamento oferece ao produtor o critério de escolha dos produtos a serem utilizados. Já o tipo TSI tem a grande vantagem ter um nível de tecnologia agregado, podendo ser realizado no pré-ensaque, antes do armazenamento ou no momento da entrega das sementes ao produtor.

A maioria da comercialização de semente de soja é feita com TSI incluso, possivelmente pelos seguintes benefícios: proteção às sementes e plântulas contra fungos de solo, evitar o desenvolvimento de epidemias no campo, maior precisão do volume de calda e na dose de produtos por unidade de semente, melhor cobertura da semente com o produto químico (uniformização), menor risco de intoxicação dos operadores e maiores rendimentos por hora.

Além do mais, alguns produtores preferem adquirir as sementes já tratadas (TSI), por agregar maior praticidade ao sistema produtivo, afirmando-se o porquê da maior quantidade de sementes tratadas serem oriundas do tratamento industrial ao invés do on farm.

Benefícios do tratamento de sementes

O tratamento de sementes, atualmente, é de vital importância para o controle de doenças e insetos que tanto acometem as plantas no seu desenvolvimento inicial. Alguns produtos, inclusive, expressam efeitos aditivos benéficos na garantia da expressão do vigor no estabelecimento das culturas.

Ainda, o tratamento inúmeras vezes contribui para que o produtor postergue pulverizações, então, o TSI acaba sendo, de fato, efetuado por parte dos agricultores em virtude da sua eficácia sistêmica e efeito residual após semeadura.

Culturas beneficiadas

 As culturas que atualmente utilizam o tratamento químico de sementes no Brasil são: mais de 90% de soja, milho algodão, mais de 70% de trigo e mais de 50% de arroz (Peske e Platzen, 2019).

Manejo

Para a implantação do tratamento de sementes industrial, é necessário ter uma estrutura específica, com máquinas especializadas para realização do tratamento. O processo consiste na utilização de sementes testadas, dentro dos padrões de qualidade estabelecidos, na qual são adicionados os produtos do tratamento como fungicida e inseticida diluídos em água, acrescidos de corante e polímero. Caso sejam utilizados organismos biológicos no processo, os mesmos são adicionados separadamente da calda, quase na hora do plantio.

Para a aplicação do TSI, as sementes passam por uma esteira que realiza a correção do peso com a dosagem que deve ser aplicada e os produtos são adicionados por meio de jatos dirigidos, permitindo uniformidade de distribuição.

Após esse processo, pode ser realizada adição de pó secante, com o intuito de deixar a semente mais uniforme e lisa para a etapa de plantio. Após o tratamento, outra etapa de testes é realizada nos lotes tratados, visando verificar se o processo e os produtos utilizados não afetaram a qualidade da semente. Caso aprovado, a semente estará pronta para a comercialização.

Produtividade

Considerando a produtividade da propriedade, o TSI possibilita maior agilidade para o produtor no momento do plantio, visto que as sementes já chegam prontas, tornando o processo mais rápido e produtivo, sendo necessário menor dispêndio de tempo e equipamentos, possibilitando maior assertividade na janela produtiva.

Em campo

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.