A biotecnologia no controle de pragas

0
7

Isabella Rubio Cabral
Graduanda em Ciências Biológicas – UNESP/Botucatu
rubioisabella05@gmail.com
Rodrigo Donizeti Faria
rdfaria13@gmail.com
Ana Paula Santana Lima
ana.lima9a@gmail.com
Matheus Gerage Sacilotto
mgsacilotto@gmail.com

Doutorandos em Proteção de Plantas -UNESP/Botucatu

A cana-de-açúcar é uma das culturas mais importantes no mundo. O sucesso e aumento na produção de álcool e açúcar é atribuído ao potencial da biotecnologia em melhorar características que são economicamente importantes, como a maior resistência da cultura a doenças e pragas, aumento do teor de sacarose e tolerância a herbicidas.
Apesar do rápido crescimento e acúmulo elevado de biomassa, bem como ampla distribuição mundial, a ocorrência de insetos-praga pode ocasionar altas perdas de produtividade nos canaviais, levando à redução da produção de açúcar e etanol, e elevando o custo de produção.
O melhoramento genético tradicional pode ser amplamente beneficiado pelo rápido progresso da engenharia genética. A introgressão de características que aumentem a resistência aos insetos é uma estratégia econômica viável que reflete na sustentabilidade e aumento da produtividade da cultura.
O uso da engenharia genética na cana-de-açúcar é relativamente recente. A expansão das lavouras canavieiras e as dificuldades associadas ao melhoramento convencional, limitado pelo genoma complexo da cultura, tornam a biotecnologia uma abordagem emergente.

Importância econômica

O Brasil situa-se como maior produtor mundial da cana-de-açúcar, com produção de 665.105,0 milhões de toneladas na safra de 2020/21, e segundo estimativas do Centro Cana IAC/APTA, o uso de canas transgênicas pode aumentar em 30% a produtividade agrícola e beneficiar a qualidade dos canaviais.
Mas, vale destacar que o aprimoramento e desenvolvimento de novas tecnologias também impactam e trazem uma nova perspectiva para futuras demandas mundiais de energia.

Importância de novas táticas de manejo

Diversas espécies de insetos-praga são capazes de causar danos significativos à cultura da cana-de-açúcar. Diante desse cenário, é imprescindível a realização do monitoramento e controle desses organismos. No entanto, não se deve apostar apenas em uma estratégia de manejo.
A utilização isolada de inseticidas sintéticos, por exemplo, pode não ser eficiente para o controle de algumas das pragas da cana ou, em alguns casos, seu uso indiscriminado pode causar a seleção de populações de insetos resistentes. Além disso, o uso de produtos com amplo espectro de ação pode afetar insetos benéficos, como os inimigos naturais e polinizadores. Desse modo, novas táticas de manejo devem ser incrementadas às áreas de cultivo.
O Manejo Integrado de Pragas (MIP) visa a utilização de um conjunto de táticas de controle para reduzir as populações de pragas no campo. Nesse sistema, diferentes estratégias podem ser adotadas, entre elas o controle biológico, resistência de plantas, controle genético, controle químico, entre outros.

Na prática

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.