Inicio Revistas Hortifrúti A forma certa de plantar jiló

A forma certa de plantar jiló

0
2292

André Rocha

Engenheiro agrônomo e consultor em Agronegócio

Crédito Luize Hess
Crédito Luize Hess

Embora muitos achem que o jiló é um legume, trata-se de um fruto, assim como o quiabo. A planta pode alcançar 1,5 m, sendo, portanto, uma espécie arbustiva.Já as flores são brancas, florescendo de duas a três em um mesmo ramo. O formato do jiló pode variar entre o oblongo, o alongado e o esférico, dependendo da variedade.

Características

O jiló é uma cultura que se desenvolve bem em solos com boa drenagem, férteis, com bastante matéria orgânica, além de nitrogênio. Pertencente à família das solanáceas, originária da África, mais precisamente da Nigéria, no Brasil os maiores produtores de jiló são Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.

Dentre as cultivares mais conhecidas no Brasil temos a Morro Grande, a Rei do Verde, a Comprido Verde-claro e a Tinguá. Estas últimas são bastante resistentes à antracnose e à murcha-bacteriana.

Por onde começar

O jiló pode ser cultivado no sistema convencional, com procedimentos básicos, como aração, gradagem, plantio a céu aberto, adubação, preparo das sementes, irrigação, tratos culturais e colheita.

Outra forma de cultivar o jiló é por meio do sistema de cultivo protegido, no interior de casas de vegetação ou túneis, onde o produtor tem o total controle, como da temperatura e da umidade, o que proporciona um melhor desenvolvimento da cultura.

O plantio

O jiló é uma planta que se adapta muito bem a regiões de clima quente. É altamente produtivo em temperaturas em torno de 30°C. Por isso, no Brasil, a melhor época para o plantio vai de setembro a fevereiro.

Tratos culturais

O jiló se desenvolve bem em solos com boa drenagem, férteis, com bastante matéria orgânica, além de nitrogênio. Quanto ao pH, este deve alcançar 5,6 e 6,6.A irrigação do solo deve ser feita constantemente, mas este deve ser bem drenado para não apodrecer a planta. Uma boa sugestão é usar o sistema de irrigação por gotejamento.

A cultura do jiló deve ser mantida no limpo, por meio de capinas manuais ou ainda microtratores.

Como a planta pode alcançar 1,5 m, é necessário que se faça o estaqueamento, com estacas em torno de 80 cm, para que a planta não quebre.

Fitossanidade

O produtor de jiló deve sempre observar se a planta está sendo atacada por doenças, como antracnose, murcha-bacteriana ou ainda nematoides, para iniciar o seu controle e evitar prejuízos à cultura. O mesmo deve ser feito em relação a pragas, como a lagarta-rosca ou a mosca-branca.

A colheita

A colheita do jiló se inicia entre 90 e 150 dias após o plantio, podendo se estender por mais três meses. O ponto de colheita é quando os frutos ainda estão verdes, ou seja, imaturos. Dessa forma, o jiló apresentará um aspecto mais tenro, com o sabor menos amargo, ideal para a sua comercialização.

Essa matéria você encontra na edição de outubro 2016  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua.

SEM COMENTÁRIO