Inicio Revistas Hortifrúti A hora certa de plantar morangos

A hora certa de plantar morangos

0
509

José Mauro de Sousa Balbino

Engenheiro agrônomo, doutor em Fisiologia Vegetal e pesquisador do Incaper

balbino@incaper.es.gov.br

 

 Crédito Shutterstock
Crédito Shutterstock

O plantio de morangos depende do clima da região de cultivo, variando do final de fevereiro a fins de abril. O plantio escalonado (até junho), em regiões frias, permite estender a colheita de frutos de melhor qualidade, obtidos das primeiras floradas. Já o cultivo protegido pode permitir, em alguns casos, que o produtor tenha a fruta durante todo o ano.

Quanto aos aspectos climáticos, o principal fator que limita e tem definido as condições que tornam apta uma determinada região para o cultivo do morangueiro é a temperatura, seguido da disponibilidade hídrica.

Condições para o morangueiro

A espécie de morango cultivada desenvolve-se sob condições de clima temperado e subtropical, sendo apontada como referência a faixa de temperatura de 13 a 26°C como condição propícia para a floração e frutificação. Sob temperaturas constantes, acima de 28°C há inibição da floração e abaixo de 3°C o risco de danos por geadas. Portanto, é fundamental verificar essas referências para se tomar a decisão pelo cultivo do morangueiro em determinada localidade.

Embora as condições climáticas do Brasil possuam um amplo potencial para o cultivo do morangueiro, sua principal produção é oriunda das regiões sudeste e sul, com destaque para o Estado de Minas Gerais, principal produtor nacional, seguido de São Paulo, sendo que ambos são responsáveis por aproximadamente 65% da produção do País.

Outros Estados que têm o morango tradicionalmente cultivado e como uma atividade importante para sua economia e em termos sociais são o Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Espírito Santo e Rio de Janeiro.

Morango em mulching e sob túnel - Crédito José Mauro de Sousa Balbino
Morango em mulching e sob túnel – Crédito José Mauro de Sousa Balbino

Exigências climáticas

Tem ocorrido, nos últimos anos, um grande avanço tecnológico no cultivo comercial do morangueiro no Brasil, desde as mudanças no sistema de cultivo, envolvendo a melhoria no processo de produção das mudas, passando pela introdução de novos materiais genéticos, permitindo condições de cultivo durante todo o ano, associado, entre outros fatores,a fertirrigação e o cultivo protegido.

Embora se tenha considerado anteriormente a temperatura do ambiente como o principal fator para o estabelecimento do potencial de uma região para o cultivo do morango, para a definição da época de plantio e para o seu desempenho produtivo tem que ser considerado, também, o fator ambiental fotoperíodo, que é a capacidade da planta de detectar e responder ao comprimento do dia. Essa condição ambiental é primordial para que ela passe da fase vegetativa para a reprodutiva.

Sendo o local apto para o cultivo do morangueiro, a interação entre fotoperíodo e temperatura irá definir as estratégias tecnológicas para o seu cultivo, pois é dessa condição é que se vai propor a época de plantio, a(s) cultivar(es) a serem plantadas e, consequentemente, o manejo específico.

 

Plantios muito antecipados ampliam a permanência das plantas no campo sem o estímulo para o florescimento - Crédito José Mauro de Sousa Balbino
Plantios muito antecipados ampliam a permanência das plantas no campo sem o estímulo para o florescimento – Crédito José Mauro de Sousa Balbino

Ciclo das cultivares

Quanto ao fotoperíodo ao longo de vários anos, o cultivo do morangueiro no Brasil ocorreu com o uso de cultivares classificadas como de dias curtos (CDC), que ainda hoje predominam no País.

Denominam-se cultivares de dias curtos aquelas que florescem normalmente ao serem estimuladas por um comprimento de dia menor do que um valor crítico do dia, dentro de seu ciclo de 24 horas.

Mas, atualmente, encontram-se também disponíveis para o cultivo do morangueiro as cultivares de dias neutros (CDN), que vêm permitindo ampliar as estratégias para o cultivo desse fruto no Brasil. Essas cultivares independem do fotoperíodo para o estímulo do seu florescimento, permitindo a sua produção durante praticamente todo o ano nas regiões tradicionais.

Portanto, é fundamental o conhecimento das condições locais e do potencial das cultivares para se definir o planejamento para o empreendimento e as estratégias a serem adotadas.

 Crédito Shutterstock
Crédito Shutterstock

Dicas importantes

Plantios muito antecipados ampliam a permanência das plantas no campo sem o estímulo para o florescimento, e se tardio pode levar as plantas a florescerem com o estágio de desenvolvimento vegetativo não adequado para sustentarem a produção (plantas pequenas e pouco enraizadas). É fundamental que se tenha um equilíbrio entre o vigor da planta e a sua florada e produção de frutos.

Por exemplo, no Estado do Espírito Santo, considerando o cultivo de morangueiros de dias curtos, como orientação geral recomenda-se que, para as áreas tradicionais, situadas em altitudes acima de 750 metros, o plantio seja realizado entre os meses de março e abril, podendo ser antecipado um pouco mais para as regiões de altitudes mais elevadas, as quais apresentam normalmente um histórico de temperaturas baixas mais cedo.

Nessas condições, o início da produção se dá 60 a 80 dias após o plantio. É necessário ratificar que essas situações devem ser verificadas para as diferentes regiões, devido à interação do comprimento do dia com a temperatura, quanto ao estímulo ao florescimento.

Nesse sentido, há locais no País que o plantio se estende até meados do mês de maio para as CDC. Pode contribuir para issoa própria origem das mudas. Neste caso, a quantidade de frio recebida por elas antes do plantio poderá afetar o seu desempenho em termos do florescimento e consequente frutificação.

 

Essa matéria completa você encontra na edição de junho 2017  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua para leitura integral.

 

SEM COMENTÁRIO