Semente é muito mais que um insumo?

0
178

Autores

Amanda Carvalho Penido
Engenheira agrônoma e mestre em Agronomia/Fitotecnia – Universidade Federal de Lavras (UFLA)
apenidoufla@gmail.com
Leandro Vilela Reis
Engenheiro agrônomo e doutorando em Agronomia/Fitotecnia – UFLA
Everson Reis Carvalho
Engenheiro agrônomo, doutor em Agronomia/Fitotecnia e professor adjunto – UFLA
Venicius Urbano Vilela Reis
Graduando em Agronomia – UFLA
Crédito – Shutterstock

O sucesso de uma lavoura pode ser baseado em três pilares essenciais para agricultura: a terra, como sustentação física e veículo de água, ar e nutrientes para as plantas; o homem, responsável pelo manejo no campo; e a semente, que além de ser o meio de perpetuação da maioria das espécies, transfere toda a tecnologia gerada após anos de melhoramento da cultura.

Durante todo o processo de produção da semente até chegar ao agricultor com a qualidade desejada, é necessário um planejamento correto e um controle de qualidade eficiente em todas as etapas de produção, que é feito por uma equipe qualificada e treinada para tal, pois a produção de sementes exige cuidados específicos e distintos da produção de grãos.

Pilares

A semente de elevada qualidade está diretamente relacionada a quatro atributos primordiais, que são a base para obter sucesso na implantação da lavoura: qualidade genética, física, sanitária e fisiológica. Estes atributos de qualidade, isoladamente e em associação, são responsáveis pelo estabelecimento correto da população de plantas desejado para a cultura, em função da cultivar ou híbrido, maiores tolerâncias a possíveis condições adversas durante o estabelecimento, bom desenvolvimento inicial das plântulas e, consequentemente, das plantas até o final do ciclo. Estes aspectos são essenciais para que sejam alcançados altos níveis de produtividade.

Não confunda

A diferença básica entre semente e grão é que este último não tem garantias de nenhum desses atributos de qualidade. O grão pode até germinar e muitas vezes o produtor opta por utilizá-lo, porém, estará colocando em risco todo o investimento feito na lavoura e também seu retorno financeiro.

O uso de diversas tecnologias agrícolas avançadas nos campos de produção de grãos, como agricultura de precisão, uso de produtos fitossanitários de última geração e programas nutricionais de alta performance terão sua eficiência reduzida, ou não proporcionarão todos os ganhos produtivos potenciais se as sementes não apresentarem alta qualidade.

Uma analogia ilustra bem essa situação: “Usar alta tecnologia de produção de grãos com sementes de baixa qualidade é como colocar combustível de avião em um fusca – o rendimento estará limitado e a máxima performance não será alcançada”.  

Componentes da qualidade de sementes

Os atributos de qualidade das sementes são importantes, pois a qualidade genética se refere às características que foram selecionadas por meio do melhoramento genético e pesquisas. Esse atributo garante a pureza genética do material, uniformidade e assegura todas as características agronômicas da futura planta, como ciclo, produtividade, resistência a doenças e pragas, tolerância a herbicidas e rendimento de grãos desejados.

Esses fatores são de suma importância para o agricultor obter sucesso em seu empreendimento e alcançar altas produtividades na cultura. O atributo físico garante ao agricultor sementes com alta pureza, ou seja, que realmente esteja comprando/comercializando aquelas sementes desejadas, e não outros materiais por preço de sementes.

As características físicas estão relacionadas ao tamanho, umidade, pedaços de sementes, outras sementes cultivadas, plantas daninhas, torrões e outras impurezas vegetais, como restos culturais. 

Esses fatores podem influenciar no sucesso da lavoura e, consequentemente, na produtividade e rentabilidade final. Além disso, sementes com alta qualidade física apresentam uniformidade no tamanho e na forma, o que permite maior assertividade na distribuição das sementes na semeadura, favorecendo o arranjo final das plantas e, assim, a produtividade.

Sanidade em primeiro plano

A qualidade sanitária está ligada à ausência de pragas e doenças nas sementes, que são hoje um dos principais problemas enfrentados pelos produtores. Portanto, a escolha de uma semente com bons aspectos sanitários favorece uma implantação da cultura com maior segurança e redução de custos, devido à menor ocorrência de patógenos inicias.

A exemplo, na cultura da soja este atributo é fundamental, pois segundo pesquisas, a presença de patógenos na semente afeta diretamente a germinação, o vigor e produtividade da cultura. Os fungos como Phomopsis spp., Fusarium spp. e Colletotrichum spp. presentes na semente durante o armazenamento contribuem para a redução da germinação e, como consequência, no estande em campo.

Além disso, a disseminação de mofo branco (Sclerotinia sclerotiorum) através das estruturas de resistência (escleródios) misturadas às sementes pode causar sérios prejuízos aos campos onde é cultivada soja ou feijão.

Por isso, a utilização de sementes certificadas, com garantia de qualidade da empresa sementeira, deve ser ressaltada. Os produtores que adquirem sementes piratas podem estar levando para seu campo todos esses problemas citados anteriormente e, como consequência, uma redução na produtividade da lavoura e maiores gastos com defensivos agrícolas para controlar o problema, ou mesmo as sementes salvas, pois muitas vezes esses aspectos não são observados e avaliados de forma suficiente.

Fisiologia

A qualidade fisiológica envolve características importantíssimas, como a germinação e o vigor das sementes. A germinação se refere à capacidade germinativa do lote de sementes em condições ideias, que apesar de dificilmente ser atingida em condições de campo, é utilizada como teste padrão por sua facilidade de reprodutibilidade em diferentes laboratórios.

Na prática, a maior porcentagem de germinação de um lote significa uma menor ocorrência de falhas em campo e, com isso, menor necessidade de compensação da quantidade de sementes a serem semeadas, ou seja, quanto maior o valor de germinação de um lote, melhor tende a ser sua relação custo/benefício.   

Já o vigor é conceituado tanto pela ISTA (Associação Internacional de Análise de Sementes) quanto pela AOSA (Associação Oficial de Analistas de Sementes) como “aquelas propriedades das sementes que determinam o seu potencial para uma emergência rápida e uniforme e o desenvolvimento de plântulas normais sob ampla diversidade de condições ambientais”.

Vigor se trata da “força propulsora” da semente para a formação da nova planta e bom estabelecimento da lavoura. É testado em condições desfavoráveis, como frio, calor e excesso de umidade, que são comumente encontradas no campo, exigindo grande capacidade da semente em superar essas condições de estresses.

Em teste

Embora não seja obrigatória a realização de teste de vigor para comercialização de sementes no Brasil, ou seja, não existem padrões oficiais pelo MAPA, esses testes são ferramentas de grande valia para os produtores, pois muitas vezes sementes de alta capacidade germinativa podem, em algumas situações, apresentar baixo vigor em campo, devido às condições adversas, o que reflete na performance produtiva da lavoura. Por isso os testes de vigor são relevantes para se conhecer as potencialidades dos lotes de forma completa.

A exemplo de situações de estresses enfrentadas no campo estão: semeadura em profundidade excessiva, compactação superficial do sulco de semeadura, assoreamento em consequência da ocorrência de chuvas intensas após a semeadura, semeadura em condições de solo com baixas temperaturas ou temperaturas excessivamente elevadas, ataque de patógenos de solo à semente e ocorrência de veranicos após a semeadura, ou seja, baixa disponibilidade hídrica.

Saindo na frente

A utilização de sementes vigorosas apresenta como vantagem a maior capacidade de superar essas situações e contribuir para o estabelecimento do número adequado de plantas, com potencial e força mesmo sob condições estressantes.

Essa vantagem já seria o suficiente para justificar a utilização de lotes de sementes mais vigorosas, e sabe-se que elas também garantem maior potencial produtivo.

Efeito do vigor sobre a produtividade

Sementes vigorosas apresentam maior capacidade de formação de plantas de alto desempenho, com melhor estrutura de parte aérea e sistema radicular mais profundo, que aproveitam com mais eficiência água, luz e nutrientes para seu desenvolvimento, formando lavouras altamente produtivas.

O aumento de produtividade devido à utilização de sementes de alto vigor já foi comprovado em várias pesquisas para diversas culturas, como exemplo, soja, milho, feijão, arroz e algodão, em destaque os trabalhos realizados pela Embrapa Soja, que demonstraram aumentos de até 10% na produtividade da soja, apenas com o uso de sementes de alto vigor (França Neto et al., 2016).

Outro estudo na cultura da soja a ser destacado foi o realizado por Bagateli et al. (2019), em que no intervalo de 65 a 95% de vigor, determinados pelo teste de envelhecimento acelerado, constatou-se um aumento de até 28 kg de grão.ha-1 por ponto de vigor da semente.

Apesar da existência de informações que comprovam as vantagens da utilização de sementes de alta qualidade, essas ainda estão em processo de difusão no campo e precisam chegar aos agricultores, seja por treinamentos ou ações de marketing, deixando claro as vantagens e mostrando a relação custo/benefício.

Felizmente, empresas estão promovendo as sementes de qualidade em seus dias de campo, com demonstrações visuais dos benefícios da utilização de sementes de alta qualidade, difundindo os conhecimentos acadêmicos de forma aplicada aos agricultores.

Também merecem destaque as sementeiras que estão ofertando no mercado lotes de sementes com vigor mais elevado e germinação bem superior à mínima exigida legalmente, em marcas e programas diferenciados, que são uma ferramenta de marketing das vantagens de se utilizar sementes de alto vigor e seus reflexos para uma maior produtividade e lucro para os agricultores.

A semente não pode ser considerada apenas pelo seu custo, mas sim pelo valor agregado dos atributos da qualidade que ela carrega, que irão permitir um estabelecimento rápido e uniforme da lavoura, com plantas sadias e de alto desempenho, sendo a utilização de sementes de alta qualidade uma das formas mais baratas para elevar o potencial produtivo de uma lavoura e garantir a efetividade de todas as outras tecnologias de produção utilizadas   


Fique atento

Ao constituir uma lavoura, antes mesmo que uma única plântula tenha emergido, mais da metade do investimento necessário à produção já foi consumido e, ao mesmo tempo, grande parte do potencial produtivo já definido, em função do preparo do solo e adubação, qualidade da semente e da semeadura e das condições e épocas de implantação.

Por esse motivo, além da utilização de sementes de alta qualidade, é de extrema importância o tratamento de sementes bem feito, ou seja, sem causar qualquer dano à semente e com garantia da dose aplicada, para proteger essa matéria-prima de alto valor, e uma semeadura com precisão e qualidade, afim do estabelecimento de um estande de plantas ideal e uniforme, um dos principais preceitos para altas produtividades.

Em suma, para se obter altas produtividades e maior lucratividade é necessário dar atenção aos detalhes, dentre eles a escolha da semente. “A semente é o futuro da produção, sendo assim, o insumo mais determinante e mais frágil de todo ciclo produtivo da cultura”.