24.9 C
Uberlândia
sexta-feira, abril 12, 2024
- Publicidade -
InícioNotíciasA tecnologia como alavanca para conectar o meio rural com a cidade

A tecnologia como alavanca para conectar o meio rural com a cidade

*Artigo por Cristian Dias, 33 anos, Head comercial e de negócios na Agroraiz 360.

Créditos Pixabay

Podemos afirmar que a pandemia da Covid-19 trouxe um novo pensar, um novo senso de urgência para as coisas do dia a dia das pessoas, que em última análise, e de forma simples, direcionará hábitos de consumo, preocupações e interesses durante os próximos anos. 

Adicione, neste contexto, a multiplicidade e instantaneidade que a Internet passou a permitir, mesmo com ações restritivas ou manipulativas, fazendo com que as reações ou opções sejam imediatas.

Nessa mesma linha é possível afirmar, também, que se antes as preocupações com o meio ambiente, questões sociais e de governança eram significativas, hoje passaram a ter uma relevância ainda maior, impulsionadas por situações climáticas extremas (recordes de temperaturas positivas e negativas, etc.), pela insatisfação geral com o status das coisas.

A própria internet é uma amostra (bem simples) do que seria a última linha para   representar os grandes avanços tecnológicos, em praticamente todos os segmentos de atividades da sociedade.

Com base na análise da convergência de todas estas linhas, propomos um debate e reflexão do que consideramos como tendências principais para a Tecnologia do Agronegócio.

Uma das bases utilizadas para esta análise vem da Embrapa, com a oferta de proposta de qualidade e conteúdo excepcionais, ao demonstrar e certificar a força do agronegócio brasileiro credenciando as instituições do país como referências globais.

A partir das (Mega) Tendências identificadas pela Embrapa, procuramos associar as linhas que ao nosso ver impulsionaram (ainda mais) as tendências visualizadas para o Agronegócio.

Não queremos dizer que uma linha não influencia mais do que as assinaladas; utilizamos desta forma como meio de facilitação para o entendimento de nossa abordagem, sem distorcer ou prejudicar o conteúdo e objetivo da informação.

Antes de abordarmos Tecnologia, vale a menção em ESG – Environmental, Social e Governance. Este é um fator de condicionamento que tem ganhado força como exigência efetiva e de execução para manter a atividade e a presença nos negócios.

A Tecnologia é a grande energia catalisadora das diversas iniciativas, pois permite que as possibilidades e as oportunidades se multipliquem, fomentando a inovação, a transformação do campo e aumentando a produtividade.

Biorrevolução 

Quando falamos em biorrevolução, a destacamos como representante dos avanços das ciências biológicas, que, associados ao desenvolvimento acelerado das tecnologias de informação e comunicação, terão impactos significativos nas economias, saúde, agricultura e energia; na agricultura, avanços biológicos têm sido utilizados para ganhos de produtividade, controle de pragas e geração de novas fontes de energia. (McKinsey Global Institute, 2020.)

Integração de conhecimento e de tecnologias 

O rápido processo de desenvolvimento tecnológico, inteligência artificial, digitalização e biorrevolução no agro, acompanhado por avanços disruptivos das ciências na fronteira do conhecimento, transformará os sistemas agrícolas e agroalimentares com maior eficiência, resiliência e sustentabilidade no futuro. 

Esse progresso requer o aproveitamento de recursos variados de conhecimentos, por meio da ciência e tecnologia, com nova abordagem de pesquisa convergente, integradora e com equipes transdisciplinares. 

Cristian Dias, Head Comercial e de Negócios, na Agroraiz 360/Divulgação

Intensificação tecnológica e concentração da produção

Esta megatendência contempla sinais e tendências da produção agrícola brasileira – como intensificação e localização geográfica e do mercado internacional – no que se refere ao crescimento das exportações e acesso aos novos mercados. 

Agrodigital

Diversas forças das Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) vêm moldando as mais diferentes cadeias produtivas em todos os setores econômicos. 

As tecnologias emergentes, como IoT, big data, 5G, realidade aumentada, computação quântica, robótica, sensores, impressão 3D e 4D, integração de sistemas, conectividade ubíqua, inteligência artificial (IA), Machine Learning – ML e blockchain, entre outras, estão impulsionando uma revolução no campo, caracterizando o chamado processo de digitalização do agro. 

Essas tecnologias têm impactado o agro de maneira similar ao que ocorreu no setor nas primeiras décadas do século XX, com a mecanização agrícola. Estão causando e causarão ainda mais aumento de rendimento, redução de custos e de impacto ambiental. 

Se por um lado a transformação digital representa uma oportunidade, por outro há o desafio de conectividade no meio rural e a ameaça de crescimento do hiato entre o produtor mais tecnificado e aquele incapaz de aderir a esse novo modelo.

Um recente estudo publicado pela McKinsey & Company, – Mckinsey Technology Trends Outlook 2022 – também traz indicativos de alta qualidade, oferecendo um olhar sobre o Agronegócio.

As (Mega) Tendências são divididas em dois grupos:

  • Silicon Age, que engloba as tecnologias digitais e de informação: são tendências baseadas em tecnologias comprovadas e maduras – IA aplicada, conectividade avançada, bioengenharia e computação em nuvem, borda e tem maior atratividade; são consideradas grandes fatores de inovação, de mais interesse e tem mais investimentos do que tendências baseadas em tecnologias em estágios iniciais de desenvolvimento;
  • Engineering Tomorrow, que engloba as tecnologias físicas em áreas como energia e mobilidade: são tendências que têm alinhamento próximo às prioridades de sustentabilidade. Essas tendências — chamadas de energia limpa do futuro, consumo sustentável do futuro, e mobilidade do futuro — também começam a mostrar níveis crescentes de inovação, interesse e investimento;

O estudo destaca, ainda, um grupo de ferramentas digitais mais recentes e não totalmente comprovadas, mas que alimentam um conjunto de tendências emergentes: a industrialização de Machine Learning , tecnologias de realidade imersiva, arquitetura confiável (Trust Architecture, Zero Trust Architecture) e identidade digital, software de desenvolvimento de última geração e tecnologia quântica.

Graças a esses níveis de desenvolvimentos disruptivos que a  tecnologia da informação oferece, junto com a necessidade por maiores produtividade e eficiência para atender demandas crescentes,  esta combinação tem permitido  trazer enormes benefícios para o setor do agronegócio, auxiliando as empresas deste ecossistema durante seus processos de transformação digital, com transparência, agilidade e segurança, mantendo este segmento como um dos mais competitivos da indústria brasileira e referência mundial, ao mesmo tempo alinhados com as expectativas da sociedade e de ESG. 

ARTIGOS RELACIONADOS

Empresa do agro abre mais de 400 vagas de trabalho em todo o Brasil

Maior distribuidora e redistribuidora de insumos agrícolas da América Latina, tem oportunidades para profissionais de diversas áreas e formações acadêmicas

EPAMIG comemora 50 anos

Unidade é referência no Melhoramento Genético do Gir Leiteiro e em pesquisas com soja.

Sensor de plantio para sementes graúdas é lançado na Agrishow

Sidereus ajuda a evitar falhas na operação, reduzir desperdícios e erros na semeadura que podem comprometer a produtividade

A inovação dos pisos radiantes

Os pisos radiantes (aquecidos) além de promoverem um conforto tátil nas superfícies também têm ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!