31 C
Uberlândia
sexta-feira, julho 12, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioDestaquesABCSEM lançará projeto de resistência ao míldio em alfaces na Hortitec 2024

ABCSEM lançará projeto de resistência ao míldio em alfaces na Hortitec 2024

Crédito: Gustavo Takeshi – EnzaZaden

A Associação Brasileira do Comércio de Sementes e Mudas (ABCSEM) estará presente na Hortitec 2024, a maior exposição técnica de horticultura, cultivo protegido e culturas intensivas do Brasil, que ocorrerá de 19 a 21 de junho, em Holambra (SP).

Na ocasião, a ABCSEM promoverá o lançamento do Projeto Bremia, uma iniciativa inovadora realizada em parceria com a Universidade Estadual Paulista (UNESP) e a Fundação de Apoio à Pesquisa, Ensino e Extensão (FUNEP). O projeto, focado no monitoramento das raças de míldio em alface (Bremia lactucae Regel) e no desenvolvimento de cultivares de alface resistentes, visa combater uma das principais doenças que afetam a cultura da alface no Brasil e no mundo.

PROJETO BREMIA: INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE

O Projeto Bremia é de suma importância para o setor hortícola, pois a alface é a hortaliça folhosa mais consumida no país e em várias partes do mundo. O míldio, causado por um fungo que pode devastar plantações inteiras, pode trazer enormes prejuízos econômicos aos produtores. Portanto, desenvolver cultivares resistentes a essa doença, contribui para uma produção mais segura, com alimentos mais saudáveis, além de aumentar a sustentabilidade do cultivo.

De acordo com a Secretária Executiva da ABCSEM, Mariana Barreto, “a entidade está empenhada em desenvolver soluções que impactem positivamente toda a cadeia produtiva da alface e o Projeto Bremia é um exemplo claro de como a colaboração entre instituições acadêmicas e o setor privado pode trazer avanços significativos para a horticultura”.

A iniciativa nasceu de uma demanda dos associados da ABCSEM, em 2023, levando à criação de um Grupo de Trabalho dedicado ao enfrentamento do míldio da alface. Com o apoio da UNESP, representada pelo professor Pablo Vargas, e a participação de dez empresas associadas – Agristar, Basf, Bejo, Blue Seeds, East-West, Enza Zaden, Feltrin, Rijk Zwaan, Sakata, Seminis/Bayer – o projeto promete trazer contribuições relevantes para a produção de alface no país.

Atualmente, a pesquisa está na fase de coleta de amostras nas principais regiões produtoras de alface do Brasil. A próxima etapa envolve a identificação e diferenciação das raças de Bremia lactucae em laboratório. A identificação precisa das diferentes raças permitirá o desenvolvimento de cultivares mais resistentes, beneficiando diretamente produtores e consumidores. “Com a implementação deste projeto, esperamos não apenas melhorar a qualidade da produção de alface, mas também garantir maior segurança fitossanitária, reduzindo perdas e aumentando a produtividade”, ressalta Mariana.

A implementação do Projeto Bremia traz várias contribuições significativas para a sustentabilidade e inovação no setor:

  • Aumento da produtividade: com cultivares resistentes, as perdas devido a doenças diminuem, resultando em maior produtividade e estabilidade para os agricultores.
  • Segurança alimentar: a resistência ao míldio garante uma produção mais segura e consistente de alface, essencial para a segurança alimentar de milhões de pessoas que dependem dessa hortaliça como parte de sua dieta diária.
  • Inovação genética: o projeto também impulsiona a inovação na pesquisa genética e no desenvolvimento de novas técnicas de melhoramento de plantas, colocando o Brasil na vanguarda da ciência agrícola.
  • Redução do uso de agroquímicos: ao desenvolver variedades de alface resistentes ao míldio, os agricultores podem reduzir significativamente o uso de fungicidas, contribuindo para práticas agrícolas mais sustentáveis e ecologicamente corretas.

ESTANDE INTEGRADO COM PARCEIROS ESTRATÉGICOS

Neste ano, a ABCSEM fará parte novamente de um estande compartilhado com outras entidades representativas do setor: a Associação Brasileira de Frutas (Abrafrutas), o Instituto Brasileiro de Hortaliças (Ibrahort), o Instituto Brasileiro de Flores (Ibraflor) e, pela primeira vez, a International Fresh Produce Association (IFPA). Esta integração reflete o compromisso da ABCSEM com a colaboração e a união de forças para fortalecer a horticultura brasileira.

Segundo Mariana Barreto, “a presença conjunta de entidades tão relevantes em um evento expressivo como a Hortitec valoriza ainda mais o papel das instituições em âmbito nacional, que possuem como uma de suas principais missões fomentar ações e iniciativas que beneficiem toda a cadeia produtiva”.

O estande conjunto das entidades será o nº 2, localizado no Pavilhão Vermelho. No local, os visitantes poderão conhecer mais sobre o Projeto Bremia da ABCSEM, além de explorar outras iniciativas inovadoras e interagir com os representantes das instituições do setor.

ARTIGOS RELACIONADOS

Grupo Kroma na Hortitec 2024

Fernando Oliveira, diretor do grupo Kroma, falou sobre as principais novidades da empresa aqui na Hortitec 2024.

Feltrin Sementes: foco no produtor brasileiro

Com uma história de 13 anos de participação na Hortitec, a Feltrin Sementes reafirma seu compromisso com o mercado agrícola brasileiro, levando inovação e...

Erexauá Almeida, da Rovensa Next Brasil, fala sobre os lançamentos da empresa na 29ª Hortitec

Saiba as principais novidades da empresa nesta entrevista

Altair Zotti, da AgroCultivo, na Hortitec 2024

Empresa atua há mais de 20 anos no ramo do agronegócio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!