18.1 C
São Paulo
quarta-feira, agosto 10, 2022
-Publicidade-
Inicio Revistas Hortifrúti Ação antimicrobiana e melhor pós-colheita

Ação antimicrobiana e melhor pós-colheita

Leticia Rodrigues de OliveiraEngenheira agrônoma – Centro Universitário das Faculdades Integradas de Ourinhos (Unifio)leticiaoliveira.agro@gmail.com

Veridiana Zocoler de MendonçaEngenheira agrônoma e doutora em Agronomiaveridianazm@yahoo.com.br

Aline Mendes de Sousa GouveiaEngenheira agrônoma, doutora em Agronomia/Horticultura e professora – Unifioaline.gouveia@unifio.edu.br

Tomate – Crédito: Shutterstock

Pesquisas realizadas com diversos produtos à base de extratos vegetais, que apresentam ativos oriundos do metabolismo secundário das plantas, mostram que os flavonoides são um dos compostos bioativos presentes em grande quantidade.

Flavonoides são compostos de baixo peso molecular e podem ser divididos em 14 classes. Esses compostos presentes naturalmente em vegetais são responsáveis por desde o desenvolvimento das plantas, dos frutos, até mecanismos de proteção contra pragas e doenças, bem como a conservação pós-colheita. Quando aplicados em forma de insumos nas lavouras, potencializam esses mecanismos de ação, beneficiando a plantação.

Pesquisas mostram que a aplicação desses bioprodutos trazem melhorias na sanidade e benefícios, como: ação antioxidante, reduzindo a concentração de radicais livres na planta, desacelerando sua senescência; atribuem maior resistência microbiana às plantas, fazendo com que a lavoura obtenha maior resistência à ação de pragas e doenças e confere proteção aos raios UV, agindo como protetor dos tecidos da planta quando esta é exposta à ação prolongada dos raios solares.

Resultados

Os flavonoides têm ação fungistática e interferem na interação planta-patógeno. Além de provocar alterações na parede celular do fungo, ativam o mecanismo de defesa das plantas. Assim, no período inicial de infecção da planta pelo patógeno, estes bioprodutos induzem a resposta da planta, ativando enzimas e genes específicos, que produzem metabólitos que protegem os tecidos vegetais, impedindo o avanço da doença e restringindo o desenvolvimento do patógeno.

Os produtos obtidos a partir de extratos vegetais têm apresentado resultados satisfatórios quando aplicados ao longo do ciclo de produção do tomate no campo, a partir do 15º dia após o transplantio.

Têm atuado como controle cultural, retardando e/ou diminuindo danos causados por pragas e doenças, perdas na produtividade ou qualidade de produção por estresses gerados às plantas pelo frio ou calor rigoroso, secas ou chuvas intensas, geadas, entre outros fatores.

Em campo

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.

Inicio Revistas Hortifrúti Ação antimicrobiana e melhor pós-colheita