Ação do fosfito na produção de cebolas

0
217

Douglas José Marques

Doutor e professor de Olericultura e Melhoramento Vegetal da Universidade José do Rosário Vellano – UNIFENAS

douglas.marques@unifenas.br

 

O panorama da cebolicultura brasileira é bem diverso, uma vez que a produção é feita em regiões geograficamente definidas com características climáticas, econômicas e sociais distintas. Uma coisa que elas têm em comum é a predominância de pequenos e médios produtores. Uma das causas da baixa produtividade da cebola no Brasil está relacionada ao estresse ambiental, incidência de doenças, utilização de cultivares não adaptadas aos sistemas de cultivo e falta de adoção de tecnologias apropriadas.

A adoção de sistemas de cultivo ineficientes, sem levar em consideração o sistema tecnológico, traz como resultado a produtividade média baixa, em torno de 12 t/ha.

As cultivares desenvolvidas pela Empresa Pernambucana de Pesquisa Agropecuária (IPA) ocupam quase 90% do total da área cultivada com cebola na região do Vale do São Francisco. Cultivares importadas do tipo “Grano” e híbridos tipo “Granex” são tradicionalmente cultivados no Nordeste e Sudeste do Brasil, sendo que no Nordeste dominaram o mercado. No Sul do Brasil predominam as cultivares dos tipos Baia Periforme e Crioula.

A cultivar Rijnsburger Jumbo foi introduzida da Holanda, respectivamente, com boa produção de cebola com melhor classificação comercial (cebolas Jumbo).

 

Origem da cebola

A cebola exige designação de origem. Na Europa as cebolas são espanholas, francesas, italianas, inglesas, americanas, holandesas e japonesas. No Brasil, a cotação de preço identifica a cebola como de São Paulo, de Pernambuco, do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina, de Minas, do Paraná e da Argentina.

Os produtores de cebola brasileiros e argentinos garantem cebola fresca durante todo o ano para o consumidor brasileiro, com sabor regional.

Evolução

A produção de cebola no Brasil teve aumento de 22% nos últimos 10 anos, com maior oferta do produto em meses tradicionalmente ocupados pela produção argentina.Nesse mercado concorrido, a qualidade e a boa classificação aumentam o preço pago por quilo de cebola para o produtor.

O fosfito

Os fosfitos são compostos derivados do ácido fosforoso que podem se combinar com elementos como potássio, cálcio, magnésio, alumínio, manganês e zinco. Tais compostos caracterizam-se por estimular o crescimento das plantas, possuírem considerável ação fungicida e não serem fitotóxicos quando utilizados em concentrações adequadas.

Estes compostos são rapidamente absorvidos pelas plantas através das raízes e das folhas, apresentando ação sistêmica, pois são translocados pelo xilema e pelo floema. Dependendo da cultura, a translocação das folhas para as raízes pode ocorrer num prazo de até 24 horas e permanecer ativo por até 160 dias, já que os fosfitos não são metabolizados pelas plantas. Dentre as vantagens do uso do fosfito se destacam:

â–º Rápida absorção (raízes, folhas e córtex do tronco);

â–º É assimilado na sua totalidade, diferentemente dos fosfatos;

â–º Exige menos energia da planta;

â–º Excelente complexante, favorece a absorção de Ca, B, Zn, Mo, K e outros elementos;

â–º Controle e prevenção de doenças fúngicas:

â–º Fitoalexinas(ação preventiva);

â–º Inibição do desenvolvimento fúngico (ação curativa);

â–º Permite misturas com outros produtos;

â–º Certas formulações de fosfitos podem reduzir o pH da solução, melhorando a eficiência de alguns herbicidas.

Ação e reação

Os solos brasileiros, devido ao maior intemperismo a que foram submetidos na sua formação, de maneira geral, apresentam baixa fertilidade natural em função da elevada acidez, baixa saturação por bases, toxicidade de alguns elementos químicos e baixa disponibilidade de nutrientes.

Geralmente o fósforo é considerado o elemento de maior limitação na produção da cebola em países tropicalizados. Os teores de fósforo na solução do solo, além de muito baixos, são insuficientes para suprir a necessidade da cultura.

O produtor de cebola, portanto, deve adotar medidas agrotecnológicas pontuais para ter uma boa eficiência na aplicação de fósforo na cultura. A adequada nutrição das plantas é considerada um dos fatores mais importantes para o metabolismo das plantas, favorecendo o aumento da produção. Por isso é necessário um suprimento balanceado de nutrientes para favorecer o crescimento das plantas, ativar os processos naturais de defesa e propiciar ganhos significativos na produção.

Neste contexto, os fosfitos podem ajudar no incremento da produção e redução dos efeitos das doenças sobre as culturas, o que irá favorecer o aumento da produtividade.

Fotoperíodo

A cebola é fisiologicamente uma planta de dias longos para formação de bulbos e exige fotoperíodos iguais ou maiores do que um mínimo (nível crítico) para que os bulbos se formem.

As cultivares variam em relação a esse nível crítico mínimo:

ð Cultivar de dias curtos: fotoperíodo mínimo de 11- 12h;

ð Cultivar de dias intermediários: 13-14h;

ðCultivar de dias de dias longos: 14h ou mais.

Essa matéria completa você encontra na edição de março 2018  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua para leitura integral.