21.6 C
Uberlândia
sábado, junho 15, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiÁcido húmico estimula crescimento da cebola

Ácido húmico estimula crescimento da cebola

Autores

Aldeir Ronaldo SilvaEngenheiro agrônomo e doutorando em Fisiologia e Bioquímica de Plantas – ESALQ/USPaldeironaldo@usp.br 

João Pedro Ramos da SilvaEngenheiro agrônomo – Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFPE)joaopedro_r@outlook.com

Cebola – Crédito: Ana Maria Diniz

Os Estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul são os maiores produtores de cebola do Brasil, com uma produção em torno de 45,65% do total nacional. Todavia, o cultivo de cebola também é importante na região nordeste.

Em se tratando de produção mundial, China, Estados Unidos e Rússia são os maiores produtores. No Brasil a cebola é muito utilizada como condimento in natura ou processados na forma picles, congelada, desidratada, como essência, conserva ou cozida.

Os ácidos húmicos são oriundos da parte orgânica do solo, formandos a partir de reações de microrganismos presentes no solo. São complexos que possuem um grupo de íons organizado de modo a funcionar como quelatos e, dessa forma, regulam a biodisponibilidade de íons nos ambientes de cultivo da cebola.

Além disso, são constituintes da fração húmica presente na matéria orgânica, melhorando características físicas, químicas e biológicas do solo, como maior aeração, estruturação de agregados e drenagem.

Aumentam a resistência ao processo de erosão do solo, reduzem a toxidez e incrementam a disponibilidade de água no solo. Para ser aplicado na planta, esse ácido húmico precisa passar pelo processo de fracionamento químico.

Benefícios para a cebola

A aplicação de ácidos húmicos na cultura da cebola acarreta em vários benefícios, como aumento da atividade enzimática e absorção de nutriente, que elevam a atividade fotossintética e o conteúdo de clorofila nas folhas, resultando no incremento da biomassa vegetal e produtividade.

Em geral, o ácido húmico desenvolve melhorias tanto em características físico-químicas do solo como também no desenvolvimento da planta. Isso propicia menor incidência de doenças e pragas, maiores produtividades e menor uso de defensivos agrícolas. 

[rml_read_more]

O uso de ácidos húmicos no cultivo de cebola promove um incremento de nutrientes para a planta, como potássio, magnésio, zinco, cálcio, ferro, cobre e sódio, melhorando também o transporte de micronutrientes.

Em situações de aplicação de micronutriente, os ácidos húmicos são bastante importantes para a maximização da disponibilidade para planta, interagindo com os micronutrientes e impedindo que os mesmos reajam com outros íons, de forma que não fique disponível para a planta, evitando também a lixiviação desses nutrientes, sendo assim, uma maneira eficaz de aumentar o sistema de defesa e capacidade produtiva sem a participação de produtos sintéticos. Além disso, reduz a perda de nitrogênio para a atmosfera por meio da diminuição do N2.

Ainda, contribui para a nutrição mineral da planta e para a redução dos efeitos do estresse abiótico no cultivo da cebola em situações de excesso de metais pesados, sódio e alumínio, pesticidas ou esterco não curtidos. Por meio da alta capacidade de formar carga negativa no solo, reage com esses elementos, impedindo que seja absorvido durante o cultivo da cebola.

Além disso, os ácidos húmicos aumentam a concentração de hormônios vegetais, como auxina, giberelinas e citocinina, em destaque nas raízes, provocando o aumento da área de contato das raízes com o solo, causando, por sua vez, o aumento na absorção de nutrientes.

Esse fato é importante devido à exigência nutricional da cebola, tendo o nitrogênio como elemento mais necessitado, elemento esse que participa da qualidade nutricional da cebola, que é rica em vitamina B1, riboflavina e vitamina C, assim como em cálcio, ferro, fosforo, magnésio. Dessa maneira, o uso de ácidos húmicos, além de melhorar a produtividade da cebola, também otimiza a qualidade nutricional da cebola na dieta humana.

Leque de produtos e manejo

É recomendável que, antes da implementação da técnica, se realize análise de fertilidade do solo, com o objetivo de identificar o produto mais adequado, a dosagem e o número de aplicações durante o cultivo. Nisto, é necessário a orientação de um profissional para possibilitar a máxima eficiência da técnica.  

No mercado brasileiro há produtos na forma líquida e solúvel, ambas com diferentes elementos na sua composição, como potássio, cálcio, magnésio e ferro. Quanto à aplicação, os ácidos húmicos, de forma geral, eram aplicados via solo.

Todavia, na atualidade pode também ser aplicado via foliar ou por meio de fertirrigação. Quando aplicado via foliar, é necessária menor dosagem para incrementos produtivos, mas deve ser aplicado na maior fase do crescimento da cebola.

A dosagem pode variar de acordo com a forma de aplicação. Nesse caso, a dose de 5,0 L/ha, com quatro aplicações no intervalo de sete dias cada é o mais indicado para a via foliar no cultivo de cebola. Já na fertirrigação, é recomendável aplicar 200 mL/100 L no intervalo de cinco dias.

Produtividade

Em termos produtivos, o uso do ácido húmicos propicia maior desenvolvimento das raízes, que resulta no aumento da absorção de nutriente, repercutindo diretamente no incremento de produtividade da cebola em torno de 17%.

Em cultivo realizado em Santa Catarina, com uso de ácido húmicos, foi observado um aumento de 33% na produção em comparação ao cultivo de cebola sem aplicação de ácidos húmicos.

Em cultivo realizado no Vale do Rio São Francisco, o uso das substâncias húmicas provocou o aumento de 18,87% na produção da variedade IPA 11, com um ganho médio de peso dos bulbos de 24 e 35 g.

Erros e soluções

A aplicação de dose alta pode promover o efeito tóxico no cultivo de cebolas em virtude que cada espécie agrícola apresenta uma necessidade de dosagem diferente, bem como pode variar de acordo com a fertilidade do solo.

Outro erro muito frequente é a aplicação dos ácidos húmicos fora dos valores de pH do solo adequado para a cultivo da cebola, que é de 6,0 a 6,5 e pH com 5%, no máximo, de saturação por alumínio. Além disso, a aplicação não deve ser realizada em horário com temperatura elevada. Também não é recomendável a aquisição de produtos sem informação quanto à formulação e também à dosagem indicada para aplicação no cultivo de cebola. 

Investimento x retorno

O custo no cultivo da cebola pode variar de acordo com a área e a dosagem escolhida, sendo que no mercado nacional grande parte dos produtos é comercializada na forma líquida ou pó, com preços variando de acordo com o volume, entre R$ 63,00 e R$ 859,00. Todavia, novas formas de extração e formulação vêm reduzindo os custos de produção dos ácidos húmicos.

Em geral, o uso de ácidos húmicos apresenta uma boa viabilidade econômica, uma vez que leva melhorias quanto à parte física, química e biológica do solo. Dessa maneira, ao longo do ciclo da cebola ocorre a redução quanto aos custos de fertilizantes e defensivos agrícolas, devido às melhorias na estrutura química do solo.

ARTIGOS RELACIONADOS

Criação de camarão em estufas possui valor agregado garantido?

Autores Volnei Lanfredi Diretor operacional da Empresa Zanatta Estufas Agrícolas volnei@zanatta.com.br Uma novidade que vem sendo adotada pelos produtores é o cultivo de camarão em...

Fertilizantes organominerais aumentam a porosidade do solo

Adilson Pelá Engenheiro agrônomo e professor da Universidade Federal do Goiás adilson.pela@ueg.br   A porosidade do solo é importante por contribuir com a aeração, absorção de água e...

Agristar do Brasil apresenta novidades durante Open Field Day e Hortitec

Entre os dias 21 e 23 de junho, a Agristar, por meio das linhas profissionais de sementes híbridas de alta tecnologia, Topseed Premium e...

Safra 2022 de amendoim poderá ser 20% maior que a do ano passado

A safra de amendoim de 2022 atingirá um crescimento de 15% a 20% superior à safra de 2021 ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!