13 C
São Paulo
sexta-feira, junho 24, 2022
- Publicidade -
-Publicidade-
Inicio Revistas Hortifrúti Ácidos húmicos e fúlvicos: A resposta na citricultura

Ácidos húmicos e fúlvicos: A resposta na citricultura

Autores

Paulo Roberto Camargo Castro
Doutor e professor titular – ESALQ/USP
prcastro@usp.br
Jeisiane F. Andrade
Mestranda em Agronomia – ESALQ/USP
Fotos: Shutterstock

As substâncias húmicas são compostos orgânicos oriundos da decomposição de resíduos vegetais e animais do ambiente, que podem ser utilizados como insumos alternativos para o manejo de diversas culturas.

Suas propriedades químicas, microbiológicas e físicas podem garantir um incremento na produtividade em decorrência dos benefícios que promove para a estrutura física e química do solo e para o metabolismo da planta. Substâncias húmicas são, portanto, constituintes da matéria orgânica dos solos e dos sedimentos que podem melhorar as propriedades do solo e o metabolismo vegetal. As frações húmicas mais importantes em relação à reatividade e ocorrência nos ecossistemas são os ácidos húmicos e fúlvicos.

Ação e reação

Considera-se que as substâncias húmicas aumentam o movimento e absorção de íons, incrementam a respiração e a velocidade das reações enzimáticas do ciclo de Krebs, promovem alta produção de ATP nas células radiculares, aumento nos níveis de clorofila e na síntese de ácidos nucleicos, além de causarem aumento ou redução na atividade de diversas enzimas, afetando ainda a dinâmica do NH4+ no solo.

Existem estudos que demonstram diversos benefícios das substâncias húmicas para alguns cultivos e, ainda, evidências da sua interação bioquímica e fisiológica com o crescimento das plantas. Porém, há necessidade de maior conhecimento da real funcionalidade destes compostos para certas espécies de interesse econômico e do comportamento de cada tipo de substância húmica.

Quem são elas

As substâncias húmicas são constituídas de ácidos húmico, fúlvico, huminas e ácidos himatomelânicos. Os ácidos húmicos constituem a maior fração das substâncias húmicas – tratam-se de precipitados escuros, solúveis em ácidos minerais e solventes orgânicos. Têm elevado peso molecular, capacidade de troca de cátions entre 350 e 500 meq 100 g-1, com origem na lignina, possuem alto teor de ácidos carboxílicos e significativas quantias de nitrogênio.

Os ácidos fúlvicos são solúveis em água, soluções ácidas e alcalinas. Apesar de possuírem similaridade estrutural aos ácidos húmicos, apresentam menor peso molecular, maior quantidade de compostos fenólicos e de grupos carboxílicos e uma menor quantidade de estruturas aromáticas. Estas características lhes conferem melhor solubilidade em água e maior capacidade de troca catiônica (700 a 1000 meq 100 g-1).

As huminas compõem um resíduo extraível e correspondem à fração menos humificada das substâncias húmicas. São materiais complexos, quimicamente heterogêneos, inativos, insolúveis em soluções ácidas e alcalinas. Os ácidos himatomelânicos formam suspensões ou soluções coloidais quando em mistura com a água e possuem menor peso molecular que os ácidos húmicos, mas com composição elementar semelhante.

O agregado formado entre as substâncias húmicas e os nutrientes torna-os mais disponíveis para as plantas, mesmo sob condições de salinidade.

Enraizamento

Um sistema radicular com bom desenvolvimento é sempre desejável para qualquer cultura, e não é diferente nos citros. Raízes são importantes para a fixação da planta no solo, absorção de água e nutrientes e síntese hormonal.

Procura-se, cada vez mais, aplicar substâncias ou melhorar cultivares para apresentarem um sistema radicular mais robusto, reduzindo a adubação e garantindo vantagem em solos mais pobres.

Os efeitos mais notáveis dos ácidos húmicos e fúlvicos na planta de citros ocorrem nas raízes, onde promovem efeito positivo no crescimento, seja pelo aumento das raízes laterais ou pelo incremento de sua biomassa. Estes efeitos estão relacionados aos mesmos da auxina. Isso ocorre, uma vez que a presença dos ácidos húmicos no solo estimula a síntese de auxina ou age de forma semelhante a ela, já que resulta em expansão e elongação das células, promovendo o crescimento das raízes.

Uma vez sintetizada, a auxina sinaliza para as células do periciclo entrarem novamente em divisão celular e darem origem às raízes laterais. A atividade de H+ATPases é ativada, aumentando a extrusão de prótons e atividade de enzimas sobre a parede celular, favorecendo a divisão e expansão da célula via rearranjos de parede celular.

O óxido nítrico induz a síntese de auxina e o desenvolvimento de raízes laterais, que aumentam o volume radicular, a superfície de contato e a massa seca do órgão, melhorando a capacidade de absorção, importante para a produtividade.

Experimentos

Testou-se o efeito do uso de um condicionador orgânico (20-0-0) em condição laboratorial. Neste experimento, confirmou-se a excelente retenção do nitrogênio no solo com o uso do condicionador, diferente do solo contendo apenas aquamônia.

Esse efeito dos condicionadores de solos que restringem a nitrificação, mantendo a concentração de amônio (NH4), é muito relevante para espécies arbóreas como os citros, uma vez que o nitrato (NO3) é solúvel e facilmente lixiviado para o lençol freático, enquanto o NH4 é retido, ficando disponibilizado para as raízes dos citros que apresentam lento crescimento.

Deste modo, devem-se realizar mais estudos para melhorar e disponibilizar esses ácidos orgânicos com grande potencial agrícola.

Inicio Revistas Hortifrúti Ácidos húmicos e fúlvicos: A resposta na citricultura