Adubação com silício: aliado da produtividade

0
73

Adubação com silício: aliado da produtividade. Confira neste artigo as fontes de silício, os benefícios da adubação com o elemento e os cultivos beneficiados. Além disso, há informações sobre o custo-benefício e os cuidados necessários.

Por Felipe Campos Figueiredo
Doutor e professor de Fertilidade do Solo e Nutrição Mineral de Plantas – Instituto Federal do Sul de Minas, campus Muzambinho
felipe.figueiredo@ifsuldeminas.edu.br

Crédito Shutterstock

O silício (Si) é um elemento útil para a maioria das plantas. Apesar de não ser nutriente, as plantas o absorvem na forma solúvel. Dentro da planta, o silício pode se acumular na forma de fitólitos ou sobre a epiderme das folhas, afim de formar uma barreira física à penetração dos fungos nas células vegetais para que as plantas se tornem mais difíceis de serem consumidas por insetos.

O Si também é um ativador de rotas do metabolismo secundário que produz substâncias de defesa contra o ataque de pragas e doenças. Assim, o Si é um elemento que traz benefícios agronômicos para as plantas e pode torná-las mais resistentes e produtivas.

Fontes de silício

Atualmente existem vários fertilizantes e corretivos que são fontes de Si. O mais difundido entre os produtores é o silicato de Ca e Mg, que é um corretivo de solo e fornece silício para as plantas.
Dentre os fertilizantes, o termofosfato é uma fonte de silício muito utilizada na agricultura. Os remineralizadores, também chamados de pó de rocha, possuem Si que se torna disponível para as plantas ao serem aplicados ao solo.
Existem formas de silício líquido e solúvel, como o silicato de potássio, que permite a sua aplicação via foliar, fertirrigação e hidroponia.

Mais benefícios da adubação com silício

Além de auxiliar no controle de pragas e doenças, a pesquisa identificou diversos efeitos do Si para as plantas, como:

  • Melhora a fotossíntese das plantas;
  • Melhora a eficiência de uso de água;
  • Reduz a fixação de P na fração argila do solo, o que melhora a eficiência do uso de fertilizantes fosfatados;
  • Ameniza a toxidez por metais pesados;
  • Reduz o acamamento das culturas;
  • Auxilia na fixação biológica do nitrogênio;
  • Reduz a reprodução e danos de nematoides das raízes.

Cultivos beneficiados

Existem culturas que são acumuladoras de Si e absorvem uma grande quantidade de Si, como é o caso do arroz e da cana-de-açúcar. De forma geral, as gramíneas são as mais beneficiadas.
Entretanto, as dicotiledôneas, mesmo não absorvendo a quantidade que as gramíneas absorvem, também são beneficiadas se o Si for aplicado via foliar ou no solo, uma vez que o Si promove melhoria da eficiência da adubação fosfatada, redução da toxidez por metais pesados e ataque de nematoides das raízes.
O Si, dentro da planta, ajuda a modular a perda de água pelas folhas ao formar uma camada de proteção física acima da epiderme das plantas, como é o caso do arroz. Se aplicado via foliar, na forma de silicato de potássio, as plantas são beneficiadas pela redução de perda de água. Em ambas situações, o Si pode tornar a planta mais resistente a veranicos e secas.

LEIA TAMBÉM:

Custo-benefício

O custo-benefício do Si é relativo, uma vez que a maioria dos benefícios são indiretos. Seu uso pode ser tornar um atrativo em uma situação crítica, em que vários fatores prejudiciais às plantas atuam em conjunto e que o Si contribui para amenizar, aliado ao retorno econômico da cultura.

Cuidados

Apesar dos diversos benefícios atribuídos ao Si, ele deve ser utilizado como parte da solução de um problema, e não como a solução para todos os males. Por exemplo: ele ajuda a controlar pragas e doenças, mas não se deve deixar de fazer o controle químico quando os patógenos atacam numa incidência acima do dano econômico.
Neste caso, o Si ajuda aumentando o intervalo entre aplicações ou até mesmo pode reduzir a necessidade de controle químico, mas raramente evita por completo a infecção.