21.6 C
Uberlândia
sábado, junho 22, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiAdubação de cobertura em batata

Adubação de cobertura em batata

Herika Paula Pessoa
Mestre e doutoranda em Fitotecnia – Universidade Federal de Viçosa (UFV)
herika.paula@ufv.br

A nutrição adequada é fundamental para alcançar altas produtividades. A batateira se caracteriza por ter ciclo curto e altas produtividade. Dessa forma, as plantas demandam uma grande quantidade de nutrientes em um curto espaço de tempo.
A demanda por nutrientes nessa cultura é variável ao longo de seu ciclo de desenvolvimento. Para que o manejo da adubação seja eficiente, é preciso entender as demandas das plantas ao longo do ciclo da batateira.
Após o plantio, na primeira fase de desenvolvimento, em que ocorre a emergência da haste, há predominantemente o consumo dos nutrientes armazenados na batata-semente. Nessa fase também são formadas as primeiras raízes, as quais explorarão o solo em busca de nutrientes nas fases seguintes.

Pico de exigência nutricional

Durante a fase de desenvolvimento vegetativo, raízes, caule e principalmente folhas são formadas, acumulando nutrientes em suas estruturas. Na etapa seguinte os tubérculos são formados. Essa é a fase do ciclo de desenvolvimento da batateira que exige a maior quantidade de nutrientes.
Por isso, a partir do início dessa fase, os tubérculos passam a ser o destino principal dos nutrientes absorvidos pela raiz e ocorre também a translocação de nutrientes móveis de outras partes da planta para eles.
Nesse contexto, realizar a adubação de cobertura pode ser uma prática bastante benéfica para a cultura da batata. O parcelamento da adubação nitrogenada se justifica devido à dinâmica desse nutriente na planta e no solo.

Técnica

A aplicação total do nitrogênio no plantio pode promover excessivo vigor vegetativo inicial, o qual poderá atrasar o início da tuberização, resultando em um menor período de crescimento dos tubérculos e menor produtividade final. Além disso, nesse caso pode haver perdas desse nutriente por volatilização e lixiviação, indisponibilizando sua utilização pela planta quando ela o requerer.
Quando parcelada, a adubação nitrogenada na cultura da batata tem sido realizada em pelo menos duas aplicações, uma no plantio, e outra na fase de tuberização. Em geral, aplica-se doses menores no plantio, e a maior parte do N durante as fases de tuberização e crescimento dos tubérculos.

Sem receita de bolo

[rml_read_more]

Não existe um consenso quanto à melhor maneira de aplicação da adubação de cobertura. Na prática, o adubo nitrogenado é, em geral, aplicado em um filete contínuo distribuído a alguns centímetros da fileira de plantas, sobre o solo.
A incorporação é feita em seguida, promovida pela operação de amontoa. Em cultivares utilizadas para a industrialização e com ciclo mais longo, há relatos de benefícios da aplicação de N em períodos após a amontoa. A justificativa para essa prática se baseia no favorecimento da manutenção da área foliar fotossintetizante e enchimento dos tubérculos por maior tempo.
Outro nutriente que também pode ser aplicado em cobertura é o potássio. A aplicação do K é, geralmente, feita por ocasião do plantio, no entanto, esse nutriente é requerido em altas quantidades pela cultura da batata e é lixiviável.
Quando se opta pela adubação potássica apenas no plantio, recomenda-se que ele seja bem misturado ao solo, a fim de evitar problemas com injúrias devido à salinização, especialmente porque na cultura da batata podem ser utilizadas elevadas doses de fertilizantes.
Quando se utilizam doses muito elevadas, entretanto, a retirada de parte do fertilizante potássico do sulco de plantio é interessante, seja aplicando-se a lanço imediatamente antes ou após o plantio, ou ainda por ocasião da amontoa, junto com o N.
Quando o plantio for efetuado em época chuvosa, o parcelamento da adubação potássica no plantio e em cobertura pode proporcionar menores perdas e favorecer o desenvolvimento das plantas e a produção de tubérculos.

Na dose certa

Outro fator que corrobora para um manejo adequado da adubação é a definição da quantidade de nutrientes a ser aplicada. Dependendo do nível de produtividade, as quantidades de nutrientes extraídas e exportadas podem variar, embora não haja, necessariamente, uma relação direta entre esses fatores, pois podem existir diferenças na eficiência de utilização dos nutrientes por influência de outros fatores, tais como cultivar, teor de água no solo, solo, clima, espaçamento e sanidade.
Além desses, o produtor deve ter em mente outros fatores que norteiam a adubação, como: variedade, condições climáticas, características do solo, qualidade de batatas sementes e eficiência da aplicação.

Outros fatores

A resposta à adubação também é influenciada por outros fatores, sobretudo, cultivar e tubérculo-semente, de modo que cultivares de ciclo curto, menos vigorosas e tubérculos-semente menores exigem maiores doses de N.
O nitrogênio tende a alongar o ciclo e aumentar o vigor vegetativo das plantas, podendo, quando em excesso, reduzir a produtividade e a qualidade dos tubérculos.

ARTIGOS RELACIONADOS

Influência da temperatura e do fotoperíodo na formação de escleródios

Leandro Luiz Marcuzzo Fitopatologista e professor do Instituto Federal Catarinense (IFC) - campus de Rio do Sul marcuzzo@pesquisador.cnpq.br   Pesquisas relacionadas à podridão branca no Brasil ainda são...

Liberação lenta de nitrogênio para a batata

Ernani Clarete da Silva Professor da Universidade Federal de São João del-Rei - UFSJ clarete@ufsj.edu.br Em produção vegetal, o parcelamento das adubações em cultivos convencionais é um...

Barragens transformam Cristalina em exemplo sustentável de irrigação agrícola

  Captação de água das chuvas e uso de quase 700 pivôs valoriza recursos naturais e aumentam a produtividade   O uso sustentável da água para irrigação...

Organominerais no manejo de nematoides em cenoura

Rodrigo Vieira da Silva Engenheiro agrônomo, doutor em Fitopatologia e professor do IF Goiano " Campus Morrinhos rodrigo.silva@ifgoiano.edu.br João Pedro Elias Gondim Luam Santos Mestrandos em Olericultura do IF...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!