23.3 C
São Paulo
terça-feira, julho 5, 2022
- Publicidade -
-Publicidade-
Inicio Revistas Hortifrúti Adubação inteligente no cultivo da melancia

Adubação inteligente no cultivo da melancia

Luiz Paulo Figueredo Benício

Supervisor técnico da Fertilizantes S/A

luizpaulo.figueredo@gmail.com

Crédito Shutterstock
Crédito Shutterstock

A demanda de produção de alimentos no mundo vem crescendo, sendo esta acompanhada pela demanda de fertilizantes. As tecnologias dos fertilizantes convencionais são antigas, as quais possuem alguma limitação e uma eficiência relativa baixa, como por exemplo, para o nitrogênio, em que as perdas podem chegar a 50% ou mais.

Na busca por melhoria na eficiência dos fertilizantes, vêm sendo desenvolvidas novas tecnologias que visam aumentar a eficiência deles, reduzindo as perdas e aumentando o aproveitamento pelas plantas. Dentre estes produtos estão os fertilizantes de liberação lenta, que liberam os nutrientes de forma gradativa atendendo a demanda das plantas.

O caso da melancia

A cultura da melancia possui o ciclo curto e necessita de uma quantidade adequada de nutrientes para que possa completar seu ciclo e apresentar produção satisfatória. O uso de fertilizantes de liberação lenta pode atender esta demanda com boa eficiência, sendo uma alternativa inovadora na cultura da melancia.

A técnica pode ser vantajosa, pois a melancia se desenvolve melhor em solos arenosos, os quais possuem baixa CTC e tendem a sofrer mais perdas de nutrientes como N e K. Os fertilizantes de liberação lenta entregam os nutrientes de forma sincronizada com a planta, ficando menos tempo livre no solo e reduzindo as possibilidades de perda.

 

Benefícios para a planta

O manejo destes fertilizantes pouco difere dos fertilizantes convencionais. Devem ser armazenados em locais adequados, com boa ventilação e baixa umidade.

As plantas, de forma geral, apresentam uma demanda de nutrientes crescente, de acordo com seu estádio fenológico. A aplicação de fertilizantes convencionais no início do cultivo pode sofrer perdas consideráveis, assim, quando atinge seu pico de demanda, pode encontrar quantidades insatisfatórias para atender seu metabolismo.

Já quando se utiliza os fertilizantes de liberação lenta, estes liberam de acordo com a demanda da planta, assim, no momento de maior demanda ela irá encontrar quantidades suficientes de nutrientes.

Quando aplicar

A aplicação ocorre de forma semelhante aos fertilizantes convencionais durante o plantio e/ou posteriormente, conforme o cronograma de utilização do produtor.

A dosagem deve ser recomendada de acordo com os resultados de análise de solo, visando atender a demanda da cultura.

Custo

Atualmente, os fertilizantes de liberação lenta possuem diferentes tecnologias, sendo revestidos ou encapsulados com membranas e promovendo uma proteção física do material, ou com aditivos, (normalmente inibidores de).

O custo irá depender da tecnologia que o produtor pretende adotar, sendo que em uma média geral estes produtos são entre 20 e 30% mais caros.

O custo-benefício destes produtos éelevado, pois a redução de perdas e o aumento de produtividade faz com que o maior investimento do produtor em tecnologia se pague.

Essa matéria você encontra na edição de julho da Revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira o seu exemplar.

Ou assine

Inicio Revistas Hortifrúti Adubação inteligente no cultivo da melancia