23.5 C
Uberlândia
quinta-feira, fevereiro 29, 2024
- Publicidade -
InícioNotíciasAdubação orgânica significa sustentabilidade e versatilidade no campo

Adubação orgânica significa sustentabilidade e versatilidade no campo

Crédito Shuttertock

A utilização de matérias-primas para geração de energia, produção animal e indústria alimentícia gera resíduos orgânicos muitas vezes descartados de forma inadequada, com grande risco de contaminação do ambiente. Entretanto, a utilização agronômica desses resíduos para a geração de adubos orgânicos é uma forma adequada de aproveitamento dos materiais, já que eles possuem efeitos benéficos para o solo, fornecem nutrientes para as culturas, aumentam o rendimento das produções e são um destino apropriado para esses rejeitos.

Função

O papel principal dos adubos é atender às necessidades nutricionais das plantas quando o solo não tem essa capacidade. Os adubos são provedores de vários nutrientes, como nitrogênio, fósforo, potássio, enxofre e micronutrientes. O importante é que eles atendam às necessidades específicas de cada planta, nem muito nem pouco.

Presente no Brasil desde 2016, a Nutrientes Para Vida (NPV) preocupa-se com o manejo adequado e responsável dos adubos. É uma iniciativa que possui visão, missão e valores análogos aos da coirmã americana, a Nutrients For Life, cujo objetivo é esclarecer e informar a sociedade sobre os benefícios dos fertilizantes (ou adubos) na produção dos alimentos.

Para manter o solo fértil e a alta produtividade de novos cultivos, os nutrientes precisam ser repostos. Os fertilizantes cumprem o papel de alimentar a planta, o que é essencial para o seu desenvolvimento. Aliás, o principal objetivo de qualquer adubação, seja orgânica ou mineral, é manter ou aumentar a fertilidade do solo e sua atividade biológica. É, de fato, alimentar o solo para melhor alimentar a planta.

O adubo orgânico usa apenas matéria animal ou vegetal, enquanto o fertilizante mineral é extraído do solo, de pedreiras ou é fabricado a partir do nitrogênio do ar (processo Haber-Bosch de obtenção de fertilizantes nitrogenados). Sua composição é toda natural, isto é, vem de materiais derivados de seres vivos, animais ou plantas.

Por meio da transformação dos materiais vivos em húmus e minerais estáveis, são liberados no solo principalmente nitrogênio, fósforo e potássio em quantidades variáveis. A adubação orgânica ajuda a manter e aumentar a fertilidade natural do solo a longo prazo, estimulando frações orgânicas e húmicas do solo.

A adubação orgânica não visa apenas alimentar as plantas, mas melhorar a estrutura do solo, manter seu estado e garantir sua sustentabilidade. O solo é, portanto, uma peça central no ciclo agrícola, e não apenas um suporte inerte.

No tempo certo

O adubo orgânico tem ação lenta porque os nutrientes que nele contidos sofrem uma transformação, ou seja, uma degradação antes de ser assimilado pela planta, o que demanda certo tempo. Essa degradação depende das matérias-primas que compõem o fertilizante e da atividade microbiológica do solo.

As transformações envolvem microrganismos do solo, o que implica numa temperatura adequada do perfil. O adubo orgânico será, portanto, ineficaz em solo frio. Além disso, os adubos orgânicos são muito menos concentrados em nutrientes que os fertilizantes minerais, por isso é necessário aplicar quantidades maiores.

A adubação mineral, usada na agricultura convencional, fornece os nutrientes de forma rápida para alimentar diretamente a planta e corrigir deficiências. Em contraste, na agricultura biológica a adubação visa manter e desenvolver a fertilidade do solo a longo prazo antes de alimentar a planta. Esta fertilização é baseada no uso de fertilizantes orgânicos.

Mais produção

A riqueza de nutrientes em um solo depende principalmente da disponibilidade de nutrientes necessários para plantas e microrganismos. Estes elementos representam o resultado de contribuições orgânicas e inorgânicas. A incorporação de matéria orgânica no solo melhora significativamente suas propriedades físicas, químicas e biológicas. De fato, a ausência de qualquer adubo orgânico leva a uma degradação progressiva da estrutura do solo e à diminuição de sua fertilidade química.

A matéria orgânica do solo constitui um componente fundamental do potencial produtivo de solos de ambientes tropicais e subtropicais, uma vez que fornece nutrientes para as culturas, atua na retenção de cátions, na estabilidade da estrutura do solo, na infiltração e retenção de água e na aeração.

O teor de matéria orgânica do solo é função da umidade do solo, da sua temperatura, do tipo de solo, da quantidade de fertilizante orgânico incorporado e do período de sua aplicação. Solos ricos em matéria orgânica são conhecidos por sua fertilidade por meio da liberação gradual de nutrientes durante a decomposição da matéria orgânica.

A formação de agregados argila-húmicos, que absorvem os cátions trocáveis mais facilmente, contribui para uma melhor nutrição mineral da planta em potássio, cálcio e magnésio.

Como acontece com qualquer forma de agricultura, o principal objetivo da adubação orgânica é garantir o sucesso da cultura. A agricultura orgânica sempre promoveu a ideia de que as práticas de fertilização deveriam procurar proteger os recursos ambientais do meio ambiente e garantir a sustentabilidade do sistema de produção.

Finalmente, todos esses objetivos devem ser alcançados com uma obrigação de rentabilidade econômica, o que não é necessariamente contraditório no manejo orgânico, pelo contrário.

Sustentabilidade em nutrição

Na agricultura orgânica, as práticas agrícolas adotadas devem maximizar a reciclagem de nutrientes. Por um lado, permitem que os nutrientes sejam mantidos na propriedade e reutilizados na prática de fertilização das culturas. Por outro lado, reduzem perdas ao meio ambiente e a necessidade de recomprar nutrientes que poderiam ser perdidos.

A adubação de plantas envolve necessariamente o manejo de fertilizantes orgânicos e inorgânicos. O desafio da adubação das culturas é assegurar que as intervenções dos agricultores sejam planejadas para que a parcela de terras cultiváveis forneça os nutrientes necessários para o crescimento e produção ideais da cultura durante a safra agrícola.

Os adubos orgânicos oriundos de fontes vegetais e animais reduzem a poluição por destinação incorreta dos resíduos. Os resíduos orgânicos com maior potencial de fornecimento de nutrientes são os estercos animais, compostos de lixo urbano, subprodutos da indústria do álcool e açúcar e restos vegetais das culturas.

ARTIGOS RELACIONADOS

Produtores mineiros investem em sistema alternativo de morango

  Modelo pode reduzir em até 50% o uso de defensivos e aumentar a produtividade em até 30%   Produtores de morango do Sul de Minas estão...

Efeito dos bioestimulantes em mudas de alface

Fernando Simoni Bacilieri Engenheiro agrônomo e doutorando em Fitotecnia - ICIAG-UFU ferbacilieri@zipmail.com.br Roberta Camargos de Oliveira Engenheira agrônoma e doutora em Fitotecnia robertacamargoss@gmail.com Ernane Miranda Lemes Engenheiro agrônomo, fitopatologista e doutor...

Adubação foliar em milho utilizando fertilizantes multinutrientes

Antônio Marcos Coelho Pesquisador da Embrapa Milho e Sorgo antoniomarcos.coelho@embrapa.br No Brasil, a adubação foliar utilizando fertilizantes multinutrientes na cultura do milho tem se intensificado nos...

Técnica reduz água na irrigação

AutorFrancinete Veloso Duarte Química e professora - ICA/UFMG Pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Montes Claros, desenvolveram uma técnica que possibilita a...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!