Agricultura de Precisão – Novidade para as HFs

0
75

A Agricultura de Precisão é uma tecnologia amplamente difundida, principalmente em grandes culturas, como soja, milho e cana-de-açúcar. Nas hortaliças, vem conquistando cada vez mais espaço

 

Adubação - Crédito Eduardo Sekita de Oliveira
Adubação – Crédito Eduardo Sekita de Oliveira

Atualmente, a Agricultura de Precisão (AP) é utilizada em todas as hortaliças, sendo as principais: cenoura, alho e beterraba. A tecnologia é aproveitada, sobretudo, na correção dos nutrientes no solo, mas já começa ser utilizada para o monitoramento e o controle de patógenos de solo.

 

Como funciona

 

No método convencional, explica Eduardo Sekita de Oliveira, engenheiro agrônomo e diretor agrícola da Sekita Agronegócios, são coletadas várias amostras aleatórias, as quais são misturadas para fazer uma média de toda a área. Já na prática da Agricultura de Precisão, é utilizado um Sistema de Informação Geográfica (SIG) em que são coletadas amostras georreferenciadas da área em locais pré-determinados, chamados grides ” quanto menor o grid, maior o nível de detalhamento do mapa. Com esse mapa em mãos, é possível aplicar os insumos de forma variável.

No caso da correção dos nutrientes, essa tecnologia propicia vários benefícios, como a diminuição e racionalização do uso dos insumos, a redução de custos e o aumento de produtividade. Outro benefício que não é percebido nas chamadas commodities é a padronização do produto final, sendo este um fator de grande importância nas hortaliças, pois seu mercado exige qualidade em padronização e aparência.

Já no monitoramento de patógenos, com a Agricultura de Precisão é possível evitar glebas altamente infestadas ou fazer um controle específico nas áreas mais problemáticas, evitando prejuízos que poderiam ocorrer com o ataque desses patógenos.

 

Investimento

 

Os investimentos no uso dessa tecnologia podem ser divididos em dois grupos: coleta e confecção dos mapas de aplicação e aplicação em taxa variável. Para a coleta e confecção dos mapas, é necessária uma estrutura de coleta de amostras com um quadriciclo ou outro veículo apropriado, software específico para lançamento dos dados e confecção dos mapas, além de um profissional especializado na área.

Já para a aplicação, é necessário um implemento preparado com um hardware para o processamento dos mapas de aplicação e um sistema hidráulico que realizará as variações de regulagem transmitidas pelo hardware.

 

Adaptações à Agricultura de Precisão

 

Além dos equipamentos para coleta de amostras e aplicação em taxa variável, é preciso que a propriedade já tenha em seus tratores um sistema de GPS, podendo ser com uma barra de luz simples, que são mais baratos, mas possuem precisão mais baixa (em torno de 30 cm), ou um sistema de RTK, que oferece uma precisão de 3 a 5 cm, mas demanda um investimento bem mais alto.

 

 

Clique aqui para fazer a assinatura da revista Campo & Negócios HF e ler a matéria completa.