22.8 C
Uberlândia
quarta-feira, julho 17, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosFlorestasAgropalma intensifica ações para prevenção e controle de incêndios florestais

Agropalma intensifica ações para prevenção e controle de incêndios florestais

Agropalma Biodiversidade – Crédito Flavio Forner -Conservação Internacional


Há algum tempo, os incêndios florestais brasileiros têm ganhado um amplo espaço de discussão e visibilidade. Além de todo o impacto ambiental, com ameaças à biodiversidade, há também a questão dos sérios prejuízos econômicos com as sanções aplicadas às empresas que não seguem à risca todos os protocolos de preservação. Por conta desse cenário, algumas empresas como a Agropalma – maior produtora de óleo de palma sustentável da América Latina, com sede no Estado do Pará – têm intensificado suas ações de proteção ambiental, tanto no que diz respeito à cadeia produtiva, quanto às comunidades locais.

“Precisamos pensar que a proteção das florestas brasileiras não é uma questão apenas ambiental, mas também social e econômica. Com o aumento do desmatamento e das queimadas, elevam-se os níveis de CO2 na atmosfera, o que piora o desequilíbrio do efeito estufa e, consequentemente, agrava o aquecimento global. Tudo isso provoca sérias mudanças climáticas, influencia negativamente nos ecossistemas e reflete diretamente na agricultura, podendo impactar negativamente a produção de alimentos e a qualidade de vida das pessoas”, declara Wander Antunes, assessor de responsabilidade socioambiental da Agropalma.

Entre as iniciativas do programa de proteção florestal da empresa, destacam-se o cuidado e a conservação da integridade dos 64 mil hectares de reservas florestais, somadas à decisão da Agropalma da não extração de madeira. As florestas da companhia estão localizadas em quatro municípios do Pará – Tailândia, Acará, Moju e Tomé-Açu -, que estão inseridos na Região Amazônica.

Com uma equipe em torno de 30 profissionais, entre vigilantes florestais, exclusivamente dedicados a fazer rondas, inspetor, supervisores e coordenador, é realizado um controle de prevenção de incêndios e proteção das áreas, durante os sete dias da semana. Além disso, a área é monitorada via satélite, por meio de um sistema que emite alertas de focos de calor e permite verificar as ocorrências.

“Muitas vezes, os focos de incêndio vêm das comunidades locais, que vivem da agricultura tradicional de subsistência, como mandioca e milho, entre outros alimentos. Elas têm por hábito extrair a vegetação de uma pequena área para sua nova plantação e ‘limpam’ o terreno ateando fogo, já que não têm acesso a outras técnicas mais avançadas e sustentáveis. Porém, essa queimada muitas vezes sai do controle e acaba trazendo muitos prejuízos ambientais e econômicos aos envolvidos”, comenta Paulo Wanzeler Gaia, coordenador de segurança patrimonial e florestal da Agropalma.

Com o propósito de conscientização, a Agropalma atua também junto às comunidades e produtores parceiros. Além de todas as ações de monitoramento, a empresa divulga conhecimento por meio de panfletos e, caso identifique alguma situação que vá expor a floresta, entra em contato com a comunidade e disponibiliza caminhões pipa, para evitar que o fogo se alastre. Atualmente, a companhia conta com três veículos deste porte.
Agropalma Biodiversidade – Crédito Flavio Forner -Conservação Internacional
Protocolo de sustentabilidade
Em relação aos produtores parceiros, a Agropalma tem muito bem definido um protocolo, que segue rigorosamente as determinações das suas certificações de sustentabilidade, entre elas, a proibição do uso de fogo nas plantações. “Caso algum produtor cometa uma infração, existem sanções previstas em contrato que vão desde o cancelamento da compra de sua produção até a suspensão contratual, dependendo da situação”, esclarece Antunes.

O especialista destaca que a importância dessas ações vai além do atendimento legal, é um compromisso com a sustentabilidade do negócio, portanto é preciso considerar as questões ambientais, condições trabalhistas dignas e boas práticas de produção. “É algo conjunto, uma ação leva à outra e, assim, mantemos um ciclo sustentável. O agro brasileiro precisa pensar nisso, para manter a confiança e o respeito do mercado global, não se pode andar na contramão da sustentabilidade”, ressalta o assessor.
A seriedade das iniciativas adotadas pela Agropalma levou à conquista de certificações como o RSPO – Roundtable on Sustainable Palm Oil, que possui princípios, critérios e indicadores que garantem o comprometimento da empresa nas dimensões ambientais, sociais, econômicas e melhoria contínua. “A adoção de práticas sustentáveis no negócio da palma assegura a manutenção das nossas certificações, o que nos garante competitividade de mercado e agrega valor ao nosso produto. Além das questões comerciais e econômicas, existe o bem-estar e a qualidade de vida das pessoas, por meio da preservação das florestas, rios e biodiversidade”, conclui Antunes.

Sobre a Agropalma
A Agropalma é a maior produtora de óleo de palma sustentável da América Latina e sua atuação perfaz toda a cadeia produtiva, da produção de mudas ao óleo refinado e gorduras especiais. Sua trajetória começou em 1982, no município de Tailândia, no Pará. Atualmente, a empresa conta com seis indústrias de extração de óleo bruto, um terminal de exportação e duas refinarias, atualmente emprega cerca de 4.500 colaboradores diretos. O compromisso da Agropalma com o meio ambiente é um de seus valores, o que é representado, na prática, por certificações de sustentabilidade, abrangendo insumos, matérias primas e 100% de sua produção.
Site: www.agropalma.com.br

ARTIGOS RELACIONADOS

Adubação verde beneficia lavouras de grãos

Técnica secular e tradicional na agricultura, a adubação verde vem somando à produção de soja e milho, que além de mais sustentabilidade ganham um...

Vigilância e amadurecimento

Por Coriolano Xavier, Vice-Presidente de Comunicação do Conselho Científico para Agricultura Sustentável (CCAS), Professor do Núcleo de Estudos do Agronegócio da ESPM. Em dez anos, a...

Os benefícios da energia solar para o agronegócio

Autoprodução por meio da geração solar fotovoltaica reduz esses gastos e garante maior competitividade ao setor

Unidade de crédito de sustentabilidade visa reduzir emissão de gases

Os inúmeros avanços que a sociedade tem conquistado a favor do seu progresso tem contribuído

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!