Alface de inverno: resistente às doenças foliares

0
21

Walleska Silva Torsian

Engenheira agrônoma e doutoranda em Fitotecnia – ESALQ/USP

walleskatorsian@usp.br

Alasse Oliveira da Silva

Engenheiro agrônomo e mestrando em Fitotecnia – ESALQ/USP

alasse.oliveira77@usp.br

Liliane Marques de Sousa

Engenheira agrônoma e mestranda em Fitotecnia – Universidade Federal de Viçosa (UFV)

liliane.engenheira007@gmail.com

Crédito: Shutterstock

A alface é uma das hortaliças folhosas mais importantes do Brasil e do mundo, consumida principalmente na forma in natura, ou seja, em saladas cruas e frescas e tradicionalmente cultivada por pequenos e médios produtores.

No mercado existe uma ampla variedade de cultivares de alface com diferentes tipos de formatos, coloração, tamanho e gostos, caracterizando a alface crespa como a mais produzida e consumida.

A região sudeste é a maior produtora de alface, de hortaliças folhosas no geral, caracterizando o Estado de São Paulo como responsável por mais de 40% da produção.

A produção americana é conhecida por seu sistema logístico ligado à cadeia de frio, enquanto o modelo brasileiro baseia-se na produção de alfaces por meio dos “cinturões verdes” que são próximos aos centros consumidores de hortaliças.

Características

A alface é bastante influenciada por diversas condições ambientais, sendo mais adaptada a temperaturas amenas entre 15 e 19°C, porém, toleram até 29°C, desde que a temperatura noturna seja mais baixa.

A alface cultivada em temperaturas entre 21 e 27°C por longos períodos promove o pendoamento, ou seja, a elongação do caule, o que prejudica a formação de cabeças mais vistosas e chamativas para o mercado consumidor.

A temperatura tolerável máxima está em torno de 30°C para a maioria das cultivares plantadas. A produção de alface em temperaturas amenas favorece a fase vegetativa, sendo resistente a temperaturas mais baixas e a geadas leves.

No verão, a maioria das cultivares não se desenvolve bem devido ao calor intenso, grandes períodos de chuvas e dias longos e quentes.

O outono e inverno são as estações mais críticas para a produção, pois o frio afeta o metabolismo das plantas, o que prejudica as lavouras. Entretanto, não são todas as culturas que sofrem na época do frio. No caso das hortaliças, o frio traz algumas vantagens, como escassez de chuvas fortes e umidade relativa do ar mais baixa, mas, mesmo assim, é de extrema importância conhecer a adaptação climática de cada hortaliça.

Genética

Graças ao avanço da pesquisa, em especial o melhoramento genético, já é possível cultivar hortaliças durante todo o ano. Logo, é importante escolher sementes de confiança e qualidade para não haver prejuízos na colheita.

Outra solução é cultivar alface de inverno em cultivo protegido, que funciona bem nos períodos mais frios do ano. As estufas protegem principalmente de geadas mas, também o aquecimento pode garantir a integridade das hortaliças. No inverno, podem ser cultivadas diferentes variedades de alface, como Americana, Lisa, Crespa, Mimosa, Mimosa Roxa, Crespa Roxa e Romana.

Cuidados essenciais

Mas, como a alface se caracteriza por cultivos em temperaturas mais amenas, isso não quer dizer que não se deve ter cuidado. Mesmo no frio ela necessita de cuidados especiais para seu desenvolvimento, caso contrário, pode ser prejudicada pela baixa temperatura.

Elas são passíveis de sofrer danos causados pelas geadas, que é quando a temperatura do ar fica abaixo do ponto de congelamento da água, que é 0°C. Assim, formam-se cristais sobre a superfície da alface que podem congelar a seiva da planta e impedir o funcionamento das células, prejudicando o desenvolvimento e a colheita da alface.

Uma dica para evitar o dano causado pela geada é verificar a temperatura no início da noite. Se o termômetro marcar 13°C e não estiver chovendo, provavelmente será sinal de geada durante a madrugada.

Sendo assim, é importante cobrir todas as alfaces com sombrite ou outro tipo de material escuro à noite e retirar imediatamente logo no início da manhã. Outro cuidado especial é com relação à irrigação das alfaces – como a evaporação da água é reduzida por causa das baixas temperaturas, o solo demora a secar mais do que no verão.

Logo, se a irrigação ocorre na mesma intensidade, o solo ficará úmido por muito mais tempo. É importante realizar a irrigação apenas quando o solo começar a secar e que seja feita no início da manhã para que as folhas sequem durante o dia, assim, evita-se o excesso de umidade das folhas e o surgimento de doenças e pragas relacionados à alta umidade. 

Proteção

Os produtores que cultivam alface no campo podem optar, nessa época do ano, por implementar o mulching diretamente nos canteiros. Essa técnica de cobertura de solo com diferentes reflectâncias (preto, branco, prata) visa a diminuição da competição de plantas invasoras e propicia um microclima mais favorável ao desenvolvimento da alface.