Alface: Novidades no manejo nutricional da cultura

0
169

Autora

Raíra Andrade PelvineEngenheira agrônoma e doutoranda em Agronomia/Horticultura – Unesp-Botucaturaira_andpelvine@hotmail.com

Há diversas empresas que estão investindo em kits nutricionais prontos para uso, sistemas de irrigação adequados para evitar problemas de entupir os bicos de saída de água, e assim acabar prejudicando a planta. As novidades ficam por conta dos adubos que possuem baixo teor de liberação do nutriente, para que durante todo o ciclo a cultura receba o mineral, e ainda as diversas tecnologias que auxiliam o manejo, como bioestimulantes que auxiliam no desenvolvimento da cultura.

A técnica deve ser implantada antes de iniciar o plantio, pois muitas vezes, e dependendo do método de cultura, o início da instalação é primordial para o sucesso ao final do ciclo.

Como dito, existem diversas “receitas” para as mais diversas condições, necessitando, muitas vezes, de um profissional para auxiliar no melhor manejo nutricional para o produtor. Deve-se levar em consideração a adubação de base inicial, para quando não houve plantios anteriores de hortaliças folhosas, que deve ser bem-feita.

Quando já houve outros plantios, é preciso cuidado com a adubação de plantio, e muitas vezes acaba sendo necessário também a adubação de cobertura.

Mais produtividade

Com o manejo nutricional, e dependendo também de um conjunto de medidas adotadas, pode-se elevar a produtividade da hortaliça, gerando principalmente mais folhas por planta, e mais acúmulo de nutrientes, pois ela provavelmente se encontrará em situação adequada para a necessidade de desenvolvimento.

Muitas vezes pode ser observado no campo, após a introdução do manejo nutricional, o desenvolvimento mais uniforme da hortaliça, com maior formação de cabeça e de folhas, e também a diminuição do ciclo. Quando as plantas estão equilibradas nutricionalmente, pode até ocorrer diminuição do ataque de patógenos.

Sem receita pronta

Normalmente, quando se utiliza uma “receita” pronta, como a maioria dos produtores, eles esquecem de observar dois fatores: se o novo manejo a ser implantado é adequado ao tipo de cultivo que ele se encontra, e principalmente para a sua região, e ainda a disponibilidade periódica de encontrar os produtos ao longo do ano.

Um exemplo é o uso de material orgânico, sempre disponível e na quantidade desejada, para produzir a hortaliça, que muitas vezes exige que se adapte outros produtos para substituição. Em sistema hidropônico, dependendo da região, acaba sendo difícil encontrar nutrientes sempre disponíveis, sendo necessário, muitas vezes, comprar e deixar em estoque esse material.

Nestes dois exemplos, ocorre algo indesejado: aumento no custo de produção, pois muitas vezes acaba sendo necessário sair da “receita base”, e adaptação.

Com o intuito de diminuir os erros, o produtor deve sempre procurar a orientação de um especialista.

Investimento x retorno

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.