26.6 C
Uberlândia
segunda-feira, julho 22, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiAlgas reduzem estresse na melancia

Algas reduzem estresse na melancia

 

Eduardo Suguino

Pesquisador científico da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA) Polo Centro Leste, Ribeirão Preto (SP)

e-mail: esuguino@apta.sp.gov.br

Destaque

Algas proporcionam maior enraizamento na melancia - Crédito Shutterstock
Algas proporcionam maior enraizamento na melancia – Crédito Shutterstock

Não existem muitos trabalhos com resultados disponíveis sobre o uso de algas (extratos ou seca), na cultura da melancia. Algumas empresas privadas realizam trabalhos em determinados locais, mas essas informações ainda não se tornaram públicas.

O que se encontra de informações é que a elas são atribuídas funções como o fornecimento e melhoria na absorção de nutrientes do solo, aumento da divisão celular, estímulo ao crescimento e produção da planta, capacidade de retenção de água, redução de alguns tipos de estresse, dentre outros.

O que se sabe é que, no Brasil, uma boa parte dos produtos disponíveis está relacionada à espécie Ascophyllum nodosum. Segundo a literatura, essas algas possuem ação semelhante à dos hormônios vegetais e são facilmente encontradas no hemisfério norte, em regiões de clima temperado, onde se acredita tenha desenvolvido estratégias de sobrevivência devido ao fato de viverem em condições adversas.

Pesquisas

Alguns trabalhos publicados sobre o assunto informam que em testes laboratoriais houve um aumento considerável do sistema radicular de plântulas de alguns cereais, o que certamente auxiliaria no processo de fixação quando do plantio no campo.

No entanto, existem também relatos controversos sobre a ação destes compostos nas diversas culturas agrícolas, onde alguns estudos supõem que o sucesso da utilização depende da espécie da planta e das substâncias existentes no extrato de alga comercializado.

Nestes trabalhos, houve um tratamento prévio das sementes imersas em solução de extrato de algas com várias diluições, por tempos inferiores a 30 minutos, e semeadas em caixa de areia e também em conjuntos com irrigações de pequenas quantidades de extrato diluído em água por períodos inferiores a 10 dias após a semeadura.

Os resultados, mesmo laboratoriais, variaram de acordo com a cultura utilizada, mas, num aspecto geral, obtiveram resultados positivos.

Manejo

Segundo informações das empresas que trabalham com este tipo de produto, junto ao extrato propriamente dito, também vai uma pequena quantidade de aminoácidos de fácil utilização pela planta e que auxilia no equilíbrio nutricional da mesma, e a aplicação na planta, em geral, ocorre diluindo-se o produto na água de irrigação, ou de acordo com a recomendação técnica do mesmo.

 

 

Essa matéria você encontra na revista Campo & Negócios Hortifrúti, edição de junho. Adquira a sua.

 

 

ARTIGOS RELACIONADOS

Nunhems apresenta conceito Pingo Doce para melancia

  A melancia produzida no sistema Pingo Doce tem menos sementes, seedless, e doçura superior garantida pelo alto teor brix (açúcar), o que torna o...

Algas marinhas são adjuvantes?

Nilva Teresinha Teixeira Engenheira agrônoma, doutora em Solos e Nutrição de Plantas e professora do Curso de Engenharia Agronômica do Centro Regional Universitário de Espírito...

Irrigação inteligente possibilita aumento de produtividade no milho

Rubens Duarte Coelho Professor titular da ESALQ/USP" Laboratório de Engenharia de Irrigação (LEB) rdcoelho@usp.br   A irrigação inteligente é um sistema de irrigação por gotejamento enterrado que...

Estresses abióticos – Como conviver com eles?

Juscelio Ramos de Souza Bruno Neves Ribeiro  Pesquisa & Desenvolvimento KimberlitAgrociências   Os estresses ambientais têm se figurado como um dos fatores responsáveis pela atual distribuição das culturas...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!