29.4 C
Uberlândia
quarta-feira, fevereiro 28, 2024
- Publicidade -
InícioDestaquesAlgodão social: Certificação amplia produção

Algodão social: Certificação amplia produção

A produção certificada brasileira é estimada em 81,3% do total da safra 20/21. A certificação subiu de 0,9 MM para mais de 2,0 MM de toneladas em dez anos

Algodão – Crédito: Shutterstock

A sustentabilidade entrou definitivamente na pauta da cadeia do algodão. Para garantir uma produção socialmente responsável no campo até chegar ao consumidor, produtores encontraram na certificação, uma forma de ampliar a participação no mercado. Atualmente 81,3% da safra brasileira 20/21 já é certificada, segundo dados da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa).
A Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT é uma das certificadoras do programa Algodão Brasileiro Responsável (ABR) e certificou na safra 20/21, mais de 240 fazendas no Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Maranhão. “A certificação das fazendas produtoras de algodão, com base no Programa ABR é um passaporte para o mercado globalizado cada vez mais pressionado pelas exigências do consumidor consciente que pretende deixar um mundo melhor para as futuras gerações e que para isso busca além da qualidade e preço justo”, explica o presidente da ABNT, Mario William Esper.


Enquanto grande parte do setor produtivo foi impactado pela pandemia, a safra 20/21 de algodão fechou com superávit da balança comercial encerrando a temporada em US﹩ 3,762 bilhões, quando as exportações chegaram a 2.398 milhões de toneladas e importações 3.665 mil toneladas, gerando um superávit comercial de 2.394 milhões de toneladas. Com isso, o Brasil passou de quarto para segundo maior exportador mundial de algodão nos últimos 10 anos, e atualmente ocupa 22% de market share sobre o total exportado no mundo.
Para a obtenção do certificado ABR, cuja ABNT é uma das certificadoras são verificados em auditorias de campo os critérios internacionais relativos à conformidade social da produção: proibição de trabalho infantil e forçado ou análogo ao de escravo, proibição de trabalho indigno ou degradante, regularidade do contrato de trabalho, segurança do trabalho, proibição de discriminação de pessoas e liberdade sindical.
A parceria com o setor teve início em 2007, quando o Instituto Algodão Social (IAS), criou o Selo “Algodão Socialmente Correto”, em parceria com a ABNT, comprovando o respeito às normas trabalhistas e ambientais na produção da fibra em Mato Grosso. Em busca da certificação da qualidade social do algodão de Mato Grosso, celebrou-se em 2007 um contrato de parceria com a ABNT.


A partir da experiência bem-sucedida do Instituto Algodão Social (IAS), a Abrapa, em parceria com suas associadas estaduais, criou o Programa Socioambiental da Produção de Algodão (Psoal), de abrangência nacional, lançado em 2009.
Desde 2007, a ABNT inicialmente com o IAS, vem participando como Organismo de Certificação das fazendas produtoras de algodão. “O contrato é renovado a cada safra, em processo de melhoria contínua, com excelentes resultados não só em relação à segurança jurídica dos contratos de trabalho e melhoria das condições de segurança do trabalho e qualidade de vida dos trabalhadores e suas famílias, mas em especial agregando um atestado de boa origem socioambiental ao algodão”, reforça o presidente.
“A ABNT como certificadora também participa como organismo de certificação das UBA’s, obedecendo aos critérios rígidos e comprováveis de sustentabilidade ambiental, social e econômica em seus processos produtivos”, explica Mario. A cotonicultura é hoje uma atividade próspera e rentável graças a competência e determinação do empreendedor rural.
Sobre a ABNT

A ABNT é o único Foro Nacional de Normalização, por reconhecimento da sociedade brasileira desde a sua fundação, em 28 de setembro de 1940, e confirmado pelo Governo Federal por meio de diversos instrumentos legais. É responsável pela elaboração das Normas Brasileiras (NBR), destinadas aos mais diversos setores. A ABNT participa da normalização regional na Associação Mercosul de Normalização (AMN) e na Comissão Pan-Americana de Normas Técnicas (Copant) e da normalização internacional na International Organization for Standardization (ISO) e na International Electrotechnical Commission (IEC). Desde 1950, atua também na área de certificação, atendendo grandes e pequenas empresas, nacionais e estrangeiras. Possui atualmente mais de 400 programas de certificação, destinados a produtos, sistemas e verificação de gases de efeito estufa, entre outros. A sociedade identifica na Marca de Conformidade ABNT a garantia de que está adquirindo produtos e serviços em conformidade, atendendo aos mais rigorosos critérios de qualidade. A ABNT Certificadora tem atuação marcante nas Américas, Europa e Ásia, realizando auditorias em mais de 30 países.

ARTIGOS RELACIONADOS

Calcário pode trazer ganho na soja

Encerrando a safrinha já é hora de planejar a próxima. Um dos elementos que devem ser levados em conta é a correção do solo, custo que, segundo especialistas, deve ser mantido.

Algodão – A vedete da rotação de culturas

  Através do sistema de rotação de culturas é possível aumentar ou manter a matéria orgânica do solo, diminuir perdas por erosão, controlar plantas daninhas,...

Fundação MT difunde informações agrícolas para mais de duas mil pessoas em Mato Grosso

O tradicional evento realizado pela Fundação de Apoio à Pesquisa Agropecuária de Mato Grosso, Fundação MT, que antecede o plantio da soja, foi encerrado...

Importância do plástico na colheita automatizada de algodão

A Azulpack, fabricante nacional de filmes plásticos de alta performance em vários segmentos, tomou a decisão de investir no desenvolvimento do filme plástico para as colheitadeiras de enfardamento automático no setor do agronegócio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!