18.1 C
São Paulo
domingo, agosto 14, 2022
-Publicidade-
Inicio Revistas Hortifrúti Aminoácidos - A chave-mestra na produção de manga

Aminoácidos – A chave-mestra na produção de manga

Nilva Terezinha Teixeira

Engenheira agrônoma, doutora em Solos e Nutrição de Plantas e professora de Nutrição de Plantas, Bioquímica e Produção Orgânica do Centro Universitário do Espírito Santo do Pinhal (UniPinhal)

nilvatteixeira@yahoo.com.br

 

Crédito Shutterstock
Crédito Shutterstock

A manga se destaca quando se analisa as exportações de frutas brasileiras. Entretanto, o volume exportado poderia ser ainda maior, se não fosse a seca na Bahia e no Vale do São Francisco, e a quebra de safra em São Paulo, devido ao excesso de chuvas.

Nas grandes regiões produtoras de manga no Brasil, no caso o nordeste, fatores abióticos desfavoráveis (temperaturas extremamente alta, falta de água, etc.) contribuem significativamente para perdas de produção, o que pode atingir até 70%.Tais condições prejudicama fisiologia e modifica o metabolismo vegetal.

Porém, pra amenizar tal problema pode-se incluir, no processo produtivo, tecnologia para evitar a transpiração ou para aumentar a absorção de água. A manga necessita de água disponível no solo em todas as fases do seu crescimento: em seu desenvolvimento inicial, nas fases vegetativas e reprodutivas para a plena produção.

Os aminoácidos

Entre as alternativas para diminuir os prejuízos causados por estresses abióticos e bióticos está a inclusão de formulados contendo aminoácidos.

Os aminoácidos, além de constituírem as proteínas que são formadoras de tecidos e atuam como enzimas, são precursores de vitaminas, de hormônios, dos citocromos e das clorofilas.

Osaminoácidos formam-se nas plantas a partir da reação entre N-amoniacal e cetoácidos, que são produzidos pelo metabolismo de açúcares gerados pela fotossíntese. Estudos mostram que, normalmente, o primeiro aminoácido sintetizadoé o ácido glutâmico, que é o transportador de nitrogênio na planta.

A partir do ácido glutâmico se formam os demais aminoácidos, que se juntam originando as proteínas por meio de rotas metabólicas com dispêndio de energia.

As plantas absorvemos aminoácidos tanto pelas folhas como por suas raízes. Essa capacidade permite-lhes tirar partido de aplicações foliares ou via rega, o que lhes propicia um desenvolvimento rápido e com menor consumo energético.

Por que usar os aminoácidos

Os efeitos mais importantes da aplicação exógena dosaminoácidos são obtidos em situações climatológicas adversas (seca, geadas, temperaturas noturnas muito baixas e por períodos prolongados, etc.), ocorrência de fitotoxicidades diversas causadas por aplicações errôneas de fertilizantes e fitossanitários e, ainda, em circunstâncias de ataques de pragas e doenças.

Mencionam-se,também, que a introdução de aminoácidos no processo produtivo beneficia a taxa fotossintética, o que pode contribuir para a maior tolerância aos fatores adversos bióticos e abióticos (podendo, então,funcionar como antiestressantes).

Alguns dos aminoácidos participam da síntese de fitohormônios. O triptofano, por exemplo, é percursor da síntese do ácido indolacético, auxina promotora de crescimento vegetal. A metionina é também matéria-prima para a formação do etileno, responsável pela maturação de frutos e senescência vegetal.

Observações de literatura dão conta de que em condições de estresse causado por fatoresabióticos, comoo déficithídrico e a salinidade as plantas, aumentaa produção dos aminoácidos, como por exemplo, a lisina, prolina, tirosina e triptofano.

Estudos têm demonstrado que tal acúmulocontribui para o ajuste osmótico celular e paraaumentar a resistência das plantas às referidas condições adversas.Porém, tal ocorrência se dá apenas quando o problema está instalado e em quantidades aquém das necessárias. Assim, sua aplicação via exógena promoverá maior proteção vegetal quanto aos agentes abióticos.

Crédito Shutterstock
Crédito Shutterstock

Controle de pragas

Os aminoácidos também podem auxiliar no controle de pragas e doenças, que é um fator biótico estressante importante e que causa perdas consideráveis de produção (em quantidade e qualidade).

Estudos demonstram que tais substâncias proporcionam aumentos na expressão de genes e enzimas (quitinase e glucanase) relacionadas à resistência da planta aos insetos-praga e microrganismos fitopatogênicos. Ainda,estimulam a síntese de proteínas enzimáticas e formadoras de tecidos, o que acelera novas brotações e enfolhamento das plantas.

Os aminoácidos tirosina e fenilalanina são precursores dos compostos fenólicos como o ácido cinâmico, o ácido cumárico e flavonas, envolvidos com a defesa das plantas. Além disso, os aminoácidos proporcionam redução dos compostos solúveis nas plantas, que são um dos responsáveis pela suscetibilidade das plantas às pragas e doenças.

A fenilalanina é outro aminoácido ligado à resistência das plantas aos fatores bióticos:é a base para a síntese dalignina que é encontrada nas paredes celulares de vários tipos, de tecidos de sustentação e vascular, juntamente com a celulose e hemicelulose.

É também a responsável pelo fortalecimento de caules e do tecido vascular, protege as plantas quanto ao acamamento e da ação de insetos e microrganismos, devido a sua estabilidade química.Por sua capacidade de ligação à celulose e às proteínas, a lignina também reduz a digestibilidade dessas substâncias.

Essa matéria completa você encontra na edição de setembro 2017  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua para leitura integral.

Inicio Revistas Hortifrúti Aminoácidos - A chave-mestra na produção de manga