Inicio Revistas Hortifrúti Aminoácidos reduzem fitotoxicidade dos defensivos

Aminoácidos reduzem fitotoxicidade dos defensivos

0
263

 

Ademilson de Oliveira Alecrim

Mestrando em Fitotecnia pela Universidade Federal de Lavras (UFLA) e membro do Grupo de estudos em Herbicidas, Plantas Daninhas e Alelopatia (GHPD)

Lucas Guedes Silva

Graduando em Agronomia pela UFLA e membro do GHPD

Tiago Teruel Rezende

Doutorando em Fitotecnia pela UFLA e membro do GHPD

tiagorezende@necafufla.com.br

Crédito FMC
Crédito FMC

A utilização de aminoácidos na agricultura vem sendo bastante praticada e estudada há várias décadas em diversas culturas ao redor do mundo. Esse fato pode ser comprovado devido à grande quantidade de produtos à base de aminoácidos que estão disponíveis no mercado.

Entretanto, aplicações isoladas dos mesmos raramente têm mostrado efeitos significativos na produção vegetal, sendo, na maioria, empregados em combinação com outros produtos ou como fertilizantes foliares na forma de proteínas hidrolisadas que incorporam nutrientes como Ca, Mg, Fe, K, Cu, Zn e Mn.

O que são

Os aminoácidos formam as proteínas e possuem um grupo nitrogenado chamado de amina (NH2) e um grupo carboxílico (COOH). Todos os seres vivos (homem, animais e plantas) precisam de aminoácidos para sua existência, pois a partir deles serão sintetizadas as proteínas, enzimas e hormônios tão necessários à manutenção da vida.

Eles figuram entre os componentes mais importantes do metabolismo celular, sendo sintetizados a partir de moléculas de glicose produzidas pelas plantas por meio da fotossíntese e que se apresentam como constituintes e precursores de moléculas essenciais à vida, como peptídeos, proteínas, hormônios, coenzimas, nucleotídeos, polímeros de paredes celulares e inúmeras substâncias reguladoras do metabolismo vegetal.

As melhores respostas dos aminoácidos têm sido em situações de estresses bióticos - CréditoShutterstock
As melhores respostas dos aminoácidos têm sido em situações de estresses bióticos – CréditoShutterstock

Por que utilizar os aminoácidos

A planta exige uma grande quantidade de energia para fazer a síntese de aminoácidos, entretanto, por meio da aplicação endógena de um aminoácido estamos economizando a energia que a planta precisa para sintetizar-se e ainda está disponível para ser usado em inúmeros processos bioquímicos que visam aumentar a produção.

O emprego dos aminoácidos tem proporcionado aumento de produtividade e melhoria na qualidade de grãos e frutos, como hortaliças, café, citros, algodão, frutíferas, feijão, soja, etc.

Ação do aminoácido

 

Os aminoácidos agem nos processos morfofisiológicos do vegetal como precursores de hormônios endógenos ou como ativadores de enzimas e na disponibilização de compostos capazes de promover tolerância a estresses, podendo-se citar a potencialização da síntese de proteínas, de compostos intermediários dos hormônios vegetais e do efeito quelatizante de nutrientes ou agroquímicos.

Contudo, as melhores respostas dos aminoácidos têm sido em situações de estresses bióticos, como aqueles relacionados ao ataque de pragas e doenças, e abióticos, como desordens nutricionais, climáticas, deficiências hídricas ou estresses relacionados à aplicação de defensivos, em especial herbicidas, conferindo aos aminoácidos o título de agentes antiestressantes.

Uma vez que os aminoácidos atuam como estimuladores da síntese de proteínas, que por sua vez facilitam e aceleram as reações químicas celulares,eles funcionam como catalisadores biológicos e aumentam a capacidade das plantas na degradação das moléculas dos defensivos agrícolas.

Estudos já mostraram que os sintomas causados pela aplicação do glifosato em feijoeiro podem ser revertidos com a reposição dos aminoácidos triptofano, fenilalanina e tirosina, cuja síntese é inibida pelo glifosato.

Aplicação

Os aminoácidos são sintetizados pelas plantas para suprir as suas necessidades estruturais e também para outras finalidades, como a síntese de vitaminas, de enzimas, de hormônios e de clorofila.

As plantas conseguem absorver os aminoácidos tanto pelas folhas como pelas suas raízes. Esta capacidade permite-lhes tirar partido de aplicações foliares ou via rega que lhes propicia um desenvolvimento rápido e com menor consumo energético do que o necessário para o processo de síntese. Logo, a aplicação pode ser feita via solo ou foliar.

Os efeitos mais expressivos dos aminoácidos são obtidos quando a aplicação do produto ocorre em situações climatológicas adversas (seca, geadas, asfixia radicular, temperaturas noturnas muito baixas e por períodos prolongados, etc.), ocorrência de fitotoxicidades diversas causadas por aplicações errôneas de fitossanitários e ainda em circunstâncias de ataques de pragas e doenças.

Essa matéria completa você encontra na edição de julho da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira a sua para leitura completa.

 

SEM COMENTÁRIO