23.1 C
São Paulo
quarta-feira, janeiro 26, 2022
- Publicidade -
- Publicidade -
Inicio Revistas Grãos Amostradores de solo garantem eficiência na coleta

Amostradores de solo garantem eficiência na coleta

Lucas Miguel Altarugio

Filipe Guerini

Ana Carolina Mello

Graduandos em Engenharia Agronômica – ESALQ/USP

gape@usp.br

 

Crédito Geotecno
Crédito Geotecno

Amostradores de solo são equipamentos utilizados para a coleta de solo em diferentes profundidades com o intuito de amostrar o solo para posterior análise química e física.

Existem diversos tipos de amostradores de solo, sendo os equipamentos mais utilizados o trado holandês, trado caneco, trado de rosca, trado calador, trado fatiador, sonda e pá de corte, esses dois últimos menos práticos para o manuseio.

Também existem amostradores elétricos e hidráulicos, os quais são dispositivos que aplicam força elétrica ou hidráulica em substituição à força mecânica humana para pressionar o trado contra o solo. Geralmente esses equipamentos contam com amostragem do tipo rosca.

Vantagens e desvantagens

Cada amostrador tem suas vantagens e desvantagens. A amostragem mais precisa, ou seja, aquela que coleta menor quantidade de contaminantes, é feita com pá de corte abrindo-se uma trincheira, porém, é uma operação onerosa que demanda muito tempo e mão deobra.

Para melhorar o rendimento da operação manual são utilizados o trados como holandês, caneco ou de rosca. O primeiro é o mais recomendado quando se quer qualidade e rendimento, o segundo possui rendimento aquém do primeiro e o terceiro, trado de rosca, é o que apresenta maior rendimento operacional e menor qualidade na amostragem.

Um amostrador eficiente, do ponto de vista operacional, é importante para garantir que grandes áreas possam ser amostradas em um curto período de tempo e com pequena quantidade de mão deobra.

Normalmente, quando se aumenta o rendimento operacional da amostragem, a qualidade diminui e os contaminantes na amostragem aumentam, principalmente quando é feita em camadas subsuperficiais. Isso se deve ao fato de que alguns cuidados básicos, como limpeza do trado, retirada de volume excedente na lateral do trado, limpeza da superfície do solo e cuidados para não desmoronamento de solo nas amostragens subsuperficiais são deixados de lado em detrimento do rendimento operacional.

Outro fator relevante a ser considerado quando se pensa em qualidade de amostragem é a localização da amostra em relação à linha de plantio anterior, em que há uma proporção correta entre amostragens na linha e entrelinha.

 Tipos de amostradores de solo - Crédito Geotecno
Tipos de amostradores de solo – Crédito Geotecno

Da forma certa

Realizando muitas amostragens na linha de plantio, aumenta-se a chance de superestimar nutrientes como o fósforo, principalmente se for realizado o plantio com adubação na linha. Em contrapartida, com muitas amostras na entrelinha pode-se superestimar as bases, cálcio, magnésio e potássio, devido à menor exploração radicular.

Esse tipo de erro pode gerar em uma análise de solo de solo não representativa, levando a uma recomendação de correção de solo e adubação incorretas.

Custo

Os trados podem ser feitos de diversos materiais metálicos, sendo o aço inox o mais recomendado devido a sua resistência contra oxidação, boa dureza e peso razoável para manuseio. O preço dos trados é variável e gira em torno de R$500,00 para uma sonda, e na faixa de R$700,00 a R$900,00 para os trados holândes, helicoidal, caneco e de rosca.

Esses equipamentos são de operação manual, muito utilizados em pesquisa, em pequenas áreas, em levantamento de classes de solo e na amostragem de camadas mais profundas de solo.

Em outra ordem de grandeza de investimentos estão os amostradores hidráulicos e automatizados, que alcançam valores de R$19 mil e R$32 mil, respectivamente. Além do investimento no equipamento, é preciso acoplá-lo a um veículo, sendo o quadriciclo o mais comum.

Viabilidade

Devido a sua versatilidade para locomoção, é possível transportá-lo em uma pick-up simples e também tem custo interessante. Apesar do alto investimento inicial, o rendimento deste tipo de equipamento é muito alto.Com apenas um trabalhador munido de um GPS é possível fazer amostragens simples, em zonas de manejo ou em grade de uma área muito grande em pouco tempo.

Esse tipo de equipamento viabiliza a amostragem detalhada de áreas muito grandes, porém, a qualidade da amostragem é bastante questionada, principalmente em se tratando de amostras de subsuperfície. Porém, atualmente á única solução para áreas extensas e funciona relativamente bem para amostras de superfície (0-20 cm).

O funcionamento dos amostradores hidráulicos é dado pela presença de um motor estacionário que, por meio de bombeamento de óleo de um reservatório para um pistão, promove o pressionamento da broca contra o solo e faz voltar para retirada do solo.

Essa matéria completa você encontra na edição de Julho 2017 da revista Campo & Negócios Grãos. Adquira já a sua para leitura integral.

Inicio Revistas Grãos Amostradores de solo garantem eficiência na coleta