21.6 C
Uberlândia
sábado, junho 22, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiAnálise de solo é um importante instrumento para diagnóstico da fertilidade da...

Análise de solo é um importante instrumento para diagnóstico da fertilidade da cenoura

 

Mara Lúcia Martins Magela

maralumm@hotmail.com

Vinícius William Borges Rodrigues

Doutorandos em Agronomia/Fitotecnia ” Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

Regina Maria Quintão Lana

Professora de Fertilidade e Nutrição de Plantas – UFU

rmqlana@ufu.br

Créditos Shutterstock
Créditos Shutterstock

Dentro do cenário produtivo da cenoura, os aspectos relacionados à correção e fertilização do solo representam um dos principais pontos responsáveis pela obtenção de um produto final de qualidade e com alta produtividade.

De maneira geral, o cultivo da cenoura deve ser realizado em solo com pH em torno de 6.0 a 6.5. Valores acima dessa faixa podem levar à indisponibilização de fósforo e micronutrientes como boro, cobre, ferro, manganês e zinco.

Calagem

Em se tratando de correção, a calagem é a técnica responsável pela melhoria das propriedades químicas nas camadas superficiais do solo, sendo importante na neutralização da acidez e no fornecimento de cálcio e magnésio para as plantas.

Este manejo reduz a toxicidade do Al no solo, complexando este elemento para as camadas onde as raízes não têm acesso. Da mesma forma, o desequilíbrio dos nutrientes no solo causa instabilidade na produção da cenoura, gerando prejuízos por desuniformidade no tamanho das raízes, como também potencializa a presença de pragas e patógenos prejudiciais à cultura.

Sintomas de desequilíbrio

A deficiência de qualquer nutriente se refletirá em prejuízos para as plantas e, consequentemente, para a produtividade da cultura. A deficiência de nitrogênio pode reduzir o crescimento da cenoura, e as folhas mais velhas tendem a ficarem amareladas e posteriormente avermelhadas.

A falta de fósforo leva à coloração castanho-arroxeada das folhas velhas e ao desenvolvimento de raízes anormais O potássio abaixo do exigido pela cultura pode ocasionar folhas velhas com as margens com aspecto de queimadas.

A deficiência de cálcio necrosa os pontos de crescimento das folhas novas e causa severas restrições ao crescimento radicular. A falta de magnésio faz as folhas velhas tornarem-se cloróticas nas bordas e a deficiência de boro proporciona encrespamento das folhas, levando e as raízes a ficarem fendilhadas.

A deficiência de qualquer nutriente se refletirá em prejuízos para as plantas Créditos Shutterstock
A deficiência de qualquer nutriente se refletirá em prejuízos para as plantas Créditos Shutterstock

Não confunda

Em hortaliças, incluindo a cenoura, comumente há um equívoco de condução que tende a confundir a cultura bem fertilizada com cultura fertilizada em excesso. O uso de fertilizantes de forma indiscriminada é um problema, pois não são consideradas as disponibilidades de nutrientes no solo e as necessidades da cultura.

Em campo, observa- se que o excesso de nitrogênio pode levar ao acamamento e crescimento vegetativo exagerado e o excesso de fósforo na solução pode ocasionar clorose internerval das folhas jovens, queimadura de bordas e queda de folhas velhas.

Ressalta-se, também, que o excesso de alumínio torna o alongamento das raízes mais lento, além de causar engrossamento das mesmas, que não se ramificam normalmente, prejudicando a absorção dos principais nutrientes para a planta (N, P, K, Ca, Mg, S e micronutrientes).

Adubação acertada

Um bom manejo de fertilização para o cultivo da cenoura inclui atender as exigências dos nutrientes pelas plantas por meio de fontes químicas e/ou orgânicas no plantio e na cobertura, principalmente em relação ao nitrogênio, fósforo e potássio.

O conhecimento sobre as demandas das culturas e também sobre todo o contexto edafoclimático do ambiente no qual será implantada a cenoura contribui para uma boa condução da espécie de acordo com cada particularidade de produção. Dessa forma, para se conhecer o solo e suas características químicas e físicas, faz-se necessário a adoção de algumas práticas, como a análise de solo, que irá demonstrar a realidade do mesmo e quais as posteriores medidas de correções e fertilização necessárias para atender as exigências nutricionais da hortaliça.

Créditos Shutterstock
Créditos Shutterstock

A base de tudo

A análise de solo é um método que permite conhecer a capacidade de um determinado solo de suprir nutrientes para o desenvolvimento adequado de culturas importantes, como a cenoura.

Essa prática é de extrema importância dentro de um manejo sustentável do solo, pois é indispensável para a definição de quantidades adequadas de corretivos e fertilizantes a serem aplicados visando o pleno atendimento das exigências das plantas.

E em se tratando de solos como os do Cerrado, ressalta-se ainda mais essa importância, já que os mesmos, em sua maioria, são ácidos, apresentam alto teor de alumínio e não contêm todos os nutrientes na forma disponível e balanceada para as espécies cultivadas nessas regiões.

A não realização ou postergação da análise de solo, ao se cultivar cenoura, pode causar desequilíbrios nutricionais, ineficiência na produção e comprometer a rentabilidade de toda a atividade. Além disso, um programa de fertilização não embasado em pleno conhecimento sobre as particularidades de cada tipo de solo e manejo pode acarretar contaminações ambientais graves, prejudicando a qualidade dos solos, lençóis freáticos e microrganismos desses ambientes.

A amostragem do solo é considerada uma etapa crucial, e necessita de especial atenção em todo o processo de análise, pois uma pequena porção de solo representará toda a propriedade e a adubação realizada será estabelecida com base nesta amostra.

A amostragem também representa uma ferramenta imprescindível de práticas agrícolas, como a agricultura de precisão. A elaboração de mapas de caracterização do solo requer análises contínuas com o intuito de orientar a correção do solo e fertilização das culturas.

Entretanto, a prática direcionada para agricultura de precisão diferencia-se da amostragem convencional em relação à quantidade de amostras, que é maior, além da necessidade de serem georreferenciadas.

Essa matéria completa você encontra na edição de junho de 2018 da Revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira o seu exemplar para leitura completa.

Ou assine

ARTIGOS RELACIONADOS

Silício favorece enchimento das batatas e reduz doenças

Mais conhecido por ser o material básico da indústria eletroeletrônica, na composição de circuitos integrados ou chips, presentes em todos os equipamentos eletrônicos como...

Principais cultivares de couve-flor e sua época de plantio

A couve-flor (Brassica oleracea var. Botrytis) é uma das hortaliças mais consumidas ofertadas aos brasileiros. Apresenta alto valor nutritivo e comercial, é rica em cálcio e fósforo e fonte de folato e vitamina C. A parte comestível é a inflorescência (conjunto de floretes) ainda imatura, antes da abertura das flores.

Como lidar com os substratos para mudas hortícolas

  Talita de Santana Matos Pós-doutoranda em Agronomia/Ciência do Solo " Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) Elisamara Caldeira do Nascimento Professora do curso técnico em...

Ação dos ácidos húmicos no pessegueiro

Diego Henriques Santos Engenheiro agrônomo da Codasp - Companhia de Desenvolvimento Agrícola de São Paulo (regional Noroeste) dihens@bol.com.br Com múltiplos benefícios, os ácidos húmicos avançam nas vantagens...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!