21.6 C
Uberlândia
quinta-feira, maio 30, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioNotíciasAnálise genética dos microrganismos do solo

Análise genética dos microrganismos do solo

Biome4all

O mercado de carbono está em alta no agronegócio brasileiro e mundial, pois além de reduzir as emissões de gases de efeito estufa, pode ser um ativo verde comercializado pelo produtor rural que consegue sequestrar o elemento e gerar créditos com essa iniciativa. Para outros gases de efeito estufa, como os nitrogenados, usa-se uma medida de carbono equivalente, para estimar os créditos. Porém, para desfrutar dessa realidade, é preciso mensurar o sequestro e ainda entender os processos no solo que afetam o balanço de carbono e nitrogênio. 

Para tanto, a startup Biome4all disponibiliza ferramentas de análise genética dos micro-organismos presentes no solo, que indicam quais manejos afetam a microbiota, especificamente a sua atuação nos processos relacionados ao carbono e ao nitrogênio, podendo indicar decisões focadas em melhorar a capacidade de fixar estes elementos no solo.

Utilizando a ferramenta B4Carbon, produtores e consultores conhecem os atributos funcionais da microbiota do solo, que se relacionam com o balanço de carbono e nitrogênio. “Tais atributos incluem processos que afetam as formas químicas do carbono e do nitrogênio nos solos. Além disso, nesta ferramenta também são identificados os micro-organismos que fixam nitrogênio em um solo”, explica André Lima, geneticista, professor da Universidade do Vale do Itajaí e cofundador da Biome4all.

A solução é implementada em duas etapas. Na primeira, chamada de FullBio e que já está em comercialização, as funções microbianas associadas à ciclagem de carbono e nitrogênio são mapeadas, com foco na capacidade de fixação desses elementos. “Gêneros e espécies de bactérias fixadoras de nitrogênio também são mapeados na amostra. Na segunda etapa, será implementada uma ferramenta preditiva do potencial da microbiota em incrementar a fixação do carbono e do nitrogênio em um solo, com base nestas funções que foram mapeadas”, orienta Lima.

Com isso, o agricultor poderá avaliar como uma determinada estratégia de fertilização pode afetar os processos microbianos que atuam no sequestro de carbono do solo. “Também é possível aferir como uma estratégia de manejo, baseada em produtos biológicos, pode melhorar o potencial de sequestro de carbono do seu solo.” Lima destaca que até então, a genética microbiana não havia sido incorporada às mensurações de sequestro de carbono, apesar de os micro-organismos serem um dos principais agentes desse processo. “Essa ferramenta representa um avanço nas tecnologias aplicadas a esse importante serviço ambiental e para o mercado de carbono, promovendo uma maior sustentabilidade das atividades agrícolas, em sintonia com as tendências globais do consumidor.”

ARTIGOS RELACIONADOS

Pastos saudáveis podem potencializar o sequestro e a estocagem de carbono no solo

Pesquisa realizada no âmbito do RCGI aposta nas chamadas soluções baseadas na natureza.

Brasil lança a primeira bolsa de crédito de carbono do mundo

A B4 é uma bolsa de ação climática real, o ponto de encontro para evitar a pegada de carbono e promover a efetiva compensação, alcançando o Net Zero.

Fazenda entra no mercado de carbono com reflorestamento a custo zero

Projeto da startup franco-brasileira Morfo restaura área degradada com espécies nativas e é financiado pela pré-venda de parte dos créditos.

Empresários adotam plataformas que levam conhecimento ao agronegócio

O avanço tecnológico acontece em ritmo acelerado, atingindo importantes setores da economia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!