25.9 C
Uberlândia
sábado, fevereiro 24, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosGrãosAplicação aérea de maturadores

Aplicação aérea de maturadores

Autores

Bruno Nicchio Engenheiro agrônomo, doutor e PhD em Produção Vegetal/Fitotecnia – Universidade Federal de Uberlândia (UFU)bruno_nicchio@hotmail.com 

Gustavo Alves Santos Doutor e pesquisador – KP Consultoria

Hamilton Seron Pereira hseron@uol.br

Gaspar Henrique Korndörfer ghk@uber.br

Doutores e professores titulares – UFU

Cana – Fotos: Miriam Lins

O sucesso na produção de açúcar e álcool da cana-de-açúcar está diretamente associado ao fornecimento de matéria-prima de alta qualidade tecnológica. Com a expansão da safra e das lavouras canavieiras, o uso de produtos como maturadores tem apresentado significativa relevância para o suprimento do complexo industrial, já que permite induzir o processo de maturação da cana-de-açúcar mesmo em condições climáticas que favorecem a vegetação e dispor às unidades industriais matéria-prima de qualidade (Leite et al., 2010).

A maturação da cana é definida pelos fisiologistas como um estádio senescente, entre o crescimento rápido e a morte da planta, o que faz desta a última fase dos processos fisiológicos da planta.

O processo de amadurecimento da cana-de-açúcar envolve um sistema metabólico complexo, com início na atividade fotossintética nos cloroplastos das células das folhas, resultando em acúmulo de carboidratos fotossintetizados (sacarose) nos colmos.

A maioria das variedades plantadas hoje tende a amadurecer e alcançar o máximo de maturação em apenas 60 a 120 dias após o início da safra, o que justifica parte do interesse no emprego a aplicação de maturadores e várias práticas culturais, como desponte, regulagem de água e adubação visando antecipar a maturação (Rodrigues, 1995).

Quem são eles

Os reguladores vegetais classificados como maturadores são compostos químicos capazes de modificar a morfologia e fisiologia vegetal, podendo alterar a qualidade e a quantidade de produção da cana-de-açúcar, utilizados como ferramenta auxiliar no planejamento da colheita e no manejo varietal dos canaviais.

Por meio do uso destes tipos de produtos procura-se modificar as condições naturais de maturação visando obter maiores acréscimos dos conteúdos de açúcares sem prejuízos à produtividade de colmos.

Alguns produtos podem favorecer o acúmulo mais uniforme de açúcares nos entrenós da região apical, normalmente imaturos. A cana-de-açúcar é uma espécie que tem capacidade de absorver e acumular grandes quantidades de nutrientes, como o silício (Si), elemento mais absorvido e que traz inúmeros benefícios à cultura, dentre eles o aumento significativo da produção e da síntese de açúcar (Viana et al., 2008; Foltran, 2013).

Além do Si, o boro (B), entre os micronutrientes, é particularmente importante para a cultura da cana-de-açúcar, porque está envolvido na translocação dos açúcares produzidos e por isso é um importante nutriente para maturação da cana (Anderson; Bowen, 1992).

Pesquisas

[rml_read_more]

Em estudo realizado em cana de 4º corte (variedade RB 85-5453), os autores desta reportagem avaliaram o efeito da aplicação de maturadores aos 15, 30, 45 e 60 dias após aplicação (DAA) nos ganhos de ATR (Açúcar Teórico Recuperado).

Foi observado que os valores de ATR (kg TC-1) aumentaram de acordo com o passar dos dias para todos os tratamentos aplicados (Figura 1). O ácido bórico foi o produto que menos incrementou o ATR com o passar dos dias, apresentando aumento de somente 0,08 kg TC-1 para cada dia que sucede a aplicação.

Comportamento similar é observado para a aplicação de boro etalonamina, mas mesmo os incrementos sendo pequenos, equivalem ao dobro (0,15 kg TC-1 dia-1) daqueles proporcionados pelo uso de ácido bórico.

Figura 1. Curva de maturação de cana soca (variedade RB 85-5453) através do valor de ATR (kg açúcar TC-1) em diferentes épocas de amostragem após a aplicação de diferentes maturadores.

Os incrementos mais intensos em ATR aconteceram para os produtos etil-trinexapac, borato de amônio e também onde não houve aplicação de produto algum (testemunha), onde se observou aporte de 0,4, 0,3 e 0,3 kg ATR TC-1, respectivamente, para cada dia que se passa após a aplicação (Figura 1).

Os demais tratamentos apresentam comportamento similar, caracterizado pelo efeito positivo da aplicação, ou seja, aumento na produção de ATR, no período de 0 a 45 dias, e a estagnação/diminuição da quantidade de açúcar total recuperado na fase final de avaliação (45 a 60 dias).

Ao analisar o efeito dos produtos aos 45 DAA, o ganho de ATR da cana dos tratamentos onde foi feita a aplicação de borato de amônio, silicato de K + boro etalonamina e etil-trinexapac, apresentaram os maiores ganhos em comparação com silicato de K, boro etalonamina e ácido bórico, os quais variam de 2,1 a 8,8 kg açúcar TC-1 (Figura 2).

Figura 2. Ganho de ATR (kg açúcar TC-1) 45 dias após da aplicação de diferentes maturadores em cana soca (Variedade RB 85-5453).

Parâmetros tecnológicos

Semelhante ao observado, Zillo (2003), em experimento realizado na Usina Santa Elisa, avaliou os efeitos de vários maturadores na variedade SP80-1816 e verificou que o etil-trinexapac contribuiu para a melhoria da maioria dos parâmetros tecnológicos da cana aos 44 e 65 DAA.

Este produto é um fitorregulador que, se aplicado corretamente, e em época adequada, provoca o acúmulo de sacarose nos colmos, ajudando, assim, o planejamento e a maximização de melhor aproveitamento agroindustrial da cultura de cana-de-açúcar.

 Os autores observaram que o etil-trinexapac foi o que apresentou melhor comportamento, com melhores resultados aos 46 e 71 dias após a aplicação.

Beluci et al. (2019), ao avaliarem a aplicação de diferentes maturadores em cana, variedade RB 866928, observaram efeitos positivos dos tratamentos na ATR aos 32 e 62 dias após a aplicação.

Bianco (2019) ao avaliar aplicação de etil-trinexapac na mesma variedade citada pelos autores desta reportagem (RB85-5453), o autor observou um incremento no ATR da cana-de-açúcar com aplicação deste maturador.

Atenção

Para obtenção de respostas satisfatórias, é importante a avaliação do ambiente de produção e de qual variedade está sendo cultivada, já que algumas apresentam melhores respostas à aplicação de maturadores.

A época de aplicação e doses são alguns dos fatores que podem influenciar na eficiência do produto, e por isso é importante seguir as recomendações de acordo com as características de cada um. Portanto, a aplicação de maturadores vegetais na cana tem se tornado uma prática cada vez mais comum no setor.

ARTIGOS RELACIONADOS

Produtores de cana comprovam resultados com manejo biológico

Rentabilidade pode ser até três vezes superior na comparação com a soja.

Tendências e diretrizes para o setor sucroenergético em nível nacional e mundial

O evento, que será realizado entre os dias 18 e 20 de agosto de 2020, contará com a participação de representantes de entidades setoriais, universidades e dirigentes das principais empresas da cadeia produtiva do segmento

A remoção da palha de cana-de-açúcar pode dobrar o uso de fertilizantes?

Uma pesquisa publicada na Bioenergy Research alerta que a remoção dos resíduos culturais (palha) da cana-de-açúcar para produção de bioenergia (eletricidade ou etanol de segunda geração)...

Adubação verde – A natureza a serviço da natureza

Elaine Bahia Wutke ebwutke@iac.sp.gov.br José Antônio de Fátima Esteves jafesteves@iac.sp.gov.br Engenheiros agrônomos, pesquisadores científicos do Instituto Agronômico (IAC), Centro de Grãos e Fibras " Leguminosas Edmilson José Ambrosano ambrosano@apta.sp.gov.br Engenheiro...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!