18.1 C
São Paulo
segunda-feira, agosto 8, 2022
-Publicidade-
Inicio Revistas Hortifrúti Aplicação de aminoácido protege a alface do estresse

Aplicação de aminoácido protege a alface do estresse

 

Fernando Simoni Bacilieri

ferbacilieri@zipmail.com.br

Daniel Lucas Magalhães Machado

danielmagalhaes_agro@yahoo.com.br

Engenheiros agrônomos e doutorandos em Fitotecnia – ICIAG-UFU

Roberta Camargos de Oliveira

robertacamargoss@gmail.com

Engenheira agrônoma e doutora em Fitotecnia

Crédito Shutterstock
Crédito Shutterstock

A alface (Lactuca sativa) é uma espécie que se originou de ancestrais silvestres que atualmente ainda são encontrados em regiões de clima temperado, no Sul da Europa e na Ásia Ocidental. É a principal hortaliça folhosa cultivada e consumida no Brasil, em praticamente todas as épocas do ano. Pode ser considerada uma boa fonte de vitaminas e sais minerais, destacando-se o elevado teor de vitamina A, além de conter vitaminas B1 e B2, vitamina C, cálcio e ferro.

Muitas vezes os produtores adotam tecnologias modernas para produção desta folhosa, como sementes híbridas, materiais genéticos adaptados às regiões, fertilizantes especiais, cultivo protegido, hidroponia, irrigação, entre outras. No entanto, o cultivo da alface apresenta algumas limitações no período de verão, quando as condições ambientais não atendem adequadamente as necessidades da cultura e ainda favorecem a proliferação de pragas e doenças.

Plantas também estressam

O estresse de plantas pode ser definido como um fator externo que exerce uma influência desvantajosa para a cultura. Quanto à origem, podem ser classificados como bióticos (plantas infestantes, vírus, bactérias, fungos, insetos, fitotoxicidez de agroquímico, etc.) ou abióticos (radiação solar, temperatura, água, gases, nutrientes, vento, geada, granizo, etc.).

A intensidade e duração dos estresses determinam as perdas em produtividade e qualidade da cultura. Para recuperação nestas situações, existem dois caminhos: 1) cessar o agente causador, ou 2) estimular a planta a recuperar o mais rápido possível e reduzir os danos.

 O aminoácido fornece energia para plantae facilita recuperação de estresse - Crédito Shutterstock
O aminoácido fornece energia para plantae facilita recuperação de estresse – Crédito Shutterstock

Aminoácidos

Os aminoácidos são compostos orgânicos importantes no metabolismo dos seres vivos.São moléculas com características estruturais comuns, constituídos de um carbono central (C) ligado a um grupamento carboxila (COOH), um grupamento amina (NH2), um átomo de hidrogênio (H) e um radical genericamente conhecido por “R“, que os diferencia entre si.

Os vegetais são capazes de sintetizá-los e ainda não existem na literatura trabalhos que estipulem os níveis de deficiência ou adequados dos aminoácidos nas plantas. Entretanto, já é sabido que há uma grande demanda energética para produção destes compostos e o fornecimento exógeno por meio de produtos comerciais torna-se uma tecnologia interessante.

Na produção de alface existem possibilidades de uso dos aminoácidos desde a formação das mudas, passando pelo transplantio até a condução das plantas a campo ou em estufas. Algumas situações justificam a aplicação de produtos formulados com aminoácidos. Dentre elas, destacam-se:

ÃœTransplantio de mudas ” a alteração das condições ambientais na retirada das mudas dos viveiros para o campo pode gerar estresse e resultar em morte de raízes e paralisação do metabolismo, com consequente morte de plantas. A aplicação de aminoácidos deverá ocorrer antes ou após o transplante, com o objetivo de reduzir falhas na população de plantas nos canteiros.

ÃœApós a aplicação de agroquímicos ” considerando que a intoxicação das plantas pode afetar o potencial de desenvolvimento, além de as tornarem suscetíveis ao ataque de pragas e doenças, o fornecimento de produtos compostos por aminoácidos resulta em rápida recuperação do metabolismo e maior sanidade das plantas.

ÃœCom a adubação foliar ” uma importante característica dos aminoácidos está relacionada à absorção e ao transporte de nutrientes na planta, como é o caso do enxofre, que é transportado na forma de metionina ou cisteína, dois aminoácidos sulfurados; do cobre, que por sua vez é transportado complexado com aminoácidos, e do nitrogênio, transportado na forma de compostos orgânicos, em que os aminoácidos são veículos.

ÃœNo crescimento e desenvolvimento das plantas – os aminoácidos desempenham funções no metabolismo e na regulação da produção de hormônios vegetais que são imprescindíveis ao desenvolvimento das plantas. Por exemplo, o triptofano, precursor do mais importante grupo de hormônio do crescimento, que são as auxinas.

ÃœNa prevenção e recuperação de estresse – as lavouras ficam sujeitas às condições de déficit hídrico e altas temperaturas. O aminoácido prolina, por exemplo, é um indicador de estresse hídrico. A aplicação de aminoácidos resulta na rápida resposta contra o estresse e redução do gasto de energia para assimilação de nitrogênio e síntese de proteínas.

 

Essa matéria completa você encontra na edição de Agosto 2017  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua para leitura integral.

Inicio Revistas Hortifrúti Aplicação de aminoácido protege a alface do estresse