Aplicação de biológicos via irrigação

0
41

Felipe Pontes Teixeira das Chagas Técnico em Agropecuáriafelipexpt@hotmail.com

Kyvia Pontes Teixeira das ChagasEngenheira florestalkyviapontes@gmail.com

Irrigação – Foto: Ana Maria Diniz

Devido a irregularidades na ocorrência de chuva ou a baixa precipitação, é necessário fazer uso de técnicas que otimizem a produção agropecuária brasileira. Atualmente existem diversas técnicas de irrigação disponíveis, dentre elas a irrigação por gotejamento, conhecida por aumentar a eficiência da produção e contribuir para a preservação do meio ambiente.

A irrigação por gotejamento é considerada um dos melhores recursos para esse problema. Essa técnica possui alta eficiência, cerca de 90%, e dependendo da forma de implantação, pode aumentar significativamente a capacidade de produção da cultura.

Manejo

Este método de irrigação pode ser executado de duas formas: a primeira quando o equipamento se encontra abaixo do nível do solo, ou seja, está enterrado e libera a água; ou a segunda, na superfície do solo.

Em ambos os casos, a emissão é feita em alta frequência e em baixa intensidade, elementos que caracterizam o sistema. Em relação à quantidade de gotejadores, esta pode variar e vai depender do solo e das características da cultura escolhida.

De modo geral, os sistemas de gotejamento são indicados para solos com taxas baixas de infiltração, pois nesses casos a água deve ser aplicada com um fluxo baixo, permitindo que o solo tenha o escorrimento superficial reduzido.

Benefícios

Um grande benefício desse sistema é a possibilidade de realizar técnicas como a fertirrigação, processo no qual o fertilizante é diluído na água. Neste processo é possível o uso de água reciclada e não potável, sendo prevenidas doenças causadas pelo contato da água com as folhas.

Além disso, possui alta uniformidade na distribuição de água, elevada eficiência de aplicação e redução na mão de obra e do maquinário. As maiores desvantagens são referentes ao custo inicial de implementação, manutenção em situações necessárias de desgaste e não é possível a aplicação de alguns químicos.

Custo

O maior custo nesse tipo de irrigação está relacionado à compra e manutenção dos equipamentos. A quantidade e qualidade das peças que são necessárias para implementar o sistema dependerão principalmente do capital disponível para o investimento, tipo e tamanho da cultura, sofrendo variações de complexidade do sistema, visto que existem diferentes tipos de conectores, gotejadores e válvulas de pressão.

A irrigação por gotejamento não proporciona apenas um maior retorno, mas também oferece aos produtores uma maneira eficiente de manejar suas fazendas. Assim, visto que a demanda por alimento se encontra cada vez maior e existem cada vez menos terras cultiváveis, um elemento que deve ser pensado é a escassez e demanda por água.

Desse modo, fica evidente a necessidade de utilização de uma maneira sustentável de uso dos recursos hídricos. Essa técnica é muito utilizada em algumas culturas, como café, tomate, berinjela, pimentão, pepino, feijão-vagem e morango. Porém, possui potencial para ser utilizado em outras culturas e em maior escala.

Aplicação de biológicos

O sistema de irrigação por gotejamento vem se destacando como uma opção para aplicação dos produtos biológicos nas lavouras. Um dos termos para esse processo é quimigação, ou seja, a distribuição de produtos químicos e biológicos pela água de irrigação.

Normalmente, os principais produtos aplicáveis são fertilizantes, herbicidas, inseticidas, fungicidas, nematicidas e produtos biológicos. Este processo pode ser realizado com todos os métodos de irrigação, inclusive gotejamento. Na irrigação por gotejamento só é possível empregar agrotóxicos que visam ao solo e eles são distribuídos de modo localizado.

Na prática

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.