23.7 C
Uberlândia
quinta-feira, fevereiro 29, 2024
- Publicidade -
InícioDestaquesAplicação de biológicos via irrigação

Aplicação de biológicos via irrigação

Felipe Pontes Teixeira das Chagas Técnico em Agropecuáriafelipexpt@hotmail.com

Kyvia Pontes Teixeira das ChagasEngenheira florestalkyviapontes@gmail.com

Irrigação – Foto: Ana Maria Diniz

Devido a irregularidades na ocorrência de chuva ou a baixa precipitação, é necessário fazer uso de técnicas que otimizem a produção agropecuária brasileira. Atualmente existem diversas técnicas de irrigação disponíveis, dentre elas a irrigação por gotejamento, conhecida por aumentar a eficiência da produção e contribuir para a preservação do meio ambiente.

A irrigação por gotejamento é considerada um dos melhores recursos para esse problema. Essa técnica possui alta eficiência, cerca de 90%, e dependendo da forma de implantação, pode aumentar significativamente a capacidade de produção da cultura.

Manejo

Este método de irrigação pode ser executado de duas formas: a primeira quando o equipamento se encontra abaixo do nível do solo, ou seja, está enterrado e libera a água; ou a segunda, na superfície do solo.

Em ambos os casos, a emissão é feita em alta frequência e em baixa intensidade, elementos que caracterizam o sistema. Em relação à quantidade de gotejadores, esta pode variar e vai depender do solo e das características da cultura escolhida.

De modo geral, os sistemas de gotejamento são indicados para solos com taxas baixas de infiltração, pois nesses casos a água deve ser aplicada com um fluxo baixo, permitindo que o solo tenha o escorrimento superficial reduzido.

Benefícios

Um grande benefício desse sistema é a possibilidade de realizar técnicas como a fertirrigação, processo no qual o fertilizante é diluído na água. Neste processo é possível o uso de água reciclada e não potável, sendo prevenidas doenças causadas pelo contato da água com as folhas.

Além disso, possui alta uniformidade na distribuição de água, elevada eficiência de aplicação e redução na mão de obra e do maquinário. As maiores desvantagens são referentes ao custo inicial de implementação, manutenção em situações necessárias de desgaste e não é possível a aplicação de alguns químicos.

Custo

O maior custo nesse tipo de irrigação está relacionado à compra e manutenção dos equipamentos. A quantidade e qualidade das peças que são necessárias para implementar o sistema dependerão principalmente do capital disponível para o investimento, tipo e tamanho da cultura, sofrendo variações de complexidade do sistema, visto que existem diferentes tipos de conectores, gotejadores e válvulas de pressão.

A irrigação por gotejamento não proporciona apenas um maior retorno, mas também oferece aos produtores uma maneira eficiente de manejar suas fazendas. Assim, visto que a demanda por alimento se encontra cada vez maior e existem cada vez menos terras cultiváveis, um elemento que deve ser pensado é a escassez e demanda por água.

Desse modo, fica evidente a necessidade de utilização de uma maneira sustentável de uso dos recursos hídricos. Essa técnica é muito utilizada em algumas culturas, como café, tomate, berinjela, pimentão, pepino, feijão-vagem e morango. Porém, possui potencial para ser utilizado em outras culturas e em maior escala.

Aplicação de biológicos

O sistema de irrigação por gotejamento vem se destacando como uma opção para aplicação dos produtos biológicos nas lavouras. Um dos termos para esse processo é quimigação, ou seja, a distribuição de produtos químicos e biológicos pela água de irrigação.

Normalmente, os principais produtos aplicáveis são fertilizantes, herbicidas, inseticidas, fungicidas, nematicidas e produtos biológicos. Este processo pode ser realizado com todos os métodos de irrigação, inclusive gotejamento. Na irrigação por gotejamento só é possível empregar agrotóxicos que visam ao solo e eles são distribuídos de modo localizado.

Na prática

[rml_read_more]

A utilização de microrganismos apresenta algumas vantagens: fixação de nitrogênio do ar e disponibilização de nutrientes no solo; combate fungos e bactérias prejudicais à cultura. Em alguns estudos podem ser observados resultados positivos, como em cana-soca no quinto corte, que mostra incremento de até 14 toneladas com o uso de bioestimulantes.

Um outro exemplo é a aplicação do fungo Beauveria bassiana para o controle da broca gigante no Nordeste. Além do controle de pragas e doenças, o gotejamento pode ser utilizado como meio de aplicação de outros produtos, como condicionadores do solo, proporcionando incremento de produtividade de 20%.

 O uso desse tipo de controle biológico vem crescendo entre os produtores. Como exemplo, temos a utilização de Trichoderma spp em combate à fusariose na cultura do maracujá. A aplicação destes biocontroladores pode ser realizada por meio da irrigação, tendo em vista que estes agentes biológicos quase sempre ficam no solo.

Além do ganho de produtividade, a aplicação por meio da irrigação reduz a mão de obra.

Equipamentos necessários

De modo geral, serão necessárias adaptações no sistema de irrigação, mas caso o sistema já tenha suporte para realizar fertirrigação, as modificações são desnecessárias. Os mais comuns são as bombas injetoras, venturi e pulmão.

Cada meio apresenta suas vantagens e desvantagens. As bombas, devido ao custo elevado e o pulmão pelo trabalho durante o abastecimento. O venturi é uma boa opção, mas vale destacar que se a pressão do sistema não for suficiente, será necessário instalar um “Booster”, que é uma bomba auxiliar para pressurizar a rede injetora.

Os ganhos com utilização de agentes biológico são muitos e devem ser utilizados, aproveitando melhor os fertilizantes do ciclo anterior ou protegendo a planta de doenças que comprometem a produção.

No setor sucroalcooleiro são utilizados para o controle de pragas a Cotesia flavips e o fungo Beauveria spp., com o uso evoluindo cada vez mais, principalmente pelo seu modo de aplicação.


Sistema Drip Protection

O sistema de irrigação por gotejamento, por ser o mais novo e eficiente entre os demais, vem se destacando como uma opção para aplicação dos produtos biológicos nas lavouras, por meio da tecnologia conhecida como Drip Protection.

Por exemplo, já se observam resultados em cana-soca em lavouras no Oeste de São Paulo, no quinto corte, com incremento de até 14 toneladas por meio do uso de bioestimulantes. A aplicação de esporos de Beauveria bassiana por meio do sistema de gotejamento provou ser bem-sucedida em doses de 4,0, 6,0 e 8,0 kg.ha-1 e manteve o número de amostras de broca gigante na metade do nível não tratado.

Além disso, é possível utilizar a aplicação de outros produtos, como os ácidos orgânicos, sendo os ácidos húmicos e fúlvicos comumente usados como condicionadores do solo. Desse modo, o sistema de irrigação por gotejamento se mostra cada vez mais econômico e ganha destaque como um grande aliado para atender a essas exigências do mercado consumidor.

ARTIGOS RELACIONADOS

Manejando as podridões bacterianas na cebola

    Igor Souza Pereira Fitopatologista do Instituto Federal do Triângulo Mineiro - Campus Uberlândia igor@iftm.edu.br Márcia Toyota Pereira Fitopatologista da Faculdade de Agronomia Unipac " Uberlândia mtoyotap@gmail.com   As podridões...

Brandt do Brasil auxilia produtores do cinturão citrícola de São Paulo e Triângulo Mineiro

A cada cinco copos de suco de laranja consumidos no mundo, três são com fruta cultivada no Brasil São Paulo é um dos maiores produtores...

Máquina acelera em até cinco vezes o beneficiamento de feijão verde

Uma máquina que quintuplica a produtividade da debulha do feijão verde deverá auxiliar milhares de agricultores familiares do Nordeste brasileiro que trabalham com essa...

Expocitros chega à 41ª edição com sucesso

  A 41ª Expocitros, 46º Dia do Citricultor e 37ª Semana da Citricultura ocorrerão de 25 a 28 de maio, no Centro de Citricultura Sylvio...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!