Aplicação de boro: Com a soja se comporta?

0
150

Éder Jr de Oliveira Zampareder_zampar@hotmail.com

Bruno Maia Abdo Rahmen Cassim

Engenheiros agrônomos e mestrandos em Solos e Nutrição de Plantas – Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Wagner Deckij KachinskiEngenheiro agrônomo e doutorando em Solos e Nutrição de Plantas – UEM

Priscila Angelotti ZamparEngenheira agrônoma e doutoranda em Proteção de Plantas – UEM

Soja – Créditos: shurtterstock

Com o aumento da demanda nutricional das culturas, o manejo de micronutrientes tem se destacado cada vez mais como ferramenta de aumento de produtividade na agricultura mundial, dando aos micronutrientes B, Zn, Cu, Fe, Mn e Mo um papel fundamental na nutrição mineral de plantas.

Sabe-se que os micronutrientes têm uma exigência menor que os macronutrientes, mas de forma geral todos são muito importantes, pois passam pelos critérios de essencialidade dos nutrientes. Segundo Arnon & Stout (1939), o elemento não pode ser substituído por outro dentro das suas funções na planta; o elemento deve estar diretamente envolvido no metabolismo da planta como um constituinte de um composto essencial, ou ser necessário para o funcionamento de um sistema enzimático; na ausência do elemento, a planta não completa o seu ciclo de vida.

Demanda

Levando em consideração a demanda dos nutrientes, os macronutrientes têm sua demanda na ordem de kg/ha, e os micronutrientes gr/ha, mas todos são extremamente importantes quando se deseja atingir o máximo potencial produtivo das culturas.

Isso já foi definido no passado e recebeu o nome de Lei do Mínimo, por Justus Von Liebig (1850), que diz que: “O rendimento de uma safra é limitado pelo elemento cuja concentração é inferior a um valor mínimo, abaixo do qual as sínteses não podem mais fazer-se”. De maneira sintética, mesmo em uma condição onde temos quase todos os elementos no seu nível adequado, se um elemento apresentar teores abaixo da demanda da cultura, essa produtividade será afetada pela falta deste único nutriente.

De lá para cá

Com a evolução das cultivares de soja, em que a maioria era de ciclo determinado e hoje boa parte é de ciclo indeterminado, tivemos um aumento na demanda de quase todos os nutrientes – entre esses nutrientes que aumentaram a sua demanda está o boro.

Em virtude das baixas dosagens empregadas, a aplicação uniforme nas lavouras pode constituir um problema para o manejo da adubação com micronutrientes, como era vista no passado, mas agora o fornecimento de micronutrientes agregados aos formulados NPK na adubação de base tem se tornado habitual, facilitando e melhorando a distribuição do nutriente a campo.

O boro é, hoje, um dos principais nutrientes que limita as produções de soja, e por se tratar de um micronutriente foi muito negligenciado no passado, mas hoje todos reconhecem sua importância na agricultura e a dificuldade do seu manejo no sistema.

Boro no solo

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.