13 C
São Paulo
quarta-feira, junho 29, 2022
- Publicidade -
-Publicidade-
Inicio Revistas Hortifrúti Aplicação de reguladores de crescimento em tomate

Aplicação de reguladores de crescimento em tomate

Janaina Marek

Engenheira agrônoma e doutora em Produção Vegetal

janainamarek@yahoo.com.br

Dione de Azevedo

Engenheiro agrônomo e consultor

 

Crédito Shutterstock
Crédito Shutterstock

Os benefícios da aplicação de reguladores vegetais no manejo do tomateiro são inúmeros, entretanto, o mais visado é o aumento da produtividade e qualidade de frutos. Mas, antes de abordar o que e como aplicar, é importante definir o que seria regulador de crescimento ou regulador vegetal, e entender como eles atuam na planta. Existe uma certa discussão quanto ao termo correto, ou seja, é regulador de crescimento ou regulador vegetal?

O termo correto seria regulador vegetal ou biorregulador, no entanto, estes termos não são reconhecidos pela legislação vigente. Desta forma, os produtos contendo reguladores vegetais sintéticos, puros ou em mistura, são registrados no MAPA como “Regulador do crescimento vegetal“ (Sousa, 2016), por isso, este é o ‘nome’ descrito nas bulas destes produtos.

No entanto, estas substâncias promovem bem mais que crescimento, elas regulam vários processos metabólicos e fisiológicos da planta.

Os biorreguladores participam de todo o ciclo de desenvolvimento do tomateiro - Crédito Ana Maria Diniz
Os biorreguladores participam de todo o ciclo de desenvolvimento do tomateiro – Crédito Ana Maria Diniz

O que são

Os reguladores vegetaisou biorreguladores são substâncias químicas, sintéticas ou de ocorrência natural e quando aplicadas nas plantas promovem ações similares aos hormônios vegetais, influenciando em diversos processos metabólicos e fisiológicos da planta (Faganet al., 2015).

Já os hormônios vegetais, de acordo com Taiz e Zeiger (2013), são:

– Substâncias produzidas pelas plantas (endogenamente);

– Não são nutrientes;

– São compostos orgânicos ativos em baixíssimas concentrações que promovem, inibem ou modificam processos metabólicos e fisiológicos.

Atualmente, os hormônios vegetais mais conhecidos e estudados por pesquisadores são: auxina, giberelina, citocinina, etileno e ácido abscísico. No entanto, outros hormônios vegetais, como os brassinosteroides, jasmonatos, salicilatos e poliaminas também estão sendo alvo de pesquisas recentes.

Crédito Shutterstock
Crédito Shutterstock

No tomateiro

Estes hormônios vegetais participam de todo o ciclo de desenvolvimento da planta de tomateiro, atuando desde a germinação das sementes até a maturidade. Nas plantas, os hormônios vegetais estão em proporções equilibradas, dependo da fase em que a planta se encontra.

Conforme a concentração de cada um dos hormônios, ocorrem modificações quantitativas e/ou qualitativas no desenvolvimento da planta:

ðQualitativamente: os hormônios vegetais promovem a diferenciação das células, caracterizando as mudanças observadas quando a planta passa de estágio vegetativo para reprodutivo;

ðQuantitativo: os hormônios vegetais atuam no crescimento em altura e largura, aumentando o tamanho de raízes, folhas, caule, flores e frutos.

Por serem transportados pela planta, os hormônios vegetais atuam no próprio órgão que foram produzidos ou em órgãos distantes. Na planta, os hormônios vegetais promovem bem mais que apenas crescimento do órgão, seja ele, folhas, raízes, caules ou frutos.

São importantes em todas as fases de desenvolvimento: seja na fase vegetativa ou na fase reprodutiva (formação de flores, frutos e sementes), ou até mesmo na senescência, onde se observa maior produção dos hormônios vegetais ligados ao processo de senescência, como o etileno e o ácido abscísico.

Os biorreguladores melhoram produtividade e qualidade - Crédito Shutterstock
Os biorreguladores melhoram produtividade e qualidade – Crédito Shutterstock

Ação e reação

A planta produz um conjunto de hormônios que podem atuar como promotores ou inibidores de processos fisiológicos, e agir sinergicamente ou antagonicamente. Por isso, compreender a principal atuação de cada um deles é importante na escolha do produto a ser aplicado (conforme a sua composição).

Um a um

Principais hormônios vegetais (ou reguladores vegetais) envolvidos no crescimento de frutos: aqui vamos entender apenas as principais ações dos hormônios vegetais promovendo ou inibindo o crescimento dos frutos:

Promotores:

  • Auxina: promove o alongamento celular e o crescimento dos frutos e inibe a abscisão de órgãos;
  • Giberelina:importante no crescimento vegetal. Sua ação está envolvida na divisão e alongamento celular, atuando em conjunto com a auxina no crescimento do fruto;
  • Citocinina: atua na divisão e alongamento celular em conjunto com a auxina, promovendo o crescimento do fruto. A citocinina é muito importante no processo fotossintético, pois está envolvida no desenvolvimento dos cloroplastos, na síntese de clorofila e no transporte de carboidratos entre fonte e dreno. Logo, plantas com maior potencial fotossintético apresentam maior produção de fotoassimilados e, aliados à melhor relação fonte-dreno, promoverão maior enchimento de frutos.

 

Os hormônios vegetaisaumentam o tamanho de raízes, folhas, caule, flores e frutos - Crédito Shutterstock
Os hormônios vegetais aumentam o tamanho de raízes, folhas, caule, flores e frutos – Crédito Shutterstock

Essa matéria completa você encontra na edição de março 2018  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua para leitura integral.

Inicio Revistas Hortifrúti Aplicação de reguladores de crescimento em tomate