As inúmeras utilidades da graviola

0
89

Eron da Conceição BezerraPós-graduando em Ensino de Ciências – Universidade Estadual do Maranhão (UAB/UEMA)erondaconceicaoob@gmail.com  

Adriana Araujo DinizProfessora adjunta II – UEMA/CESBAadrisolos2016@gmail.com  

Antonio Santana Batista de Oliveira FilhoMestrando em Agronomia/Produção Vegetal – FCAV/UNESPa15santanafilho@gmail.com

Graviola – Crédito: Shutterstock

Quando falamos de frutas como a graviola, é possível destacar inúmeros benefícios oferecidos à saúde humana. Além de ser um alimento rico em vitaminas do complexo B, é fonte de cálcio, magnésio, manganês e potássio.

Apesar da graviola ser muito apreciada na forma in natura pela população, é uma das plantas que se destacam com grande interesse para fins medicinais, possuindo raízes, frutos e folhas utilizadas na medicina mundial. É uma planta cheia de substâncias que conferem cor aos alimentos e protege de inúmeras doenças.

Estudos mostram que a graviola possui muitas propriedades medicinais, sendo utilizada como uma boa aliada em dietas de emagrecimento, por ser uma fruta de baixa caloria. Sasso (2017) relata a importância de pesquisas com a graviola, para esclarecer a população, os efeitos desta planta e ainda para incorporar novos agentes com propriedades farmacológicas capazes de controlar a obesidade e suas comorbidades.

Histórico

A graviola tem uma larga história de uso medicinal, sendo relatado que praticamente todas as partes morfológicas da planta são úteis na medicina tradicional, como anti-hipertensivo, vasodilatador, antidiabético, hipolipidémico e vários outros efeitos citados na literatura (Adewole; Ojewole, 2009; Florence et al., 2014).

A atividade antidiabética do extrato aquoso da Annona muricata Linn pode ser explicada pelo seu efeito hipolipidêmico e pela ação antioxidante e protetora nas células –B pancreáticas e, consequentemente, melhora o metabolismo da glicose.

Ainda, em estudos, a Annona muricata Linn causou significativa redução da pressão arterial, por meio de mecanismos periféricos envolvendo antagonismo do cálcio (Florence et al., 2014).

Outros produtos que são bastante consumidos no mercado interno e externo são as cápsulas de gelatina, contendo a folha desidratada, que são comercializadas com preços variando de US$ 10 a US$ 15 (embalagem contendo 100 cápsulas de 500 mg), e dos sachês de chá, vendidos na faixa de US$ 6 a US$ 7 a caixa contendo 20 unidades (Sasso, 2017).

A graviola é uma fruta rica em fibras que possivelmente auxiliam na absorção mais lenta da glicose pelo organismo. Além disso, é essencial no controle dos níveis de açúcar no sangue, principalmente para os diabéticos. Também atua na melhoria do sistema imune, já que a fruta é rica em vitamina C.

A planta possui propriedades medicinais, provavelmente antirreumáticas, resultando em alívio das dores do reumatismo, e pode ser utilizada ainda em tratamento de doenças do estômago, já que possui propriedades anti-inflamatórias.

Pesquisas

Associado a tudo isso, estudos relatam que a graviola ainda pode ser utilizada na prevenção da osteoporose e anemia, pois é uma fruta muito rica em cálcio, fósforo e ferro. No tratamento da diabetes, possui fibras que impedem que o açúcar aumente rapidamente no sangue.

No retardo do envelhecimento, possui propriedades antioxidantes, combatendo, assim, os radicais livres. E no alívio das dores do reumatismo, possui propriedades antirreumáticas, diminuindo a inflamação, a dor e a depressão, já que é um ótimo modulador do humor.

Consumo

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.