23.6 C
Uberlândia
terça-feira, junho 18, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiAtemoia: Alternativa para diversificação

Atemoia: Alternativa para diversificação

Autores:

Laís Cristina Bonato Malmann NedilhaEngenheira agrônoma e mestra em Produção Vegetal – Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Janaina MarekEngenheira agrônoma e doutora em Produção Vegetaljanainamarek@gmail.com

Atemoia – Crédito: shutterstock

Por ser um fruto ainda pouco cultivado, é possível atingir, com a atemoia, um bom valor de mercado. Atualmente, o cultivo nacional de atemoia está dividido em 1.000 hectares, concentrados principalmente nas regiões sul e sudeste, possuindo também uma pequena concentração no Estado da Bahia.

O Estado de São Paulo é o maior produtor de atemoia do País, com 43,8%, seguido de Minas Gerais, Paraná e Bahia, com produção de aproximadamente 18,8%.

Viabilidade do plantio

Nos tempos atuais, a atemoia pode ser considerada uma boa alternativa para quem busca diversificar a produção em pequenas propriedades, pois exige dedicação para seu cultivo, tornando-se ideal para o pequeno produtor. 

A fruta pode ser cultivada sozinha ou até mesmo consorciada com outras culturas, como a do pêssego. Muitos produtores já consideram o cultivo de atemoia um bom negócio em longo prazo.

O investimento inicial é considerado alto e com período lento para ter retorno, entretanto, quando a produção iniciar, seu retorno valerá a pena. Para início, o produtor pode utilizar poucas mudas, e posteriormente poderá expandir a quantidade. Para o primeiro ano de plantio e manutenção, o produtor terá que investir aproximadamente R$ 18 mil por hectare. No segundo e terceiro ano o custo será de R$ 8 mil por ano.

A partir do início da produção e da colheita, iniciará o retorno do investimento, considerando que uma planta adulta e bem manejada proporciona uma excelente alternativa de renda para o produtor, gerando uma produção média de 20 caixas de frutos com ótima qualidade para o consumo.

A produção está sendo vendida, nas últimas safras, com valor médio de R$ 8,00 o quilo, considerando que o tamanho do fruto também influencia no preço final. Frutos maiores são mais caros e os frutos menores perdem valor de mercado.

ARTIGOS RELACIONADOS

Ubyfol lança novas soluções

A Ubyfol, multinacional brasileira especialista em nutrição vegetal, anuncia o lançamento ...

As diversas formas de podar o maracujazeiro

A cultura do maracujazeiro ocupa, atualmente, uma considerável área de cultivo no País, sendo importante fonte de renda para milhares de pequenas propriedades brasileiras.

Crambe ganha espaço para produção no Brasil

Referente à produção do crambe no Brasil, podemos dizer que ainda temos uma produção tímida, apesar de encontrar áreas individuais consideradas grandes, como é o exemplo do oeste da Bahia, onde estão extensões de 500 hectares com plantio de crambe.

Planejamento da área de exploração e plantio

A escolha do local de plantio é tarefa das mais criteriosas, pois dela depende diretamente o sucesso da

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!