21.6 C
Uberlândia
sábado, junho 15, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosGrãosAvanços: Qualidade do trigo no Cerrado

Avanços: Qualidade do trigo no Cerrado

Autor

Lucas Alexandre Batista Engenheiro agrônomo lucaslabatista@gmail.com

Trigo -Crédito: Biotrigo

A produção global de trigo para a safra 2020/21 está prevista em um recorde de 768 milhões de toneladas, com um aumento de mais de 4,0 milhões de toneladas em relação ao ano passado. Por ser uma comodity, o preço do trigo é controlado pelo mercado em decorrência da oferta e demanda.

O relatório do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA – Foreign Agricultural Service) apresentou uma previsão, em maio de 2020, para um preço médio de comercialização a US$ 235.75 dólares americanos por tonelada dos diferentes tipos de trigos comercializados. Em reais, esse valor pode variar de acordo com a cotação do dólar do dia, onde encontramos no Brasil dia 03/06/2020 o trigo sendo comercializado a R$ 1.277,38.

Segundo a Conab, a previsão para o consumo de trigo no Brasil é de mais de 12 milhões de toneladas para o ano de 2020, isso sem levar em conta as sementes utilizadas para o plantio. A previsão para a safra brasileira, segundo o IBGE, é de mais de 5,28 milhões de toneladas, onde ainda fica previsto um déficit de quase 7 milhões de toneladas.

Toda essa cadeia produtiva do trigo movimenta anualmente cerca de R$ 40 bilhões, e com a alta da moeda norte-americana em relação à moeda brasileira, tende a favorecer a valorização do trigo nacional. Isso estimula o cultivo de trigo e a exploração de novas áreas da cultura no Brasil, onde vale destacar a região do Cerrado, sendo a principal fronteira agrícola do País.

Área plantada

No Brasil, a área semeada de trigo é de mais de 2 milhões de hectares. A região sul – principalmente Rio Grande do Sul e Paraná – concentra a maior área semeada, ultrapassando 1,8 milhão de hectares semeados.

Em 2019, segundo a Conab, foi estimada uma área semeada de 230 mil hectares da cultura na região do Cerrado. Para a safra 2020 espera-se um aumento das áreas semeadas no Brasil superior a 10%.  

[rml_read_more]

O Cerrado possui uma área de mais de 2 milhões de quilômetros quadrados, representando cerca de 22% do território brasileiro e é o segundo maior bioma da América do Sul. Ele está presente nos Estados de Goiás, Tocantins, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Bahia, Maranhão, Piauí, Rondônia, Paraná, São Paulo e Distrito Federal, além de parte dos Estados do Amapá, Roraima e Amazonas.

Devido a sua posição geográfica e às características ecológicas, o Cerrado tem grande importância para a sociedade brasileira, tanto em termos de biodiversidade e manutenção dos recursos naturais – em particular recursos hídricos – quanto relacionados à produção agrícola que se desenvolve no seu território (Ministério do Meio Ambiente).

A cultura do trigo, tradicionalmente plantada na região sul do País, vem conquistando espaço no Cerrado brasileiro. É uma excelente opção para os produtores a inclusão da cultura no sistema produtivo no período de “safrinha de inverno”. Os benefícios que a cultura traz para o solo e o plantio subsequente são notáveis, e também o retorno financeiro ao produtor.

Qualidade

A qualidade final do grão produzido no Cerrado é, sem dúvida, um dos fatores principais observados. Quando se trata de qualidade, é necessário interligar o propósito final da farinha produzida à cultivar a ser semeada. Portanto, os aspectos de qualidade variam de acordo com as cultivares de trigo disponíveis, cuja aptidão industrial varia entre farinhas destinadas à panificação, bolos, biscoitos, massas, macarrão e outros produtos alimentícios à base de farinha.

No Brasil e no Cerrado as farinhas produzidas são, na maioria, classificadas quanto a sua capacidade de panificação. Além do efeito genótipo x ambiente que proporciona mudanças nas características físico-químicas do grão, deve ser considerado o processo de moagem para obtenção de farinha, e o processamento na obtenção do produto final. Um exemplo é o uso de diferentes tipos de fermentos que influenciam no tipo do pão. Portanto, uma análise crítica e detalhada da qualidade do trigo demanda muitos esforços (Embrapa “Aspectos importantes para a qualidade do trigo”).

Cerrado x Brasil

Quando comparado com a região sul do País, onde a cultura do trigo está amplamente difundida, o Cerrado ainda carece de cultivares para atender a demanda da cadeia produtiva do trigo. Contudo, possui potencial de produzir trigos de alta qualidade.

Segundo a Empresa Brasileira de Pesquisas Agropecuárias (Embrapa), o Cerrado consegue produzir um dos melhores trigos brasileiros e do mundo no quesito panificação. Essa qualidade é atribuída às excelentes condições climáticas, combinada a cultivares com genética adaptada para a região.

O cultivo de trigo prospera principalmente em Minas Gerais (regiões do Triângulo, Alto Paranaíba e Sul), Goiás (regiões leste e sudeste) e Distrito Federal. Importantes sinalizações de incremento futuro de área acontecem na Bahia (região do Matopiba), São Paulo (região leste) e Mato Grosso.

Entre os fatores climáticos característicos da região do Cerrado responsáveis pela geração de trigo com elevada qualidade industrial, a baixa ocorrência de chuvas durante o período entre o espigamento e a colheita é determinante. Isso previne a infecção das espigas pelo fungo Fusarium graminearum (causador de giberela), que além de reduzir a produtividade e qualidade, produz no grão micotoxinas como o Desoxinivalenol (DON), que em níveis elevados é prejudicial aos seres humanos e animais.

Além disso, o clima seco e por vezes ameno neste estádio de desenvolvimento favorece o elevado peso do hectolitro (PH), associado à maior extração de farinha. 

Produtividade

A produtividade média brasileira de trigo é de 2.526 kg por hectare. Em áreas onde o uso de tecnologias é empregado, o cenário é diferente, podendo alcançar produtividades superiores a 6.000 kg por hectare.

A combinação entre os fatores: genética de alta performance, clima, adubação, controle de pragas e doenças, maquinário e mão de obra qualificados tende a retornar aos produtores uma lucratividade maior. No Cerrado, onde as produtividades médias acompanham a média nacional, o uso adequado das tecnologias é essencial para o incremento na valorização do produto, em que vem muito a calhar pela qualidade dos trigos produzidos na região.

Investimento

Solos com grandes quantidades de alumínio podem comprometer a lavoura do trigo. Existem ferramentas genéticas, como cultivares de trigo tolerantes ao alumínio, embora mesmo em quantidades menores, o alumínio pode fazer com que a produção diminua.

Para neutralizar esse alumínio, é necessário a utilização de calagem e gessagem, recomendadas de acordo com a análise de solos da área a ser cultivada. Quando comparado a outras regiões, o Cerrado requer um investimento inicial maior para implementação de cultivos de forma geral, devido ao fator da correção do solo.

Se desconsiderarmos o valor empregado para a correção e manejo do solo, uma lavoura de trigo custa, em média, R$ 2.500,00 levando em consideração os custos fixos e variáveis, segundo os dados levantados pela Conab. A previsão é para um aumento no custo de produção para a safra 2020/21, estipulado em R$ 2.800,00, isso porque muitos insumos agrícolas acompanham as oscilações do dólar.

A demanda por trigo no Brasil é maior que a produção nacional. A maior demanda do produto ocorre nas regiões central, norte e nordeste do País, onde há necessidade de importação de outros países ou compra de trigos da região sul.

O frete é uma das variáveis que mais encarece o preço final da farinha, e com os altos custos de importação, cria-se uma demanda na qual é vantajosa a produção local do produto.

ARTIGOS RELACIONADOS

Embalagens recomendadas para a banana

A embalagem apropriada para frutas é essencial para manter a qualidade do produto durante o transporte e a comercialização. Além de proteger, a embalagem com recipientes de embarque serve para homogeneizar o produto e permite o seu manuseio.

Resultados dos agroquímicos e bioestimulantes em batata

Na atualidade, a batata é a terceira fonte alimentar mais importante do mundo, sendo superada apenas pelo arroz e o trigo. No Brasil, o consumo médio por habitante ao ano atinge 15 kg, sendo considerado baixo quando comparado aos 70-80 kg por habitante e por ano de países como Alemanha e Holanda.

Produtividade e manejo da matocompetição no trigo

Avanços em pesquisa e desenvolvimento de novas soluções potencializam o controle e garantem mais produtividade em campo.

Doenças da parte aérea – Controle a tempo no trigo

Flávio M. Santana Maria Imaculada P. M. Lima João L. N. Maciel Pesquisadores da Embrapa Trigo São muitas as doenças bióticas que causam danos à cultura do trigo...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!