23.3 C
São Paulo
segunda-feira, julho 4, 2022
- Publicidade -
-Publicidade-
Inicio Revistas Hortifrúti Avocado - Nicho de mercado garante valor agregado interessante

Avocado – Nicho de mercado garante valor agregado interessante

Autores

Luís Paulo Benetti Mantoan
Doutorando em Ciências Biológicas (Botânica)/Fisiologia Vegetal – UNESP
luismantoan@gmail.com
Carla Verônica Corrêa
Doutoranda em Agronomia/Fisiologia Vegetal – UNESP
cvcorrea1509@gmail.com

Persea americana é o nome científico para a espécie arbórea frutífera conhecida como avocado. Pertence à família Lauraceae, a mesma de outras espécies de interesse econômico, como o louro (Laurus nobilis), a canela (Cinnamomum zeylanicum) e a cânfora (Cinnamomum camphora). Contudo, entre as diversas espécies pertencentes a esta família, apenas o avocado apresenta frutas com potencial comercial.

O fruto do avocado pode ser consumido in natura ou acompanhado de condimentos, sendo um alimento altamente energético, rico em óleo e em vitaminas A, B e E. Além disso, também pode ser combinado com outros frutos e tipos de vegetais no preparo de saladas.

Alguns utilizam o avocado como acompanhamento para frutos do mar e até mesmo como ingrediente no preparo de sanduíches, tortillas e guacamole. No México e nos demais países da América Central, o consumo do avocado é comum e faz parte da culinária local em diversos pratos típicos.

Espécies

A espécie P. americana apresenta oito subespécies, porém, apenas três são consideradas avocado: Mexicana (P. americana var. drymifolia), a qual é adaptada a regiões tropicais e subtropicais com elevada altitude, Guatemala (P. americana var. guatemalensis), a qual é adaptada a regiões tropicais e subtropicais com média elevação; e a “West Indian” (P. americana var. americana), a qual é típica de regiões úmidas de baixa altitude.

As três subespécies não são comumente utilizadas no cultivo comercial, contudo, são utilizadas em programas de melhoramento para se obter híbridos comerciais com diferentes características e adaptações para os diversos tipos de ambientes. Como exemplo, pode-se citar os cultivares “Hass” e “Fuerte”, os quais se originaram do cruzamento da subespécie Mexicana com a de Guatemala, o que conferiu maior tolerância ao frio a estas cultivares.

As principais características das três subespécies usadas no desenvolvimento dos cultivares de avocado podem ser observadas na tabela 1.

Tabela 1: Características das três subespécies de avocado levadas em consideração na criação de cultivares de avocado

Característica Mexicana Guatemala “West Indian”
Região nativa México Guatemala América Central e América do Sul
Clima Tropical e Subtropical Tropical e Subtropical Tropical
Tolerância ao frio Alta Intermediária Baixa
Tolerância a salinidade Baixa Intermediária Alta
Tempo entre floração e maturação de frutos 05 – 07 meses 10 – 18 meses 06 – 08 meses
Tamanho do fruto Pequeno – médio Pequeno – grande Médio – muito grande
Conteúdo de óleo Muito alto Alto Baixo
Espessura da casca Fina Grossa Média

Relatos históricos mostram que o consumo e domesticação do avocado ocorreu desde a época dos povos Astecas e Maias, muito antes da chegada dos europeus ao continente Americano, porém, o cultivo comercial desta fruta iniciou-se apenas no começo dos anos 1900.

Antes desse período o avocado era cultivado em pequena escala por pequenos agricultores para abastecer a demanda local. Atualmente, o consumo desta fruta aumentou drasticamente graças à constante expansão do mercado de frutas e a globalização da culinária, que constantemente busca paladares novos.

Manejo

Para produzir um pomar de avocado, deve-se levar em consideração que as copas das plantas necessitam de uma exposição uniforme e otimizada da luz solar. Sendo assim, a densidade de plantas por hectare varia entre 90 a 1.600 plantas.

Contudo, a escolha da densidade de plantas por hectare depende de fatores ambientais e socioeconômicos. Como exemplo destes fatores pode-se citar o preço da terra, a fertilidade do solo e o clima. Atualmente, o design da maioria dos pomares de avocado tem sido baseado em plantios de média e alta densidade, com espaçamentos de 6 m x 4 m a 9 m x 7 m, o que resulta em uma densidade de plantas por hectare de 159 – 416 plantas.

Outro manejo de extrema importância em pomares de avocado é a poda, que tem o objetivo de manter a altura das plantas sob controle para que a colheita e a aplicação de defensivos sejam facilitadas. Além disso, a poda é necessária para que o formato da copa obtenha o maior contato possível com a luz solar, sem que haja prejuízo para a produção dos frutos, os quais também contribuem para o controle do vigor vegetativo dos pomares.

Irrigação

O gerenciamento de quanto e quando irrigar deve ser feito baseado no conteúdo de água do solo, na demanda atmosférica por evapotranspiração e em sinais visuais, como a murcha das folhas, porém, o tipo do clima e do solo onde os pomares se encontram também tem forte influência na decisão de quanto e quando se deve irrigar.

Em ambientes de clima quente a frequência de irrigação varia entre sete a 12 dias no sistema de irrigação por aspersão, dois a sete dias no sistema de irrigação baseado em mini aspersores e entre um e três dias no sistema de irrigação baseado em gotejamento.

Entretanto, em ambientes com elevada temperatura e solos arenosos o intervalo entre eventos de irrigação chega a ser ainda mais curto. Estudos realizados com algumas variedades de avocado têm mostrado que o volume de água para a irrigação no primeiro ano de cultivo varia de quatro a oito litros por planta, enquanto que no quarto ano o volume varia de 80 a 150 litros por planta.

Como e quando plantar

O plantio do avocado é recomendado na estação chuvosa, sendo realizado por meio de mudas, as quais podem ser obtidas por micropropagação ou por meio de plantas enxertadas, sendo esta última a forma mais utilizada e barata para a obtenção de mudas.

Existem diversos tipos de cultivares e porta-enxertos de avocado adaptados tanto para o clima subtropical como para o clima tropical. Entre os exemplos de variedades para regiões subtropicais estão as cultivares “Bacon”, “Edranol”, “Fuerte”, “Gwen” e “Hass”. Entre os exemplos de variedades para regiões de clima tropical estão os cultivares “Bernecker”, “Beta”, “Choquette”, “Donnie”, “Hall”, “Loretta”, “Lula”, “Miguel” e “Monroe”.

Viabilidade

O cultivo de avocado apresenta benefícios com relação à alta rentabilidade por parte da crescente demanda internacional por frutos e produtos à base de avocado. Contudo, o produtor que deseja ingressar neste mercado deve estar atento à elevada exigência dos padrões de qualidade que o mercado internacional impõe aos produtores.

Caso contrário, o retorno financeiro não será adequado. Portanto, além do investimento em pomares e cultivares de qualidade, os agricultores devem também investir em tecnologias que permitam a manutenção da qualidade nutricional e da aparência agradável dos frutos na pós-colheita, o que torna a produção de avocado custosa.

Valor agregado

A constante busca por produtos minimamente processados e de fácil consumo, o reconhecimento dos benefícios à saúde que o avocado apresenta e a popularização da culinária mexicana tem influenciado o mercado do avocado.

Considerando estes fatores, os produtores têm apostado no processamento da polpa de avocado e no preparo de pratos típicos da culinária mexicana prontos para o consumo, tal como a guacamole, como forma de agregar valor ao seu produto. Tais produtos, por serem de fácil consumo, apresentam grande aceitação em mercados, hotéis e restaurantes. O processamento da polpa e dos produtos à base de avocado só foi possível graças à tecnologia de processamento de alta pressão, que permite aumentar o tempo de vida dos alimentos sem a alteração da qualidade.

A extração de óleo de avocado também é uma alternativa para agregar valor ao avocado, uma vez que apresenta importância na indústria de cosméticos e também pode ser utilizado como óleo de salada e cozinha. Este tipo de processamento do avocado tem se configurado uma alternativa para os frutos que são rejeitados, evitando assim o desperdício. 


Benefícios

O consumo do avocado in natura, como ingrediente de uma receita ou do óleo de avocado, apresenta diversos benefícios a saúde. O fruto é um alimento altamente energético e rico em lipídeos, antioxidantes e vitaminas A, B e E.

O consumo de avocado favorece o aumento nos níveis de lipoproteínas de alta densidade (colesterol bom), contribuindo também para a redução dos níveis de lipoproteínas de baixa densidade (colesterol ruim).

Entre os benefícios à saúde proporcionados pelo consumo de avocado estão a redução do risco de doenças do coração, diabetes, catarata e câncer. Além destes benefícios, o óleo apresenta propriedades que incluem a melhora da cicatrização de feridas e da função hepática.


Rentabilidade

O consumo do avocado tem aumentado em todo o mundo graças à ampla divulgação de seus benefícios à saúde e à popularização da culinária mexicana e de seu sabor único. O mercado do avocado é, em sua maior parte, voltado à exportação, o que garante alta rentabilidade.

Além disso, em pequenas fábricas instaladas no campo é possível a produção de alimentos à base de avocado prontos para o consumo. Isto não só agrega valor ao produto como também gera empregos devido à demanda por mão de obra. Porém, o investimento é elevado.

Inicio Revistas Hortifrúti Avocado - Nicho de mercado garante valor agregado interessante