18.6 C
Uberlândia
segunda-feira, maio 27, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioDestaquesBacillus aryabhattai é excelente opção contra estresses

Bacillus aryabhattai é excelente opção contra estresses

Fábio Olivieri de Nobile Professor titular do Centro Universitário da Fundação Educacional de Barretos (UNIFEB) fabio.nobile@unifeb.edu.br

Maria Gabriela Anunciação Engenheira agrônoma – UNIFEB

Foto: Luize Hess

Os microrganismos utilizados na agricultura estão se tornando insumos de sucesso que auxiliam produtores de culturas diversas em diferentes vertentes. Temos, no mercado, produtos que auxiliam a nutrição das plantas, controle de insetos, nematoides e fitopatógenos.

Hoje, além da inoculação de soja, temos muitas outras aplicações de microrganismos na agricultura que vêm ganhando produtores pelo Brasil todo. Portanto, a pesquisa acerca desse tema tem ganhado cada vez mais espaço.

Sustentabilidade

É preciso lembrar que a agricultura moderna está embasada nos pilares da sustentabilidade e busca integrar aumentos produtivos com responsabilidade socioambiental. Uma ferramenta utilizada atualmente que garante incrementos expressivos de produtividade e diminui os impactos ambientais causados por resíduos de insumos químicos é a implementação de produtos biológicos no sistema de cultivo.

Com o aumento da população, é urgente que a produção de alimentos se correlacione positivamente, de forma que é necessário contornar os estresses bióticos e abióticos, de maneira a não agredir o solo e torná-lo mais positivo.

O setor privado tem procurado até mesmo no banco de microrganismos de universidades e agências de pesquisa, de forma a estabelecer parcerias de sucesso que trazem muitos benefícios paras as plantas. Os produtos retornados dessas parcerias apresentam benefícios para a agricultura, tanto no aspecto econômico quanto produtivo.

Ao enriquecer a microbiota do solo estamos cuidando para que a rizosfera das plantas cultivadas trabalhe positivamente e as culturas consigam expressar seu máximo potencial produtivo. As tecnologias microbiológicas se apresentam como uma ferramenta promissora, que vem ganhando destaque mundial e sendo cada vez mais aceita por produtos de diversos tamanhos e níveis tecnológicos.

Bacillus aryabhattai

Uma dessas tecnologias que vem ganhando espaço, especialmente na cultura do milho, é resultado de mais de uma década de pesquisa da Embrapa. O microrganismo capaz de mitigar o estresse hídrico, Bacillus aryabhattai, é um marco na agricultura tropical, que sofre muito com os impactos do estresse hídrico, este que é de causa quedas na produtividade de importantes culturas em diversas regiões do País.

[rml_read_more]

O microrganismo tem a capacidade de promover o crescimento das plantas mesmo em solos secos e, por conta disso, atenuar o efeito do estresse hídrico no desenvolvimento da cultura. A bactéria foi encontrada em uma planta da caatinga conhecida como mandacaru.

A pesquisa da Embrapa consistiu no isolamento de bactérias com mecanismos de ação muito diversos. Os microrganismos tinham capacidade enzimática, promoção de crescimento e solubilização de fosfatos.

No entanto, de maneira simplista, as bactérias que apresentam capacidade de aumentar a tolerância das plantas à seca produzem exopolissacarídeos, que são produzidos em situação de estresse e hidratam as raízes.

Custo irrisório

A expectativa é que o produto possa salvar da seca entre seis e oito sacas por hectare, de forma a aumentar a produtividade de maneira muito expressiva. Se considerarmos os valores crescentes do preço da saca do milho, facilmente chegaremos à conclusão de que o bioproduto é uma excelente ferramenta, cujo custo se torna irrisório frente ao ganho causado pela utilização nas lavouras.

Momento de aplicar

O microrganismo já chegou ao mercado, no sudoeste goiano, na safrinha de milho deste ano. Muitos produtores adeptos ao uso de microrganismos da região de Rio Verde utilizaram o microrganismo no tratamento de sementes, alguns dos quais apresentaram ganhos em produtividade mesmo em um período conturbado, em que o milho foi castigado por seca e geadas.

Isso levanta um ponto importante relacionado ao modo de aplicação deste microrganismo nas culturas. Usualmente é utilizado no tratamento de sementes com dose recomendada de 4 mL.kg-1 de semente.

O bioproduto, fonte da parceria da Embrapa com uma empresa mineira, tem um custo de, aproximadamente, R$ 800,00, podendo variar conforme a região e canal de venda.

Apesar da recomendação em tratamento de sementes, outros produtores podem optar pela aplicação em sulco de semeadura, utilizando doses em torno de 150 e 200 mL.

Porém, vale ressaltar que, independente da forma de aplicação, é necessário fazer um balanço dos produtos que estão sendo aplicados, pois microrganismos podem competir ou serem inibidos por alguns princípios químicos específicos. Sendo assim, é sempre importante que o responsável pela lavoura faça um bom balanço da quantidade de produtos e doses.

Sem errar

O principal erro dos agricultores frente ao uso de bioprodutos está, justamente, na aplicação. É preciso entender que os microrganismos, apesar de apresentarem certa resistência a algumas situações, são seres vivos.

E, portanto, devem ser oferecidas condições para que possam sobreviver. Dessa forma, o armazenamento, a tecnologia de aplicação e as condições pré-plantio devem favorecer a sobrevivência da bactéria.

Um dos principais pontos é justamente a temperatura, portanto, a semente deve ser bem armazenada e deve ser respeitado um prazo de plantio após o tratamento, em caso de TSI (tratamento industrial de sementes) e o horário de aplicação em junção com a umidade do solo, em caso de aplicação direto no sulco de semeadura.

Pesquisas

Pesquisas complexas e recentes apontaram para o lançamento de novos bioprodutos. Ultimamente, a engenharia genética está estudando o microbioma e a capacidade das plantas de recrutar microrganismos para sobreviver.

Se notarmos, o ser humano interfere no ciclo das plantas na atualidade, como elas sobreviviam no passado sem fertilizantes e defensivos? Pesquisas apontam que as plantas conseguem recrutar microrganismos capazes de melhorar seus aspectos da vida, assim como o mandacaru, uma planta da caatinga, constantemente em períodos de seca e estresse hídrico.

Tudo indica que o retorno da pesquisa trará novos bioprodutos e cultivares que podem ser lançadas, ressaltando a importância da pesquisa para a agricultura moderna.

ARTIGOS RELACIONADOS

Impacto do estresse oxidativo no florescimento dos citros

A planta cítrica está submetida a uma série de situações que proporcionam o chamado estresse fisiológico.

Clima aumenta estresse nas plantas

Fenômeno El Niño desencadeou chuvas intensas e altas temperaturas, afetando o desenvolvimento das mais diversas culturas agrícolas no país.

Proteja sua lavoura dos estresses hídricos e térmicos

É óbvio que as condições ambientais adversas para uma cultura têm um impacto ...

Irrigação: como mitigar o estresse do cafeeiro?

Saiba como a gestão hídrica pode impulsionar a produtividade e qualidade dos grãos de café, além de mitigar os impactos do estresse climático

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!