23.3 C
São Paulo
quarta-feira, julho 6, 2022
- Publicidade -
-Publicidade-
Inicio Revistas Hortifrúti Banana: Redução de produção marca a atividade

Banana: Redução de produção marca a atividade

Autor: José Clélio de AndradeEngenheiro agrônomo, doutor em Agronomia e pesquisador da SEAPA/EPAMIGjclelio@epamig.br

Banana – Crédito: shutterstock

A estimativa da produção brasileira de banana para 2019, segundo o Hortifrúti/Cepea da ESALQ/USP, deverá ter uma redução de 1,1% em relação a produção de 2018. Portanto, a produção deverá ser em torno de 6.719,0 toneladas, comparado com 6.793,2 toneladas em 2018, segundo o IBGE/LSPA, outubro de 2018. A redução é justificada devido à descapitalização dos bananicultores pelos baixos preços da fruta motivados pela grande oferta e o aumento do custo de produção (dólar e frete).

Brasil frente ao mundo

Segundo a FAO (2018), o Brasil é o 4º colocado na produção mundial, com 6.793,2 toneladas, sendo a Índia a 1ª colocada, com 29.124 toneladas, a China em 2º, com 13.067 toneladas e a Indonésia em 3º, com 7.007 toneladas em 2016.

A banana é a fruta mais produzida no mundo, com 113,28 milhões de toneladas produzias. Mais de 125 países dedicam-se ao cultivo desta fruta.

A área cultivada com bananeiras no Brasil nos últimos 15 anos foi 490 mil hectares. Em 2017, a área plantada foi de 485,8 mil hectares, tendo acréscimo de 6,23% e 2018, a projeção foi de 490,7 mil hectares, segundo IBGE (2018).

Produtividade

A produtividade média brasileira de banana é de 14,34 toneladas por hectares. Por Estados, fica assim: São Paulo 22,13 t/ha; Bahia 11,94 t/ha; Santa Catarina 24,46 t/ha; Minas Gerais 16,51 t/ha; Pará 11,96 t/ha, de acordo com o IBGE – Produção Agrícola Municipal, 2017.

Os Estados maiores produtores de banana são: São Paulo com 1.165,7 toneladas, Bahia com  823,0 toneladas, Minas Gerais com 813,9 toneladas, Santa Catarina com 716,7 toneladas, Pará com 420,1 toneladas, Espírito Santo com 409,0 toneladas, Ceará com 374,1 toneladas, Pernambuco com 327,4 toneladas, Rio Grande do Norte com 235,0 toneladas e demais Estados com 1.508,3 toneladas, totalizando em todo o País 6.793,3 mil toneladas, de acordo com o IBGE – Produção Agrícola Municipal, 2017.

Oferta e demanda

A maioria da produção brasileira é para o consumo próprio da população, igualando oferta e procura. O Brasil exporta banana para cerca de 43 países, sendo os principais: Uruguai com 50,1%, Argentina com 30,1%, Holanda com 6,9% e Espanha com 2,3%.

Segundo a Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, em 2018 a exportação foi estimada em 52,0 mil toneladas, gerando um valor comercial de US$ 2,1 milhões.

O crescimento da bananicultura no Brasil em 2019, segundo o Hortifrúti/Cepea da ESALQ/USP (Perspectiva, 2019) foi de 1,4% na área plantada e redução da produção em 1,1%.

Balanço geral da cultura em 2019

A estimativa da produção brasileira de banana para 2019, segundo o Hortifrúti/Cepea da ESALQ/USP, é de redução de 1,1% em relação à produção de 2018. Portanto, a produção deverá ser em torno de 6.719,0 toneladas, comparado com 6.793,2 toneladas em 2018, segundo o IBGE/LSPA – outubro de 2018. Justifica tal redução a descapitalização dos bananicultores pelos baixos preços da fruta motivados pela grande oferta e o aumento do custo de produção (dólar e frete).

Tendências para 2020

A bananicultura nacional mineira convive com duas realidades distintas. A primeira é conduzida em regiões marginais para a cultura em termos de clima e relevo, sem uso de irrigação, com práticas culturais deficientes e sem estrutura adequada para as fases de colheita e pós-colheita. Essa bananicultura vem perdendo espaço no montante de produção, mas é fonte de renda para muitas famílias de agricultores. A outra realidade é o cultivo em áreas com relevo e clima propícios, uso de irrigação, boas práticas agronômicas e sistemas adequados de colheita e pós-colheita.

A bananicultura vai continuar sendo a fruta mais produzida e consumida no Brasil, isto porque a demanda pela fruta é muito grande.

Inicio Revistas Hortifrúti Banana: Redução de produção marca a atividade