28 C
Uberlândia
terça-feira, junho 25, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiBayer CropScience leva tecnologia para a produção de tomate

Bayer CropScience leva tecnologia para a produção de tomate

Crédito Bayer
Crédito Bayer

 

Plantar tomate em campo aberto é um desafio para os tomaticultores devido a doenças de solo, como Fusarium 3 e Ralstoniasolanacearum (murchadeira). Para atender as necessidades de seus clientes e contribuir com uma agricultura sustentável, a Bayer CropScienceVegetableSeeds inova mais uma vez e leva ao mercado um porta-enxerto desenvolvido especificamente para plantio de tomate em campo aberto.

A solução tecnológica permite a enxertia em tomates de alta produtividade ” como no caso das variedades Pizzadoro, tipo italiano, e Minotauro, tomate redondo, ambos da marca Nunhems ” e resistência às principais doenças de solo, germinando frutos de excelente qualidade.

Segundo Fabrício Benatti, gerente geral da Bayer CropScienceVegetableSeeds para o Brasil, a semente Endurance veio para colaborar especialmente com agricultores do Espírito Santo e de algumas regiões de Minas Gerais e do Rio de Janeiro que plantam tomate em campo aberto e estão sendo obrigados a mudar de área devido ao ataque agressivo das duas doenças.

“A cada ano os agricultores migram para áreas mais altas, inicialmente livres de Fusarium3 e Ralstonia, o que aumenta os custos de produção e inviabiliza o negócio. A semente Endurance é pioneira no mercado, pois a enxertia só podia ser feita em estufas e, com este novo método, a produção pode ser realizada também em áreas antes consideradas inviáveis. Em 2013 foram comercializadas 200 mil plantas enxertadas (Pizzadoro/Endurance), e em 2014 serão três milhões de plantas“, ressalta Benatti.

Crédito Bayer
Crédito Bayer

Manejo

Para utilizar a tecnologia, o agricultor adquire as duas sementes de tomate, o Endurance e o Pizzadoro, por exemplo, que devem ser plantadas ao mesmo tempo em um viveiro. Cerca de 15 dias após a germinação, já é possível fazer a enxertia.

O tomaticultor corta ambas as mudas ao meio (de forma latitudinal) e junta a raiz do Endurance com a copa do Pizzadoro. Assim tem uma planta pronta para ser levada ao campo. Benatti enfatiza que a vantagem é que a parte de baixo é mais rústica, resiste mais às doenças de solo e consegue absorver melhor os nutrientes. A parte de cima pode oferecer melhores frutos.

Essa matéria você encontra na edição de novembro 2015  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua.

ARTIGOS RELACIONADOS

Uso de feromônios e agentes biológicos no cultivo do tomateiro em estufas

Rodrigo Vieira da Silva Engenheiro agrônomo, doutor em Fitopatologia e professor do IF Goiano " Campus de Morrinhos rodrigo.silva@ifgoiano.edu.br Sílvio Luís de Carvalho Luam Santos Lorena Natácia da Silva...

IHARA aposta em inovação com novo inseticida Zeus

A IHARA, empresa especializada em tecnologias e defensivos para a proteção de cultivos, leva para a 21ª edição da Expodireto Cotrijal o novo ZEUS, inseticida com...

Alltech Crop Science chega ao Chile focada em soluções sustentáveis para os desafios da agricultura

Presente em 38 países, a empresa também anunciou recentemente a instalação de um laboratório próprio de fermentação na Costa Rica A Alltech Crop Science, divisão...

Fatores determinantes no enraizamento de miniestacas em viveiros clonais de eucalipto

Allan Camatta Mônico Biólogo, mestre em Recursos Florestais e especialista em Manejo de Solos, responsável pela consultoria em viveiros florestais da RR Agroflorestal allan@rragroflorestal.com.br Marta Regina Almeida...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!