Benefícios do silício para o cafeeiro

0
67
Benefícios do silício no cafeeiro - Crédito Marcelo Linhares
Benefícios do silício no cafeeiro – Crédito Marcelo Linhares

Embora não seja considerado essencial às plantas, porém benéfico, o silício (Si) tem aumentado a resistência de várias espécies de plantas às pragas e doenças, bem como a diversos tipos de estresses abióticos, tais como altas temperaturas e falta de água no solo

 

O silício é ainda um elemento pouco conhecido na agricultura, mas promete crescer bastante em importância, com os novos estudos sobre o seu papel na nutrição de algumas plantas comerciais, como café, cana, citros, milho, arroz, hortaliças, entre outras.

Uma grande variedade de materiais tem sido utilizada como fonte de Si para as plantas, tais como escórias de siderurgia, wollastonita, metassilicato de cálcio, metassilicato de sódio, silicato de magnésio (serpentinitos) e silicato de cálcio. Existem vários produtos comerciais que apresentam Si em sua formulação, utilizando como base o silicato de cálcio.

Segundo Marcelo de Melo Linhares, engenheiro agrônomo especialista em Proteção de Plantas e consultor da Sagra Insumos Agropecuários Ltda., as escórias de siderurgia podem ser utilizadas como corretivo do solo e fonte de Si, cálcio, magnésio e outros nutrientes.

Por outro lado, Barbosa et al. (2002) observaram maior elevação no pH do solo com aplicação de carbonato de cálcio (calcário), em relação à aplicação de silicato de cálcio, quando fornecidos em quantidades equivalentes. “Esses metais não ficam disponíveis para as plantas em curto prazo. Mas, com o passar do tempo, o pH do solo tende a diminuir, disponibilizando os metais pesados para absorção pelas plantas. Além disso, plantas que acidificam a rizosfera (região próxima à raiz) tendem a absorver esses metais em taxas elevadas, quando presentes no meio“, esclarece o especialista.

Por meio de pesquisas e investigações científicas do Brasil e do exterior, empresas têm melhorado essa questão a partir de um melhor beneficiamento das escórias, tornando-as aptas para serem utilizadas na agricultura.

Uma opção que o cafeicultor tem é a utilização do silício via foliar, pois várias empresas estão pesquisando, com insistência, o emprego dos silicatos via folhas.

 

Como ele funciona na planta?

 

O Si (via solo) é absorvido pelas raízes das plantas na forma neutra, como ácido monossilícico (H4SiO4), por processo passivo ou ativo, por meio de transportadores de membrana específicos para esse fim. O transporte do ácido monossilícico é feito via xilema e pode ser regulado pela transpiração ou por processo ativo.

O ácido monossilícico, depois de absorvido pelas plantas, é depositado, sobretudo, nas paredes das células da epiderme. Ele contribui substancialmente para fortalecer a estrutura da planta e aumentar a resistência ao acamamento e ao ataque de pragas e doenças, além de diminuir a transpiração.

Marcelo Linhares explica que os silicatos se comportam de maneira similar aos carbonatos (calcários) no solo e são capazes de elevar o pH, neutralizando o alumínio e outros elementos tóxicos às plantas. “O silício polimeriza na superfície das folhas, formando uma camada mais dura e difícil de transpor para os insetos-pragas e para os fungos causadores de doenças. Os efeitos benéficos proporcionados pelo uso do silício na redução de doenças são atribuídos a essa barreira física formada pela deposição de sílica na superfície da folha, que dificulta a penetração e o desenvolvimento de hifas de fungos no tecido foliar“, explica.

 

Clique aqui e faça a assinatura da revista Campo & Negócios Grãos para ler a matéria completa.