Benefícios dos bioestimulantes na produção de mudas de alface

0
244

 

Fábio Steiner

Engenheiro agrônomo, doutor em Agronomia e Professor de Horticultura das Faculdades Integradas de Ourinhos (FIO).

fsteiner_agro@yahoo.com.br

Felipe Otávio Brito Pavan

Engenheiro agrônomo

felipe_pavan92@yahoo.com.br

 

Fotos Shutterstock
Fotos Shutterstock

A utilização de mudas de alta qualidade é essencial para proporcionar o adequado crescimento e desenvolvimento das plantas no campo, permitindo ao agricultor uma maior tranquilidade e rentabilidade.

Mudas de melhor qualidade podem ser obtidas com a adoção de “novas“ técnicas de produção, que são, ao mesmo tempo, acessíveis às condições econômicas dos agricultores. A viabilidade econômica dessas técnicas é de extrema importância em virtude de que a produção de mudas de alface é, normalmente, realizada pelo próprio produtor. Qualquer falha no processo de produção de mudas irá refletir negativamente na sua qualidade, que dará origem a plantas com potencial produtivo limitado.

Nutrição de plantas

Atualmente, tem sido constatada, no mercado, a comercialização de uma gama de produtos nutricionais contendo reguladores vegetais, nutrientes, aminoácidos e substâncias húmicas. Esses produtos, denominados bioestimulantes, são recomendados aos agricultores com a finalidade de melhorar a qualidade e aumentar a produção das espécies cultivadas. Os bioestimulantes podem ser utilizados em diversos estádios de desenvolvimento das plantas, inclusive na produção de mudas.

Atuação dos bioestimulantes

Os bioestimulantes são recomendados para melhorar a qualidade e aumentar a produção de folhosas - Fotos Shutterstock
Os bioestimulantes são recomendados para melhorar a qualidade e aumentar a produção de folhosas – Fotos Shutterstock

Bioestimulantes são substâncias ou produtos agrícolas que melhoram o metabolismo vegetal e promovem o crescimento das plantas quando aplicados em pequenas quantidades.

Os bioestimulantes caracterizam-se por apresentarem em sua composição uma exclusiva mistura de reguladores vegetais, ou a combinação de reguladores vegetais com diferentes substâncias, como aminoácidos, vitaminas, ácidos orgânicos (húmicos e fúlvicos), extratos de algas ou nutrientes. Esses produtos possuem ação semelhante à dos hormônios vegetais, e podem promover, inibir ou modificar os processos fisiológicos das plantas.

Direto do laboratório

Pesquisas científicas mostram que os efeitos bioestimulantes da utilização de produtos contendo reguladores vegetais, substâncias húmicas e aminoácidos estão relacionados ao estímulo na divisão e diferenciação das células, à alteração na partição de fotoassimilados, promovendo maior produção, à redução da senescência foliar e à maior tolerância das plantas aos estresses abióticos, como temperatura, luz, água e nutrientes.

Por sua vez, os efeitos benéficos da aplicação dos bioestimulantes contendo extrato de algas estão associados à presença de auxinas ” um hormônio vegetal responsável pelo alongamento celular e pelo controle do crescimento vegetativo das plantas. No entanto, esses efeitos dependem da concentração, da natureza e da proporção das substâncias presentes nos produtos.

Importância dos bioestimulantes para a alface

Os bioestimulantes melhoram o metabolismo vegetal e promovem o crescimento das plantas - Fotos Shutterstock
Os bioestimulantes melhoram o metabolismo vegetal e promovem o crescimento das plantas – Fotos Shutterstock

Os efeitos da aplicação de bioestimulantes na produção de mudas de alface de melhor qualidade estão relacionados ao aumento da emissão das raízes, estímulo do crescimento radicular e maior expansão foliar.

Essas substâncias agem em conjunto, garantindo o adequado equilíbrio hormonal das mudas de alface, estimulando a emissão e o desenvolvimento das raízes, aumentando a absorção de água e nutrientes, e, portanto, resultando na formação de mudas de alface de alta qualidade.

Mudas de alta qualidade devem apresentar torrões bem formados repletos de raízes e folhas exuberantes e viçosas, e são fundamentais para o sucesso do cultivo da alface, originando plantas com alto potencial produtivo.

Outro ponto favorável da utilização de bioestimulantes à base de substâncias húmicas, aminoácidos e nutrientes na produção de mudas de alface é a redução do tempo para o transplantio, proporcionando melhor rentabilidade para o olericultor ou viveirista.

Experimentos

O produtor deve ficar atento quanto às doses recomendadas - Fotos Shutterstock
O produtor deve ficar atento quanto às doses recomendadas – Fotos Shutterstock

Ensaios conduzidos pelo professor Fábio Steiner, em parceria com diferentes olericultores na região de Ourinhos (SP), revelaram que a aplicação de bioestimulantes, tanto no tratamento de sementes quanto no substrato para o preenchimento das bandejas, reduziu o tempo de formação das mudas em cinco dias (Tabela 1).

Além disso, o plantio das mudas obtidas com a aplicação de bioestimulantes reduziu o ciclo da cultura no campo em torno de 10 dias, permitindo maior número de cultivos no mesmo local.

Essa redução no período de formação de mudas e no ciclo da cultura no campo proporciona maior autonomia para o olericultor. Além disso, esta maior precocidade contribui para o maior rendimento e aproveitamento de mão de obra e melhor aproveitamento da área destinada à produção de alface.

 

Essa matéria completa você encontra na edição de fevereiro/2015 da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira a sua para leitura completa!