Berinjela desperta atenção do mercado

0
83
Berinjela – Crédito: shutterstock

A berinjela (Solanum melongena) é uma solanácea que tem despertado a atenção dos agricultores brasileiros em função do seu baixo custo de produção, rusticidade da planta e aumento da demanda no mercado.

As regiões sudeste e sul são as maiores produtoras de berinjela no Brasil. Dentre os Estados, destacam-se com a maior produção: São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina, Espírito Santo e Rio Grande do Sul (IBGE, 2019).

Apesar de ser uma cultura amplamente difundida e consumida pelos brasileiros, o mapeamento da produção de berinjela é ainda pouco explorado em estatísticas institucionais, o que prejudica a análise do avanço dessa cultura. 

Informações do último levantamento divulgado pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) apontam que a produção mundial de berinjela e área plantada têm crescido de forma ascendente. No último ano abrangido pelo levantamento da FAO, a produção mundial da cultura foi de 52.309.119 toneladas em mais de 1.858.253 hectares. Dessa forma, a produtividade média da cultura a nível mundial é de 28,15 t/ha (Faostat, 2019). China e Índia são os principais produtores a nível mundial.

No Brasil, a produtividade observada é variável, podendo alcançar até 100 t/ha em algumas regiões onde o ciclo de colheita é prolongado, atingindo 100 dias ou mais.

No Brasil

Dados do último levantamento feito e disponibilizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) para a cultura da berinjela indicam que a produção nacional se situa próximo a 78.217 toneladas (IBGE, 2006), havendo pouco detalhamento por parte deste órgão sobre a produção em cada Estado da federação, produtividade média nacional e área plantada. 

No Estado do Rio de Janeiro, por sua vez, foram colhidas no último ano 20.031 toneladas de berinjela, com cultivo em 725,16 hectares e rendimento médio de 25,16 t/ha, conforme dados estimados pela Emater (Emater-RIO, 2019).

Na Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo) a berinjela figura como um dos 30 produtos mais comercializados. O último balanço divulgado pela Companhia indica que a comercialização anual dessa hortaliça foi de aproximadamente 31.413 toneladas.

Os grupos mais comercializados são: berinjela comum (96,8%), japonesa (3%) e conserva (0,2%). As cidades que mais enviam berinjela comum para o Entreposto Terminal de São Paulo são: Elias Fausto (27%) e Mogi Guaçu (17%) (Ceagesp, 2019).

Oferta e demanda

Segundo dados do Prohort (Programa Brasileiro de Modernização do Mercado de Hortigranjeiro), os preços médios de comercialização de berinjela no atacado se situaram entre R$ 1,00 a R$ 3,50/kg (Prohort, 2019).

Na Ceagesp, a menor disponibilidade do produto se dá de julho a setembro, ocasião em que os preços se elevam. A melhor valoração é obtida com berinjelas dos grupos japonesa e conserva, em comparação a berinjela comum (Ceagesp, 2019). Na Ceasa-RJ, os preços de comercialização de berinjela são estáveis geralmente no mês de abril, e de junho a setembro; e tendem a aumentar de outubro a dezembro (Ceasa-RJ, 2019), mostrando ser um período pertinente para o produtor obter uma melhor lucratividade

Custo de produção

Um estudo sobre custos de produção de berinjela feito pela Emater-DF apontou custo por hectare no valor de R$ 21.623,32 e custo por unidade de comercialização (caixa de 12 kg) de R$ 5,41.  O estudo envolveu estimativas com gastos de insumos e serviços, considerando-se uma produtividade média de 48 t/ha (Emater-DF, 2019).

A produção da cultura apresenta-se, portanto, como vantajosa, tendo em vista as estimativas de custos de produção e os preços médios comercializados nas Centrais de Abastecimento – Ceasas, conforme dados do ProHort (2019).

2019 x 2020

Apesar da inexistência de dados nacionais consistentes, existe uma perspectiva de crescimento na produção e área plantada com berinjela a nível mundial, conforme dados disponibilizados pela FAO (Faostat, 2019). Alguns fatores podem acentuar o crescimento na produção nacional de berinjela, como a utilização de híbridos com melhor desempenho, produtividade e resistência a doenças, em comparação a cultivares tradicionais.

O cultivo protegido de berinjela também pode favorecer ainda mais a ampliação do cultivo e produção desta cultura, por atenuar os impactos do clima sobre o desenvolvimento das plantas.

Outro nicho de mercado potencial para 2020 é a produção de berinjela sob manejo orgânico. Nesse caso, haverá uma percepção diferenciada dos consumidores sobre a qualidade do produto, aliado à já estabelecida valorização do produto em função dos benefícios nutricionais dessa hortaliça. Esta situação tende a resultar na obtenção de melhores rendimentos financeiros aos produtores da cultura.

Gráfico 1. Área mundial colhida com berinjela no período de 1994 a 2017.

Fonte:  Adaptado de FAOSTAT (2019)

Gráfico 2. Produção mundial de berinjela no período de 1994 a 2017

Fonte: Adaptado de FAOSTAT (2019).

Autoria:

Carlos Antônio dos Santos

Engenheiro agrônomo e doutorando em Fitotecnia – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ)

carlosantoniods@ufrrj.br

Júlio César Ribeiro

Engenheiro agrônomo e doutor em Ciência do Solo – UFRRJ

jcragronomo@gmail.com

Margarida Goréte Ferreira do Carmo

Engenheira agrônoma, doutora em Fitopatologia e professora – UFRRJ

gorete@ufrrj.br