BioAS: tecnologia brasileira no avanço da agricultura

0
44
Reprodução Shutterstock

Ana Elisa Lyra Brumat

Engenheira agrônoma e doutoranda em Ciências do Solo – Universidade Federal do Paraná (UFPR)

anaelisalbrumat@gmail.com

A Tecnologia de Bioanálise de Solo foi criada por pesquisadores da Embrapa e lançada no ano de 2020 pela Embrapa Cerrados a partir da necessidade do conhecimento que vai além das características físico-químicas do solo, como o seu funcionamento biológico. A BioAS surgiu como uma inovação simples, mas eficiente para avaliar a saúde do solo.

Essa tecnologia consiste na análise de duas enzimas, a beta-glicosidase e a arilsulfatase, que estão associadas aos ciclos do carbono e enxofre, diretamente relacionadas ao potencial produtivo e a sustentabilidade do uso do solo. Até então, esses bioindicadores e/ou a avaliação da saúde dos solos não eram utilizados nas análises de rotina.

A importância da presença da BioAS na análise de solo se dá pela capacidade de avaliação do nível das atividades biológicas que auxilia de forma rápida e assertiva a tomada de decisão quanto ao manejo dos cultivos. 

Se a análise apresentar grande quantidade desses bioindicadores, indica que as práticas de manejo estão sendo adequadas, por outro lado, se o resultado apontar pequenas quantidades dos bioindicadores, é hora de reavaliar os tratos culturais.

Essa técnica completa a análise de rotina do solo e é extremamente precisa, pois os bioindicadores são muito mais sensíveis que os químicos e físicos, é uma análise de simples determinação, está ligada à ciclagem de nutrientes e não é influenciada pela aplicação de adubos e/ou defensivos.

Manejo

Recomenda-se, para a realização dessa, a coleta do solo no fim do período chuvoso, ou após a colheita das culturas, coincidindo com a coleta para análise de fertilidade. Deve-se coletar amostras compostas nas entrelinhas na profundidade de 0 – 10cm, pois é nessa profundidade que é determinado o Índice de Qualidade Biológica do Solo.

No entanto, não isenta coletas em maiores profundidades para análises químico-físicas. O solo deve ser seco ao ar e peneirado em malha de 2 mm. Após coleta e secagem, as amostras devem ser encaminhadas para análise o quanto antes.

A textura do solo influencia nos resultados das análises. Em geral, a atividade enzimática aumenta quando há maior teor de argila no solo. Além disso, a atividade enzimática também varia de acordo com as condições edafoclimáticas e culturais.

Os laboratórios que executam essas análises são habilitados pela Embrapa e são gerados os laudos e então disponibilizados aos clientes. A BioAS está disponível para o acesso a todos os produtores.

BOX

Disponibilidade

Hoje, a BioAS está formatada apenas para culturas anuais de grãos e fibras do bioma Cerrado, não sendo disponibilizada para todas as regiões do País, mas há uma expectativa de lançamento do BioAS Pastagem, BioAS Cana e BioAS Café entre esse ano e o próximo.

Além de ser utilizada como ferramenta na tomada de decisão de manejo e uso do solo, a BioAS serve de indicador ambiental, podendo ser usada na avaliação de sustentabilidade dos sistemas de produção agrícola, e alertar os agricultores que utilizam sistemas que geram degradação ambiental.