Bioestimulantes na cebola: o que esperar deles?

0
31

Harleson Sidney Almeida Monteiro

harleson.sa.monteiro@unesp.br

Sinara de N. Santana Brito

sinara.santana@unesp.br

Engenheiros agrônomos e mestrandos em Horticultura – UNESP

Antonia B. da Silva Bronze

Doutora em Ciências Agrárias e professora – Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA)

Meirevalda do S. Ferreira Redig

Doutora em Ciências Agrárias e professora – Universidade Federal do Pará (UFPA)

Gean Charles Monteiro

Doutor em Horticultura – UNESP

Crédito Shutterstock

A aplicação de bioestimulantes estimula o processo natural de nutrição das plantas, induzindo as plantas a produzirem compostos que atuam nas mais diversas áreas do metabolismo do vegetal, sempre pensadas para aumentar a produtividade de forma limpa e sustentável.

Os bioestimulantes são formulados sem agrotóxicos, mas, mesmo assim, possuem propriedades, como aumentar os antibióticos naturais produzidos pela própria planta, aumentando assim sua resistência.

Salienta-se que os microrganismos podem atuar como bioestimulantes, e no grupo principal estão as bactérias fixadoras de nitrogênio (BFN), as promotoras do crescimento vegetal (BPCV) e os fungos benéficos, com destaque para os fungos micorrízicos arbusculares (FMA), que formam simbiose com as raízes da maioria das plantas, exceto aquelas para controle biológico, representados principalmente por Trichoderma.

Como agem na cebola?

Os bioestimulantes podem agir na inibição, promovendo e/ou alterando processos metabólicos envolvidos no crescimento e desenvolvimento da espécie, ocasionando alteração em sua morfogênese, nos processos bioquímicos e nos fatores fisiológicos que podem levar a uma variedade de respostas das plantas.

Inclui-se aí modificar os fitohormônios no sistema radicular para melhor utilização solo, aumentando assim a absorção de água e nutrientes pelo sistema radicular, o que pode facilitar o equilíbrio hormonal do vegetal, resultando em um ótimo crescimento vegetativo e desenvolvimento da cultura.

Isso melhora uma ou mais propriedades da cultura, como a eficiência no uso de nutrientes, tolerância ao estresse abiótico e otimiza características relacionadas com o ótimo crescimento vegetativo e desenvolvimento da cultura, o aumento da produção, bem como a produtividade e qualidade da colheita.

Benefícios

O uso de bioestimulantes é considerado uma prática segura. Eles são obtidos de fontes como microrganismos, hidrolisados de proteínas, formulações contendo crescimento de plantas, substâncias húmicas e algas.

Dessa forma, o uso de bioestimulantes pode ser mais uma forma de ajudar as plantas a superarem o estresse abiótico, pois atuam como aumentos hormonais e de nutrientes, em especial, pois são substâncias naturais que podem ser utilizadas por sementes, plantas e solo e causar mudanças nos principais processos, oferecendo estrutura para aumentar a produtividade e a qualidade do produto.