Biológico: Eficiência superior a 80% no manejo de nematoides

0
151

Autores

Vanessa Alves GomesEngenheira agrônoma, mestre em Fitopatologia e doutoranda em Proteção de Plantas – UNESP/Botucatuvavvgomes@gmail.com

Fabíola de Jesus SilvaEngenheira agrônoma, mestre em Produção Vegetal e doutora em Fitopatologia – Universidade Federal de Lavras (UFLA)fa.agronomia@gmail.com

Carolina Alves GomesGraduanda em Agronomia – Universidade Federal de Viçosa (UFV/CRP)carol.agomes11@gmail.com

Broto – Fotos: Shutterstock

Os nematoides parasitas de plantas são responsáveis pela redução de cerca de 10% da produção agrícola mundial. O elevado número de casos evidenciados em diversas culturas alerta a capacidade desses patógenos em causar grandes prejuízos econômicos.

Uma vez estabelecido no campo, a erradicação dos nematoides é praticamente impossível. Deste modo, além do manejo ser oneroso, ele requer medidas combinadas. O manejo dos nematoides fitoparasitas visa uma redução da população em níveis abaixo do limiar de dano econômico.

Diante da necessidade de sistemas mais sustentáveis e alimentos mais saudáveis, o Brasil e outros países sentem a necessidade de implantar o manejo integrado dos fitonematoides onde o controle biológico é uma ferramenta indispensável, principalmente por apresentar os seguintes benefícios: não prejudicar o meio ambiente; não deixar resíduos nos produtos colhidos; não favorecer a seleção de populações resistentes dos nematoides, não causar desequilíbrio na biota do solo e ser de fácil aplicação.

Entenda melhor

Assim, entende-se por controle biológico o controle de um microrganismo por meio da ação direta de outro microrganismo, denominado antagonista, o qual pode atuar por competição por espaço e nutrientes, parasitismo, predação e produção de compostos tóxicos.

Do ponto de vista nematológico, o controle biológico é a redução da densidade populacional do nematoide pela ação de um organismo vivo, ou a manipulação do ambiente com a introdução de antagonistas.

Segundo o MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), os agentes de controle biológico podem ocorrer de forma natural ou podem ser obtidos por manipulação genética e serem introduzidos no ambiente. Vários organismos são considerados inimigos naturais de fitonematoides, tais como bactérias, fungos, nematoides predadores e ácaros.

Entretanto, apenas algumas espécies de fungos e bactérias podem ser utilizadas racionalmente no controle de nematoides. Os fungos têm se destacado como agentes potenciais para controle biológico, seguidos das bactérias. 

Cerca de 75% dos antagonistas já identificados são fungos e outros 7% são bactérias, encontrados normalmente nos solos e inofensivos às culturas. É possível observar parasitismos de ovos, predação de juvenis, adultos ou cistos, ou ainda produção de substâncias tóxicas aos nematoides.

Pesquisas

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.