22 C
Uberlândia
segunda-feira, julho 15, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosGrãosBiológico no sulco de plantio da cana

Biológico no sulco de plantio da cana

Ana Caroline Scoparo
kahscoparo@gmail.com
Mateus Henrique Tavares Gomes
mateus.tavares1353@gmail.com
Graduandos em Agronomia – Centro Universitário da Faculdade Integrada de Ourinhos (UniFio) Ourinhos – SP
Aline Mendes de Sousa Gouveia
Engenheira agrônoma, doutora em Agronomia e professora – UNIFIO
aline.gouveia@unifio.edu.br

O Brasil, atualmente, é o maior produtor mundial de cana-de-açúcar, e esta cultura representa uma das melhores e mais importantes fontes de energia renovável no mundo, sendo a principal matéria-prima para as indústrias de açúcar e álcool.
Com sua expansão, seja pelo aumento da área plantada ou de produtividade, vem aumentando também os problemas fitossanitários. Com isso, têm-se buscado, por meio das pesquisas e estudos científicos, métodos alternativos ao plantio convencional, que melhorem a qualidade e a longevidade dos canaviais, como por exemplo, a produção de mudas livres de patógenos, e assim proporcionem ganhos produtivos em todo território nacional.

Agentes biológicos

O uso de microrganismos benéficos às plantas permite a promoção de uma agricultura mais sustentável, com a redução no uso de agroquímicos nos sistemas de cultivo convencional e integrado. A utilização de fungos e bactérias que desempenham processos ecológicos importantes apresentam grande potencial para melhorar a sanidade e o desenvolvimento de plantas, não são patogênicos ao homem e ao meio ambiente, e dessa forma, contribuem para promover a maior produtividade dos cultivos agrícolas.

Resultados na cana

Na cana-de-açúcar, a utilização de inoculantes fúngicos e bacterianos constitui-se em alternativa econômica e ambientalmente viável, com possível diminuição do uso de adubos minerais e defensivos sintéticos e, consequentemente, menor custo de produção.
Estes efeitos são obtidos por diversas espécies biológicas que possuem a capacidade de colonizar as raízes e favorecer a promoção de crescimento de plantas por meio da produção de hormônios e da maior disponibilização de nutrientes. Dentre os principais microrganismos utilizados estão as espécies pertencentes aos gêneros Trichoderma spp., Herbaspirilum seropedicae e Bacillus spp.
Pesquisas mostram que isolados de agentes biológicos proporcionam aumentos significativos na percentagem e na precocidade de germinação de sementes e gemas, no peso seco e na altura de plantas, além de estimular o desenvolvimento das raízes laterais em cana-de-açúcar.
Eles são capazes de atuar como bioestimulantes do crescimento radicular, promovendo o desenvolvimento de raízes por meio da produção de fitohormônios e, assim, melhorar a assimilação de nutrientes, que aumentam a resistência diante de fatores bióticos não favoráveis, além de degradar fontes de nutrientes, que serão importantes para o desenvolvimento do vegetal.

Técnicas

Os aspectos de maior importância para uma boa produtividade estão relacionados às práticas de plantio, levando em consideração fatores indispensáveis, como a otimização da cultura, as quais vão interferir diretamente na capacidade de brotação e perfilhamento da cana.
O perfilhamento inicia-se em torno de 40 dias após o plantio e pode durar até 120 dias, sendo um processo fisiológico. Perfilhos formados mais cedo ajudam a produzir colmos mais grossos e mais pesados, no qual a população máxima é alcançada entre 90 e 120 dias. A partir de então, a competição entre os perfilhos pelos seus fatores de crescimento, como água, luz e espaço aumenta, podendo causar a morte dos perfilhos mais novos.
Nesta fase, o sistema radicular da planta está bem desenvolvido, crescendo em direção às camadas mais profundas do solo, não apresentando impedimentos por condições físicas, químicas ou biológicas.

Benefícios dos biológicos

[rml_read_more]

A busca por metodologias de controle alternativo para problemas fitossanitários em cana-de-açúcar, como o controle biológico, tem levado diversos pesquisadores a encontrarem novos caminhos para obter um manejo integrado mais eficiente e duradouro nesta área.
O uso de microrganismos oferece um período de maior tempo de proteção das plantas contra as doenças. Isto porque, como são organismos vivos que co-evoluem com o patógeno, eles adaptam-se às mudanças que ocorrem nos ambientes.
Sem falar da capacidade que possuem para colonizar o solo e as raízes das plantas, permanecendo no local de infecção mesmo quando o patógeno se encontra em menor população. Este fato vem representando uma técnica benéfica de combate aos problemas fitossanitários encontrados nos canaviais, apresentando grande eficiência, principalmente em razão da atual preocupação mundial com a sustentabilidade.
Dessa forma, as plantas permitem a promoção de uma agricultura mais sustentável, principalmente na cultura da cana-de-açúcar, pois a utilização de fungos e as bactérias que desempenham processos ecológicos importantes na estrutura e descompactação do solo, desenvolvimento radicular e da parte aérea vegetal, estande e produtividade, promovem maior produtividade.

Manejo

Plantas pré-imunizadas com Trichoderma spp são capazes de resistir às doenças causadas por outros 30 microrganismos fitopatogênicos. Dessa forma, é recomendada a aplicação de Trichoderma em cana-de-açúcar sempre de forma preventiva, no sulco de plantio ou sobre os toletes, para que o fungo colonize as raízes, induzindo a resistência da planta, antes do ataque dos patógenos.
Já as bactérias do gênero Bacillus apresentam características adaptativas para viver na rizosfera colonizando raízes de plantas. Algumas espécies do gênero que são classificadas como agente de controle biológico possuem ampla gama de bactérias com efeito nematicida.
O método biológico para o controle de fitonematoides pela ação da bactéria ocorre pela paralisação do ciclo de vida dos parasitas e redução da capacidade reprodutiva. As endotoxinas produzidas por B. subtilis no solo interferem no ciclo reprodutivo dos nematoides, sobretudo na oviposição e eclosão de juvenis.
As espécies deste gênero têm sido utilizadas comercialmente para o biocontrole de patógenos de plantas e para aumentar a produtividade das culturas. Estas apresentam grande potencial para promover o desenvolvimento de plantas, sendo conhecidas como rizobactérias promotoras de crescimento de plantas.

Resultados

As rizobactérias possibilitam uma maior eficiência e, consequentemente, maior economia no uso de adubos minerais, já que melhoram o enraizamento da cana-de-açúcar, aumentam a fertilidade biológica do solo e ampliam consideravelmente a produtividade da cultura, assim como a qualidade da matéria-prima.
Além disso, os nutrientes previamente consumidos pela cana-de-açúcar poderão ser reciclados e recuperados por microrganismos, melhorando todas as características do solo. Em combinação com a adubação mineral, a utilização de adubação orgânica ou biológica pode vir a melhorar em cerca de 31% a eficiência da fertilização mineral comumente empregada, reduzindo sua utilização de modo a aumentar a produtividade.

Em campo

Em termos práticos, a utilização de microrganismo no sulco de plantio visa o controle de fitonematoides pela ação de bactéria do gênero Bacillus, que têm a capacidade de formar endósporos, que são estruturas de resistência capazes de aumentar sua taxa de sobrevivência em condições adversas do ambiente pela produção de endotoxinas.
Com isso, promovem a paralisação do ciclo de vida dos parasitas e redução da capacidade reprodutiva. As endotoxinas produzidas por B. subtilis no solo interferem no ciclo reprodutivo dos nematoides, sobretudo na oviposição e eclosão de juvenis de nematoides.
Tal patógeno é dependente do estímulo de exsudatos vegetais para eclosão e orientação das larvas. Pode-se afirmar que B. subtilis interfere nesse estímulo, prejudicando o desenvolvimento do ciclo do nematoide.
Já os microrganismos do gênero Trichoderma spp são encontrados naturalmente no solo. Os fungos desse gênero possuem rápido crescimento micelial, associado à alta produção de conídios, síntese de diversos antibióticos e capacidade de viver como organismos saprotróficos, simbiônticos ou até mesmo como microparasitas.
Dessa forma, apresentam também a capacidade de induzir ações de defesa pela própria planta. Estas ações consistem na expressão de um conjunto de proteínas conhecidas como PRs (proteínas de resistência) e na liberação de fitoalexinas, que protegem a planta contra infecções fúngicas.

ARTIGOS RELACIONADOS

Inovações no cultivo de cebola: A hora chegou!

AutoresClaudinei Kurtz Engenheiro agrônomo, doutor em Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas e pesquisador da Epagri/Estação Experimental de Ituporanga kurtz@epagri.sc.gov.br Daniel Rogério Schmitt...

Agricultura de precisão ajuda no preparo do solo

A tendência nos últimos anos é o surgimento de soluções em agricultura de precisão. Podemos dizer que esta é uma filosofia de manejo da fertilidade do solo utilizando-se de informações exatas e precisas sobre faixas ou porções menores do terreno, tendo por objetivo aumentar a eficiência do uso de corretivos e fertilizantes nas culturas agrícolas. E o que podemos dizer dessas novas ferramentas para a importância de um bom preparo de solo?

Controle biológico e nutricional do fusarium em feijoeiro

  Felipe Augusto Moretti Ferreira Pinto Doutorando em Agronomia/Fitopatologia na Universidade Federal de Lavras (UFLA) felipemoretti113@hotmail.com   Dentre os principais fatores da baixa produtividade do feijoeiro encontram-se as doenças...

Trichoderma também tem ação biofertilizante

Janaina Marek Engenheira agrônoma, mestre e doutoranda em Produção Vegetal - Universidade Estadual do Centro-Oeste janainamarek@yahoo.com.br Dione de Azevedo Engenheiro agrônomo e consultor Com a busca constante por uma...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!