Biológicos: Eficiência e quebra de resistência

0
33
Sintomas do mofo-branco em alface – Crédito: Claudinei Kappes

O manejo biológico tem crescido cada vez mais na agricultura brasileira e tem se tornado um grande aliado para manejo de diversas doenças e pragas. Por definição, o manejo biológico é o uso de inimigos naturais como predadores, parasitoides e microrganismos, para o controle de pragas e doenças.

O mercado biológico cresce mais de 10% ao ano no Brasil, e principalmente no mercado de HF tem tomado evidência pela crescente preocupação com a sustentabilidade e segurança alimentar. Além disso, os produtos biológicos conseguem quebrar A resistência de pragas e doenças aumentando nosso potencial de manejo sanitário.

Solução eficiente

A principal utilização de microrganismos em HF é no combate de patógenos de solo, que causam principalmente doenças radiculares e foliares. E, para o manejo especificamente de doenças, temos alguns microrganismos que apresentam grande eficiência de controle, como os Trichoderma spp. e o Bacillus amyloliquefaciens presentes no Pardella.

O Pardella é um fungicida microbiológico à base de três ativos: O Trichoderma harzianum, o Trichoderma asperellum e o Bacillus amyloliquefaciens. O conjunto de ação dos três organismos consegue combater tanto patógenos de solo, que causam as podridões radiculares, com também patógenos de parte aérea, que causam problemas principalmente em caules e folhas, como a antracnose.

O Trichoderma spp. já foi estudado para diversas culturas como agente de controle, combatendo muitas doenças limitantes em hortaliças. Os mecanismos de ação do Pardella acontecem principalmente de três formas: antibiose, parasitismo e competição.

Foco

Os fungos do gênero Trichoderma têm como característica a capacidade de parasitar outros fungos. Espécies de Trichoderma, como as presentes no Pardella, têm a capacidade de produzir enzimas que degradam a parede celular dos fungos patogênicos, como as quitinases e proteases, que vão degradar a parede celular dos fungos causadores de doenças e, como consequência, reduzir a presença do patógeno na área e trazer sanidade para a cultura.

A antibiose é a ação que tanto o T. harzianum, T. asperellum, quanto B. amyloliquefaciens presentes no Pardella vão causar em patógenos por meio de produção de metabólitos secundários. Essas substâncias têm potencial antifúngico e fazem com que a eficiência de combate aos patógenos aumente, gerando maior proteção e sanidade.

Direto ao alvo

A competição é o comportamento dos organismos por espaço ou recursos. A capacidade de crescimento dos três organismos no Pardella, e principalmente a compatibilidade e ação em conjunto fazem com que eles cresçam de forma rápida e tomem espaço das populações de patógenos, se estabelecendo mais rápido no ambiente. Isso faz com que os problemas de doenças radiculares diminuam devido à redução da população dos patógenos. A capacidade dos organismos presentes no Pardella faz com que possamos utilizar essa ferramenta de manejo nas principais doenças causadas em hortaliças e nos traz um grande potencial de sanidade, manejando o complexo de doenças de forma mais eficiente e com menor impacto de contaminação dos alimentos e meio ambiente.