Inicio Revistas Hortifrúti Bokashi proporciona equilíbrio biológico do solo

Bokashi proporciona equilíbrio biológico do solo

0
375

 

Francisco Vilela Resende

Mariane Carvalho Vidal

Pesquisadores da área de agricultura orgânica da Embrapa Hortaliças

 

 Créditos Embrapa Hortaliças
Créditos Embrapa Hortaliças

O bokashi éum composto orgânico fermentado à base de farelos ou substâncias finamente moídas que podem ser enriquecidas com calcários e rochas moídas. O processo é ativado por bioinoculantes (microrganismos eficientes [EM] em decomposição e solubilização de rochas).

Enquanto o composto orgânico comum necessita de 90 dias para ficar pronto, o bokashi fica pronto em um prazo de 10 a 20 dias (decomposição acelerada em função da ação do EM). Normalmente, é usado em dosagens menores que 3 a 5 t/ha, enquanto o composto comum de 20 a 30 t/ha. Pode ser produzido na presença (aeróbico) ou ausência de ar (anaeróbico).

Como preparar o bokashi anaeróbico

 

O composto anaeróbico de farelos, ou “bokashi“, é um adubo sólido constituído de uma mistura de resíduos agroindustriais diversos, como farinha de ossos, farelos de cereais e de oleaginosas que passam por uma fermentação anaeróbica.

É bastante rico em nutrientes e utilizado preferencialmente em adubações de cobertura. Atua também como excelente condicionador e/ou inoculante de solo. Ainda, pode ser usado na composição de substratos para produção de mudas, junto a outros materiais. O processo de fabricação do composto anaeróbico de farelos obedece às seguintes etapas:

â–º Adição e mistura dos componentes, iniciando pela cama de matrizes, seguida por calcário dolomítico, torta de mamona, farelo de trigo, farinha de ossos, cinzas ou carvão e água;

â–º Mistura e dissolução de água, leite, microrganismos eficazes e açúcar cristal em um galão de plástico ou outro recipiente;

â–º Adição da solução sobre a mistura, aos poucos, de maneira bem distribuída e uniforme, até atingir o ponto de moldar um torrão sem excesso de água.

Direto ao ponto

Uma vez pronto, o bokashi deve ser utilizado dentro de um prazo máximo de 20 dias para não perder suas características. Para armazenamento e/ou comercialização, o bokashi deve, antes, ser seco ao sol e, posteriormente, no momento do uso, deve ser umedecido (se possível com EM) para reativação das propriedades biológicas.

O bokashi é um adubo orgânico forte e pode causar danos à planta se não for bem incorporado nos canteiros ou sulcos/covas de plantio. Na adubação de cobertura, o adubo não deve entrar em contato com as folhas e caules das plantas.

 

Culturas beneficiadas

 

Não existe restrição. Obokashi pode ser usado em qualquer tipo de cultura, sendo necessário apenas ajustar as doses para a cultura-alvo.

Seu uso é mais indicado para adubações suplementares (em cobertura) por ser mais rico em nutrientes que outros adubos orgânicos. É um composto muito rico em microrganismos, por isso é usado também em adubações de fundação, quando é necessário o enriquecimento da fauna do solo.

Em áreas que estão em transição para agricultura orgânica é usado para recuperar a microfauna do solo e preparar a área para ser cultivada de forma orgânica. Os microrganismos presentes no bokashi atuam por competição, inibindo alguns patógenos de solo (função fitossanitária).

 Pesquisadores da Embrapa explicando o atuação do Bokashi no solo - Créditos Embrapa Hortaliças
Pesquisadores da Embrapa explicando o atuação do Bokashi no solo – Créditos Embrapa Hortaliças

BOX

Vantagens

→ Estimula e promove o equilíbrio da microfauna do solo e aumenta os microrganismos benéficos no ambiente.

→ Adubo orgânico muito rico em micro e macronutrientes. Presença de quelados que estimulam e facilitam a absorção dos nutrientes pela cultura.

→ Atua no combate de pragas e doenças de plantas.

→ Produzido com matéria-prima de origem orgânica e mineral segura, que não contamina o solo.

→ Pode ser usado como componente de substratos para produção de mudas de hortaliças.

→ Produção de extratos líquidos (biofertilizantes) para adubação foliar de mudas e plantas no campo.

Mais produtividade

 

Na cultura do tomate em estufa com o bokashi,obtiveram-se aumentos de 10 a 15% na produção comercial de frutos em relação ao uso do composto orgânico comum. Observou-se, também, aumento do crescimento e vigor de mudas de alface produzidas em bandejas de isopor e estufas utilizando10% de bokashi na composição do substrato.

Tem-se observado efeito linear da aplicação de bokashi em culturas como brócolis e alho até dosagens de 1,2 kg/m2.

Um exemplo de agregação de valor ao bokashi é incluir na sua composição pó de rocha rico em nutrientes (K, P, Ca). São materiais de difícil decomposição, que é conseguida pela adição ao EM de microrganismos específicos para solubilização desses nutrientes.

Essa matéria completa você encontra na edição de maio 2016  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua para leitura integral.

SEM COMENTÁRIO