Boro via foliar no desenvolvimento do repolho

0
426

Autores

Antonio Santana Batista de Oliveira Filho Mestrando em Produção Vegetal – FCAV/UNESPa15santanafilho@gmail.com

Adriana Araujo Diniz Professora adjunta II – Universidade Estadual do Maranhão (UEMA/CESBA)adrisolos2016@gmail.com

Myrelly Nazaré Costa NoletoGraduanda em Engenharia Agronômica – UEMA/CESBA myrellynoleto11@gmail.com

Plantação de repolho – Créditos: Shutterstock

O boro (B) é considerado como um micronutriente que pode limitar a produção das brássicas, principalmente devido à baixa disponibilidade do elemento em determinados tipos de solos. Este elemento contribui na incorporação de cálcio na parede celular e diretamente no processo de expansão celular, tendo atuação também direta no crescimento e desenvolvimento dessas hortaliças (Alves et al., 2006).

A deficiência de boro induz sintomas visíveis na planta, como redução da expansão foliar, inibição da parte aérea e das raízes e até a morte das gemas terminais, encurtamento das folhas e frutos pequenos e folhas quebradiças, entre outros.

A aplicação de fertilizantes foliares (micronutrientes) tem aumentado em decorrência da sua eficiência e com o intuito de buscar produtividades cada vez maiores. Dentre suas vantagens está a utilização de dosagens menores do que as usadas via solo, distribuição fácil e uniforme e respostas mais rápidas das plantas (Calonego et al., 2010).

A eficiência das aplicações foliares tem dependência da solubilidade e da fonte de B utilizada e do íon acompanhante, em que fertilizantes com baixa solubilidade mantêm o suporte de nutriente nas plantas por mais tempo e evitam a toxicidade pós-aplicação (Macedo et al., 2016).

As brássicas

O repolho (Brassica oleracea) é uma herbácea cultivada principalmente na agricultura familiar brasileira. O clima mais adequado de cultivo é o temperado e úmido, podendo estas plantas serem classificadas como verdes ou roxas e terem textura lisa ou crespa.

Para que haja um aumento significativo na sua produtividade é necessário que haja controle dos fatores que limitam a sua produção. Dentre eles, está a disponibilidade nutricional, de forma a atender as exigências dessa cultura.           

O repolho é uma das culturas que mais esgota os solos, por ter uma exigência nutricional elevada e também um sistema radicular robusto que possui alta capacidade de extração de nutrientes, havendo assim a necessidade de adubações frequentes.

Durante o ciclo de cultivo, adubações foliar são eficazes para suprir as necessidades nutricionais da planta, exigidas ao longo do desenvolvimento, possibilitando a disponibilidade do elemento em deficiência de forma rápida. Desse modo, a aplicação de boro via foliar em repolho se demonstra eficaz no suprimento do nutriente.

Benefícios proporcionados pelo boro

A aplicação de boro foliar propicia uma rápida reposta da planta, o que confere o restabelecimento do equilíbrio nutricional sem que sejam acarretados danos à produtividade, ao contrário da aplicação via solo, que em condições de deficiência pode não mais reverter os danos causados à produção.

O suprimento de boro via foliar para o repolho confere qualidade ao produto, resultando em cabeças compactadas e grandes. A deficiência do elemento poderá resultar em cabeças frouxas, conferindo menor qualidade ao produto e, consequentemente, uma menor rentabilidade à produção. Portanto, a aplicação desse micronutriente na cultura pode proporcionar aumento significativo nas variáveis de crescimento, refletindo na produtividade final.

Como implantar a técnica

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.