24.6 C
Uberlândia
segunda-feira, junho 17, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioDestaquesBrócolis orgânico

Brócolis orgânico

Juliano de Oliveira e Silvajuliano.oliveira@emater.df.gov.br

Daniel Rodrigues de Oliveira daniel.oliveira@emater.df.gov.br

Extensionistas rurais da EMATER-DF

Brócolis – Crédito: Shutterstock

O brócolis é uma planta que adora: 1. solo fofo e sem compactação; 2. solo sem encharcamentos e com boa drenagem da água de chuva ou de irrigação; 3. solo vivo, com elevada quantidade de matéria orgânica e; 4. clima com temperaturas amenas e elevada radiação solar; 5. adubação equilibrada e em quantidade crescente desde o transplantio da muda até a colheita.

Neste contexto, as dicas abaixo ajudarão o agricultor a produzir mais e melhor, bem como obter um custo baixo.

Dica 1: use cultivares adequadas ao clima local

A escolha de cultivares adaptadas às condições climáticas é o primeiro passo para o cultivo exitoso de brócolis orgânico. Adicionalmente, o agricultor pode escolher cultivares de brócolis que apresentem proteção contra doenças diversas, entre as quais têm se destacado algumas para o plantio orgânico (Tabela 1 e Tabela 2)

Tabela 1: Cultivares de brócolis cabeça única indicados para cultivo orgânico

Empresa produtora de sementes Tipo Nome da cultivar Época de plantio Proteção
Tsv Sementes Brócolis cabeça única Master Verão Alta tolerância à formação de ramos laterais e a talo oco
Sakata Brócolis cabeça única Logan Inverno Resistência à Alternaria
Isla Brócolis cabeça única Strong Inverno Resistência ao Míldio e doenças foliares
Topseed Brócolis cabeça única Salinas Outono/Inverno Resistente ao míldio
Topseed Brócolis cabeça única Verato Ano todo Resistência à Xanthomonas campestris

Tabela 2: cultivares de brócolis ramoso indicados para cultivo orgânico

Empresa produtora de sementes Tipo Nome da cultivar Época de plantio Proteção
Sakata Brócolis ramoso Hanabi Ano todo Resistência a Xanthomonas campestris
Horticeres Brócolis ramoso Piracicaba Ano todo  Flexibilidade em relação ao clima

Vale destacar que, apesar dos avanços obtidos pelas empresas de sementes, o brócolis é uma planta que produz mais e melhor em clima ameno (6°C até 23°C) e com boa umidade do ar (entre 55% e 75%).

Em outras palavras, o brócolis deve ser plantado no outono/inverno. É interessante procurar um engenheiro agrônomo ou técnico agrícola de sua confiança para escolha de uma cultivar adaptada à sua realidade.

Dica 2: plante mudas bem nutridas e sadias

O transplantio de mudas corretamente manejadas e adubadas, cultivadas em bandejas de plástico com 128 células, e com idade máxima de 28 dias é o segundo passo para se obter elevada produtividade e redução de custo.

Visualmente, as mudas ideais apresentam altura de 5,0 cm, caule com 2,0 milímetros, raízes de coloração branca aderidas em todo o substrato e possuem folhas com coloração verde escura, principalmente as folhas de baixo, também chamadas de folhas cotiledonares.

Dica 3: aplique calda de microrganismos nas mudas antes do transplantio

O cultivo de brócolis é suscetível a diversas doenças foliares e de solo, com destaque para aquelas doenças conhecidas popularmente como tombadeira (causadas pelo fungo Fusarium oxysporum), mofo branco (causado pelo fungo Sclerotinia sclerotiorum), manchas foliares (causadas pelos fungos Alternaria brassicae e Alternaria brassicicola), míldio (causado pelo fungo Hyaloperonospora parasitica) e hérnia (causada pelo protozoário Plasmodiophora brassicae).

[rml_read_more]

Como forma de prevenir esses problemas, o tratamento das mudas com microrganismos é o terceiro passo para obtenção de sucesso na produção de brócolis orgânico.

Para tal, recomenda-se que o agricultor aplique microrganismos comerciais à base de Trichoderma sp., Lactobacillus platarum, Bacillus subtilis, Enterococcus faecium e Bacillus amyloliquefaciens e Trichoderma harzianum, os quais são potencializados quando associados a algum probiótico.

Dica 4: plante em solo fofo e sem compactação

No Brasil, a maioria das propriedades rurais produtoras de hortaliças utiliza maquinários e implementos agrícolas para o preparo de solo, com destaque para grade aradora, enxada rotativa e encanteirador.

Esses equipamentos, quando utilizados rotineiramente em solos úmidos, podem provocar compactação de solo a partir de 15 centímetros de profundidade e isso pode limitar o enraizamento das mudas de brócolis, bem como criar condições favoráveis à ocorrência de problemas fitossanitários.

E, para identificar se esse problema está presente na área de cultivo, o agricultor pode realizar o teste do vergalhão, que consiste em perfurar o solo utilizando uma barra de ferro de 3/8 ou 5/16 e avaliar a existência e a profundidade de alguma resistência à perfuração, e somado a isso ainda verificar a presença de deformação radicular.

Uma vez identificada a compactação, será preciso eliminá-la e para tal. Existem três opções, que podem ser aplicadas individualmente ou combinadas entre si: construção de canteiros altos, subsolagem e uso de plantas de cobertura, também chamadas de adubos verdes.

Os canteiros altos podem ser feitos de forma manual ou mecanizada e devem possuir altura mínima de 35 centímetros. Já a subsolagem deve ser realizada na época seca, em área total e nos sentidos norte-sul e leste-oeste, devendo o agricultor consultar um engenheiro agrônomo ou técnico agrícola para verificação das condições apropriadas para a subsolagem.

Por fim, o plantio de 100 quilos de milheto, 20 quilos de crotalárias, 40 quilos de nabo forrageiro e 26 quilos de aveia preta podem resultar em melhoria das condições físicas do solo. Estas quantidades são suficientes para 1,0 hectare, os quais podem ser incorporados ao solo ou então triturados por triturador, resultando na técnica chamada de sistema de plantio direto de hortaliças na palha (SPDH), e dependendo da época de plantio as espécies citadas acima podem ser alteradas e por esse motivo consulte um profissional especializado.

Dica 5: faça análise de solos

Conhecer e corrigir os níveis de nutrientes do solo, se estão em excesso, falta ou desequilíbrio é o quinto passo para o sucesso no cultivo de brócolis orgânico. Para tal, é preciso realizar a análise de solos completa da área, cujo custo está em torno de R$ 100,00.

A análise laboratorial deverá conter os teores de argila, silte, areia, macronutrientes (fósforo, potássio, cálcio, magnésio, enxofre), matéria orgânica, carbono orgânico, micronutrientes (boro, zinco, cobre, manganês, ferro), além do alumínio, CTC, acidez.

Contudo, é preciso fazer um alerta: os agricultores estão retirando amostras de solo em pouco locais dentro de suas áreas, e essa amostragem incompleta está comprometendo os resultados laboratoriais.

Para uma boa coleta, retirar amostras com profundidade de 0 a 20 centímetros e em áreas já cultivadas com hortaliças devem ser realizadas em no mínimo 30 locais diferentes, já que essas áreas normalmente não são uniformes quanto a fertilidade.

Em seguida, de posse do resultado da análise laboratorial de solos, deverá ser feito o cálculo da quantidade de corretivos, remineralizadores também chamados de pós de rocha, fosfatos, micronutrientes, entre outros, para corrigir carências e desequilíbrios de nutrientes na área de plantio.

Em trabalhos de campo realizados no Distrito Federal, foram encontrados bons resultados quando se utilizou o Método Albrecht, também chamado de Método de Equilíbrio de Bases, quando comparado ao Método por Saturação de Bases.

O Método de Equilíbrio de Bases busca um equilíbrio entre cálcio, magnésio, potássio, mas também entra com recomendação de correção dos níveis do fósforo, enxofre, ferro, manganês, zinco, cobre e boro.

Por fim, caso o agricultor tenha alguma dificuldade quanto ao cálculo que definirá a quantidade dos corretivos e adubos de plantio e cobertura, basta procurar um profissional de sua confiança.

Dica 6: faça o tratamento dos estercos e adubos orgânicos

Os estercos ou resíduos de origem animal, sejam eles de galinha, gado, porco, cavalo, coelho, entre outros, devem passar por um processo de fermentação antes de serem aplicados no solo para reduzir e/ou eliminar microrganismos indesejáveis que possam prejudicar a lavoura de brócolis.

Esse tratamento é chamado de compostagem e pode ser feito de duas formas: com ou sem revolvimento ou oxigenação periódica. É o sexto passo para o sucesso no cultivo de brócolis orgânico. Existem diversas formulações ou receitas na internet e cabe ao agricultor consultar um profissional para escolher a melhor adaptada à sua realidade.

No processo sem revolvimento ou sem oxigenação periódica, o agricultor vai molhar os estercos e demais ingredientes usando uma mistura de água e microrganismos que aceleram a compostagem, cobrindo a mistura com lona plástica ou ensacá-la, aguardando em torno de 30 dias para que os microrganismos façam a compostagem.

Para esse processo, recomenda-se o uso dos microrganismos comerciais Lactobacillus platarum, Bacillus subtilis, Enterococcus faecium e Bacillus amyloliquefaciens e Trichoderma harzianum, os quais são potencializados quando associados a algum probiótico.

Já no processo com oxigênio o agricultor vai molhar, misturar e revirar os estercos e demais ingredientes diariamente e durante um período de oito dias ocorrerá uma pasteurização do composto por mudanças na temperatura (de aproximadamente de 24ºC para 64ºC).

Por fim, os mais diversos casos de sucesso têm mostrado que tais compostos apresentam entre 1-3% de nitrogênio (N), 2-4% de fósforo (P2O5), 3-5% de potássio (K2O).

Dica 7: faça o tratamento da água de irrigação com microrganismos

A água de irrigação, principalmente aquela proveniente de rios e canais coletivos de irrigação, podem apresentar microrganismos prejudiciais à lavoura de brócolis. Neste contexto, a aplicação mensal de microrganismos probióticos nos reservatórios de armazenamento de água tem reduzido doenças de solos e esse é o sétimo passo para o sucesso no cultivo de brócolis orgânico.

Dica 8: ajuste o seu sistema de irrigação

Durante todo o seu cultivo, o brócolis é uma planta exigente tanto em quantidade como em qualidade da água. Contudo, a realidade tem revelado que os sistemas de irrigação, sejam eles por aspersão, microaspersão ou gotejamento, não estão levando a mesma quantidade de água a todas as plantas, ou seja, tais sistemas de irrigação estão desuniformes.

E, consequentemente, as plantas que recebem muita ou pouca água se tornando pouco produtivas e menos resistentes ao ataque de insetos e doenças. Neste contexto, o agricultor deve avaliar a eficiência do seu sistema de irrigação e fazer ajustes, se necessário.

Em outras palavras, o oitavo passo para o sucesso no cultivo de brócolis orgânico é ter um sistema de irrigação ajustado e realizar um ótimo manejo da irrigação. Para avaliar a uniformidade, o agricultor pode realizar o teste do balde ou do copo, o qual consiste em distribuir na lavoura inúmeros baldes ou copos em diferentes locais, e após alguns minutos com o sistema de irrigação em funcionamento, medir e comparar o volume de água coletado.

Logo, uma vez identificada a necessidade de ajustes, o agricultor deve procurar um profissional para ajustá-lo. Por fim, os ajustes mais comuns e que apresentam custo reduzido passam pela: 1. substituição do mangote; 2. aumento do tamanho do filtro; 3. redução do tamanho dos canteiros ou linha de plantio; 4. aumento do diâmetro da linha adutora; 5. reposicionamento da linha adutora no terreno; 6. redução do número de aspersores e microaspersores irrigados ao mesmo tempo; 7. redução do número de canteiros irrigados ao mesmo tempo por gotejamento; 8. Troca dos modelos dos aspersores; e 9. aquisição de mangueiras de gotejamento com menores vazões ou espaçamentos maiores entre gotejadores (ex: 30 em 30 cm ou 40 em 40 cm).

Dica 9:  faça irrigação no momento e na quantidade adequada

O fornecimento adequado de água às lavouras de brócolis é uma operação que resulta no aumento de produtividade e lucro do agricultor. Contudo, durante todo o ciclo de cultivo é comum a ocorrência de excesso, causado principalmente por descuidos quanto ao tempo e frequência da irrigação (lâmina e turno de rega).

Para solucionar tal problema, existem dois métodos simples, práticos e que não exigem investimentos em equipamentos. O primeiro método se chama tato aparência e consiste em coletar e apertar um pouco de solo com as mãos e observar a sua umidade.

O segundo método se chama observação da cor das raízes e se baseia no fato de que a cor das raízes das plantas muda toda vez que ocorrer excesso de água. Visualmente, se a maioria das raízes estiverem com coloração branca e solo aderido a elas, a irrigação está sendo realizada de forma adequada. Por outro lado, se a coloração for amarela ou escura a irrigação está em excesso, sendo nestes casos necessária a redução gradativa da irrigação e aplicação de adubos enraizantes para estimular novas raízes.

Logo, para ambos os métodos, o agricultor deve inspecionar as raízes finas das plantas de sua lavoura no mínimo uma vez por semana, cavando um buraco com 30 centímetros de profundidade. Por fim, realizar uma irrigação no momento e em quantidade adequada é o nono passo para o sucesso no cultivo de brócolis orgânico.

Artigo anterior
Próximo artigo
ARTIGOS RELACIONADOS

Evolução da silvicultura no Brasil

Daniel da Silva Souza Engenheiro florestal, mestrando em Manejo Florestal (Universidade de Brasília), geógrafo e consultor ambiental geocentrosul@gmail.com   As últimas projeções demográficas do País deixam claro que...

Brasil – Maior produção de algodão da história

A produção de algodão em pluma deverá alcançar 2,1 milhões t em 2018/19, aumento de 14%, quando comparado com a safra anterior. Se confirmadas...

Vazio sanitário do algodão encerra neste sábado

Encerra neste sábado, dia 30, o período do vazio sanitário do algodão para uma das áreas produtoras de Mato Grosso, a região 1, localizada na porção...

Novo enraizador orgânico bokashi

Bokashi é o mais novo produto da ISLA Sementes, empresa com o mais diversificado portfólio ....

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!